China dá uma lição de democracia?

female-god

Tal como defendem, Carl Sagan, Neil deGrasse Tyson, Albert Einstein, Richard Feynman, Miller, Bodanis, McComas, Davidson, Bazelton, Barufaldi, Trefil, Dean, Hurd, Kolso, Gabel, Shamos, Bybee, Shen, Oliveira, e tantos outros, é absolutamente crucial que as pessoas tenham as informações correctas para poderem tomarem decisões conscientes numa democracia. Uma democracia cai por terra, se a única coisa que existem são desinformação e mentiras.
Daí a importância da literacia funcional, e mais precisamente da literacia científica.

Por isso é que todos os vigaristas que andam a amedrontar as pessoas com ideias falsas de fim-do-mundo, deveriam ser presos.
Eles não são só um atentado à inteligência e ao conhecimento, mas são também uma ameaça à democracia, ao divulgarem informações falsas.

Uma seita Cristã na China denominada “Almighty God” (“Deus Todo Poderoso”), também conhecida como “Eastern Lightning” (“Luz do Oriente”) – que acredita que Jesus é uma mulher Chinesa actualmente com 30 anos -, andava a espalhar rumores de um iminente fim do mundo, aproveitando isso para dar panfletos, DVDs e outros itens de propaganda de fim-do-mundo.
Este grupo tinha uma maneira sui generis de converter as pessoas: raptava e espancava potenciais crentes.

A polícia Chinesa não esteve com meias medidas: deteve 101 membros desta seita.

Leiam no Expresso e na Time.

Por fim, deixo um apelo: já que a polícia dos países ocidentais nada faz, fico à espera que a polícia Chinesa faça uma limpeza mundial de profetas de fim-do-mundo, começando pelos vigaristas com páginas na internet.

6 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Carlos e Jonas, eu concordo/reconheço que muitas religiões e seitas não passam de esquemas para ludibriar, enganar e até extorquir dinheiro às pessoas.

    Mas de entre as várias formas de lutar contra o obscurantismo e a crendice, penso que a censura e a perseguição policial/judicial dos crentes ou dos “pastores” são as menos eficazes, além de serem potencialmente perigosas para a liberdade de expressão.

    Na minha modesta opinião, considero que a educação, o esclarecimento, o ensino e a divulgação da ciência são armas muito mais poderosas e, no longo prazo, mais eficazes.

    E quero deixar bem claro que não estou a defender a religião ou a pseudociência. Muito pelo contrário. Se se derem ao trabalho de pesquizar os comentários que tenho posto por aqui, verão que alguns são justamente tentativas de esclarecer ou tentar meter alguma razão nalgumas cabeças duras que por aqui aparecem de vez em quando…

  2. Rui,

    A burla é um crime. A pessoa não é livre para burlar quem quer…

    😉

    1. Isso mesmo, é questão de má-fé. Não é trocadilho, não.

  3. Que a Polícia de qualquer país prenda quem rapta ou espanca outras pessoas (crentes ou não crentes) é uma questão pacífica e penso que todos estaremos de acordo com isso.

    Cá em Portugal, o rapto e as ofensas corporais também são puníveis com pena de prisão.

    Já vejo de forma diferente a possibilidade de se prenderem ou mesmo de se censurarem seitas ou crenças religiosas que difundam as suas mensagens sem recurso à violência (física e/ou psicológica). Por muito idiotas e disparatadas que sejam…

    Esta mesma liberdade que eu tenho, para dizer o que penso e escrever o que quero, deve ser generalizada a toda a população e espero que ninguém tenha a ousadia de definir linhas de expressão ou de pensamento que devem ser proibidas ou censuradas…

    Live and let live 🙂

    1. E seitas que pregam o Apocalipse e coisas do congênero, que tem muitos adeptos e não é violenta? Isso para você é permitido?

      Pois por ser permitido foi a causa de vários suicídios em massa nos EUA, e os responsáveis não puderam ser penalizados, morreram junto. Deve-se deixar que a natureza (deles) faça a própria “varredura”?

  4. Não diria democracia, porque lá faz muito tempo que não sabem o que essa palavra significa. Acho que é apenas uma questão de bom senso, proteger (preventivamente) a sociedade de pessoas com “parafusos a menos”.

    Olhemos um outro caso, o país dito como um dos mais democráticos do mundo para ver se isso funcionaria.

    Nos EUA, se uma ação assim fosse legal, uma parte considerável da sociedade iria para a jaula, pois é natural para um grande grupo acreditar com força em “Apocalipses” e na vinda de um “salvador”. Como essa sociedade vota e esse grupo é em grande número, obviamente não legislariam contra eles mesmos. A democracia permite que tenham voz e poder. É até bizarro.

  1. […] das Crenças Pseudo. Portas do Céu. Apanhados: Coco preso. Leitura de sina. Polícia. Presas. Detidos. Pai de santo preso. Vigarista da internet. Burla. Burlas. Violada. Roubo. Parvalhão. Tribunal […]

Responder a Rui Costa Cancelar resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.