Considerações sobre o evento

Crédito: José Gonçalves

Crédito: José Gonçalves

Como sabem, no passado dia 21 de Dezembro, realizámos um grande evento do AstroPT.

Para mim, foi excelente não só para conhecer novas pessoas, mas até para conhecer vários leitores do AstroPT que só conhecia pela internet. Assim de repente, lembro-me de alguns que falaram directamente comigo: Maria Evangelina, Paulo Esteves, “Tangerina”, Gabriel Rosa… Peço desculpa aos outros dos quais não me lembro do nome agora 🙂

Em termos de números da assistência, pessoalmente pensei sempre que poderia estar mais gente a assistir ao evento. Pensei isto até à chegada do David Marçal, que tem larga experiência de eventos para o público em Portugal, e está mais ciente dos eventos na FNAC. E ele assegurou-me que a sala estava bem composta – e isto até já foi num “período baixo”, em que várias pessoas já tinham saído.
Por outro lado, a Vera, que fez um trabalho notável de relações públicas dentro da FNAC, também me informou que conseguiu dar todos os panfletos que nós tínhamos imprimido, o que permite perceber que estiveram lá algumas centenas de pessoas.
Parece assim que a minha percepção da assistência não foi a melhor. Uma das razões pode ter sido pelo facto de estar habituado a locais da FNAC bastante menores; este local da FNAC parecia ser três vezes maior do que aqueles a que já fui aqui no Norte fazer eventos, e por isso tendo muito maior tamanho, eu nunca poderia ter a mesma percepção de “cheio” como naquelas a que já fui. Outra razão pode ser o facto das pessoas estarem continuamente a entrar e a sair; o número de pessoas que se manteve do início ao fim foi reduzido, sendo que o que se viu mais foi que quando as palestras começavam, entrava muita gente na sala, mas sempre que uma palestra acabava, aquilo ficava vazio durante alguns minutos já que as pessoas iam “passear pela FNAC”, retomando o ciclo de entrada assim que começava a nova palestra.

Ainda em termos de FNAC, gostava de agradecer ao Pedro (organizador ligado à FNAC) e à Raquel por toda a ajuda que nos prestou ao longo de toda a tarde.
Gostava também de agradecer bastante aos palestrantes: Pedro Cotrim, Dário Codinha, Manuel Rosa Martins, José Gonçalves e David Marçal.
Um agradecimento especial também para a Vera Gomes, que foi incansável no papel de “relações públicas” durante toda a tarde.
Um enorme agradecimento também é destinado a todos aqueles que pertencem à equipa do astroPT e que não faltaram “à chamada”, apresentando-se sempre muito bem dispostos e com vontade de ajudar.
Além destes, também preciso agradecer a todos os outros que, não fazendo oficialmente parte do astroPT, também sentimos como parte da família.
Por fim, não me posso esquecer de agradecer a todos os outros, anónimos e nem por isso, que também fazem parte do astroPT e apareceram, e àqueles que ainda não conheciam o astroPT e passaram a conhecer após assistirem a algumas palestras.

Carlos Oliveira, Manel Rosa Martins e Pedro Cotrim. Crédito: Marina Frajuca

Carlos Oliveira, Manel Rosa Martins e Pedro Cotrim. Crédito: Marina Frajuca

Em termos de palestras, esta é a minha avaliação:
– segundo me disseram, e eu acredito, eu estive um pouco “preso” nas minhas palestras iniciais. Talvez por ter chegado de viagem de 3 horas. Mas muito mais provavelmente porque normalmente àquelas horas costumo estar a dormir :). A verdade é que já não dormia há cerca de 48 horas, por isso é natural que não estivesse com muita energia.
– o Pedro Cotrim “soltou-se” bem no final da palestra. É verdade que ele falou de signos, de astrologia, etc, mas o que me lembro mesmo é da… piada final. 😀
– o Dário Codinha fez a distinção entre ciência e pseudo-ciência, sendo que o que me ficou na memória foram as explicações sobre os meses, e a imagem do extraterrestre na praia (claro!). 😀
– o Manel Rosa Martins palestrou a seguir sobre buracos negros e não só. Os seus “berros” chamaram imensa gente. Os seus adereços prenderam a atenção de toda a gente. A admiração pela sua palestra foi tal que a sala estava completamente cheia de gente. Tive o cuidado de olhar para as 6 portas do local e estavam totalmente apinhadas. Mais ninguém poderia passar pelas portas e entrar. Do que me foi dado a perceber, esta foi a altura em que tivemos a enorme sala completa. 😉
– o José Gonçalves deu uma visão pessoal do CERN, o que foi apreciado por grande parte das pessoas com quem falei. 😀
– o evento entre mim e o David Marçal teoricamente seria aquele que produziria uma maior interacção com a assistência, e que iria levar a uma maior descontracção na divulgação e aprendizagem dos assuntos. Infelizmente, parece-me que não consegui concretizar esse objectivo, apesar do David ter feito umas piadas giras 🙂
– no final, palestrei de novo, e parece que já estava mais solto que no início.

