Quem Trincou a Lua?

ISS-na-Lua

São 6 am, está uma neblina matinal a criar círculos à volta das luzes. É humidade que pode prever chuva nos próximos dias. “Está um frio pah!”.

O fim do mundo já passou e os eventos estranhos abrandaram ou pararam. As pessoas que procuram coisas estranhas, com muita determinação, onde outras pessoas vêem um evento curioso mas normal, deixaram de as ver.

Um dos meus objectivos é desmistificar os medos de eventos que são esquisitos para muita gente. Da ciência sei que às vezes precisamos de estar na pele do grupo que estudamos para o entender melhor. Assim, tento, eu mesmo, olhar para todo o lado tentar reparar em algo estranho sem o meu sentido crítico. Tento antecipar-me e criar uma teoria da conspiração. Já o tentei antes mas os pseudo superaram-me.

Olho para cima para tentar visualizar a ISS. Na noite anterior recebi um mail automático da NASA a indicar-me o local da passagem da estação espacial internacional. O mail informa-me da hora a que vai passar, a direcção e o tempo que vai estar visível: “6:20 AM, Visible: 5 min, Max Height: 41 degrees, Appears: SSW, Disappears: ENE”. Olho para cima e procuro vestígios de nuvens fotónicas (ainda aqui, e aqui) de supernovas ou de planetas e nada… O mundo não acabou e não deverá acabar tao cedo.

A lua estava quase cheia – fez-me lembrar que muita gente já está a preparar crenças sobre a lua cheia (e também aqui). Em breve talvez haja alguma água milagrosa para atenuar os efeitos nocivos da lua cheia. Talvez alguma bandolete quântica.

Parece que alguém trincou a lua. Está em quarto crescente, quase a atingir a esfera lunar brilhante. Talvez seja essa uma das ideias pseudo para esta fase. A lua não está inteira, parte foi “gamada” por aliens ou é uma zona escura que esconde o exército ou coisas medonhas que o governo conhece, que são mistério e são ultra-secretas, mas que os pseudo conhecem.

Enfim apanho o bus para a estação… continua frio catano! No caminho olho pela janela e lá vejo a ISS, mesmo na hora e local marcados! Felizmente já ninguém fala do fim do mundo. Já passou e nada ocorreu. Contudo, continua a falar-se do que se falava antes: das curas mágicas (também aqui e aqui).

A chegar à estação apanho o jornal gratuito (onde por vezes escrevo) e apanho a 2ª carruagem. Encontro uma amiga e sento-me. Dou-lhe o jornal dela (ainda quente, como o pão) e lêem-se e comentam-se as notícias. Gostaria, um dia de chegar ao comboio e ficar estupefacto com o que vejo… as pessoas estão a ler o AstroPT Magazine!

Este ano foi de crescimento. De certo virá um post sobre os nossos feitos. Os passos executam-se gastando energia, mas são essenciais para chegarmos a algum lado. Um passo causa desequilíbrio e é isso que faz andar. Arriscamos cair para poder dar um passo e, com o pé no chão, celebramos uma vitória. Temos a revista, fizemos uma conferência na FNAC, temos um grupo fantástico que participa na comunidade de forma elucidativa (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui). Passámos os 8 mil artigos, superámos os 4 milhões de visitas e tivemos mais de 23 mil visitas só no dia 21 de Dezembro. A maioria das pessoas habituou-se mal conosco e pensou que este fosse um dia com a divulgação de mais um evento mostrado em directo.

Desejo mais passos, 365 dias e tal de boa divulgação, leitura e execução. Desejo, ainda, uma entrada com a mão direita, pois é com a mão que escrevemos e que brindamos.

Afinal a lua “cresce”, “mingua” mas é sempre redonda. E sempre com uma face escondida.

420-almanac-calendar-introduction-2013-guide.imgcache.rev1354221669171

1 comentário

  1. Excelente texto Dário! É verdade, o mundo não acabou, a lua não foi trincada e o AstroPt esteve em grande este ano! Parabéns a toda a equipa, parabéns a todos os colaboradores! «A lua “cresce”, “mingua”», e o AstroPt estará sempre aqui para nos esclarecer! Bom ano 2013 a todos!

Responder a Ismael Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.