Ode a um Sol (demasiado) tranquilo

A equipa do Space Weather Prediction Center do NOAA deixou esta madrugada na sua página do facebook este belo poema dedicado ao actual estado da actividade solar. Leiam em baixo uma tradução livre desse poema para português.

O Sol visto a 03 de Dezembro de 2012, pelo instrumento Atmospheric Imaging Assembly (AIA) do Solar Dynamics Observatory (SDO), na banda do ultravioleta extremo (canal 171 Å).
Crédito: SDO (NASA)/AIA consortium.

No nosso canto do Sistema Solar

O Sol está sedado
As partículas, plácidas
O vento solar, indolente
O campo magnético, flácido

Nenhuma região está em fulguração
Nem nenhum filamento em erupção
Nenhum fluxo de alta velocidade está soprando
E a magnetosfera perturbando

Mas no coração do Sol
A fusão inabalável
Mantém tudo,
Ainda assim, em actividade.

Não faltará muito
Para novas manchas solares aparecerem
E ejecções de massa coronal acontecerem
Para os especialistas se animarem…

1 ping

  1. […] Pilar Solar (aqui, aqui). Geração. Sol viaja mais lento. Cauda. Destino. Questionário. Ode, canção. Sol visto de diferentes planetas. Sorriso. Sol na mão. Poupas. Missão Humana. Vida. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.