Pedro Cotrim e Manuel Rosa Martins. Crédito: Leo Abrantes

Pedro Cotrim e Manuel Rosa Martins. Crédito: L. Abrantes

Manel Rosa Martins e Dário Codinha

Manel Rosa Martins e Dário Codinha. Crédito: Marina Frajuca

Dário Codinha e Manel Rosa Martins. Crédito: Marina Frajuca

Dário Codinha e Manel Rosa Martins. Crédito: Marina Frajuca

José Gonçalves, Manuel Rosa Martins e Carlos Oliveira. Crédito: Marina Frajuca

José Gonçalves, Manuel Rosa Martins e Carlos Oliveira. Crédito: Maria João Pratt

Carlos Oliveira e David Marçal. Crédito: Marina Frajuca

Carlos Oliveira e David Marçal. Crédito: Marina Frajuca

Podem ler sobre grande parte dos assuntos das palestras, na nossa revista de astronomia.

Após as palestras no Colombo, equipados a rigor com as t’shirts do momento, fomos até ao VOX Café para dar seguimento à festa.

Durante a festa, os meus agradecimentos à Leo e à Rita pela animação que impuseram em todos, e ao Helder Sanches por toda a música com que nos presenteou. Na verdade, desde já o meu muito obrigado a toda a equipa do VOX Café que nos proporcionou uma noite especial. A festa foi de arromba!

Por fim, e durante várias vezes ao longo da noite, ainda tentamos observar o Nibiru pelo telescópio do Sérgio Paulino (a quem todos agradecemos o trabalho que teve com a parte da observação). Infelizmente, o céu estava demasiado nublado, e por conseguinte não foi possível observar nada. Os conspiradores dizem que as nuvens foram obra dos extraterrestres nativos de Nibiru, que assim puderam esconder dos nossos olhares esse enorme planeta por detrás das nuvens… e foi como se ele nunca tivesse existido 😛

Crédito: L. Abrantes

Crédito: L. Abrantes

5 comentários

5 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • isa marreiros on 27/12/2012 at 23:12
    • Responder

    Admiro o vosso trabalho e espero que este tenha cido o 1ºpasso de uma longa caminhada 😉

  1. Darth Micas rules!

  2. Já agora, agradeço também à Darth Micas que até se deitou ao meu lado!!!! 😛 eheheh 😛

  3. A hospitaleira agradece as palestras, a festa no Vox, a conversa no dia seguinte à volta da mesa de pequeno-almoço e os astronautas que passaram a fazer parte da família!

  4. Àparte do evento, agradeço também à Maria João e ao Leo pela hospitalidade 🙂

  1. […] – Realizamos um grande evento em Dezembro de 2012, como podem ler aqui, aqui, aqui, aqui e aqui. […]

  2. […] 59 – Encontros: astroPT (2009, 2008). Astrofesta. AstroPaiva. AstroRedondo. AstroVide. Grande evento 2012: convite, palestras, análise. […]

  3. […] – Realizamos um grande evento em Dezembro de 2012, como podem ler aqui, aqui, aqui, aqui e aqui. […]

  4. […] Podem ser vistas fotos do evento e pode ser lida a minha análise ao evento, aqui. […]

  5. […] cair para poder dar um passo e, com o pé no chão, celebramos uma vitória. Temos a revista, fizemos uma conferência na FNAC, temos um grupo fantástico que participa na comunidade de forma elucidativa (aqui, aqui, aqui, […]

Responder a isa marreiros Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.