Raio de luz misterioso em Palotina?

B5_fenomeno_-_m_487x365

A 20 de Dezembro de 2012, o jornal O Paraná reportou que o auxiliar administrativo Tiago Testa, morador da comunidade de Esquina Progresso, em Palotina, Brasil, viu um fenómeno de luz no céu que nunca antes tinha visto. Raios de luz do Sol apareciam saídos do horizonte, mas do lado contrário onde o Sol estava a pôr-se.
O artigo original está aqui.

Se forem ao Google, vêem já mais de 3.000 websites pseudos a falar disto.
Nas redes sociais, sobretudo Facebook, existiam os comentários mais ignorantes sobre este assunto.
Desde ser um sinal do fim-do-mundo para o dia seguinte (21) até serem os extraterrestres a darem conta da sua existência.
Até apareceram vídeos no Youtube, claramente ligados a “teorias da conspiração”.

Eu soube disto, porque alguns leitores, e muito bem, nos fizeram perguntas sobre este fenómeno, aqui e aqui.

E afinal o que é isto?

São raios anti-crepusculares, que parecem vir da direcção oposta ao Sol.
Eles provêm do Sol, passam por cima de nós, em linha recta e de forma paralela, e continuam paralelos até ao outro lado do horizonte. Mas no lado oposto ao local onde se encontra o Sol, e como o horizonte se encontra bastante longe, parece que os raios convergem nesse sítio.
Mal comparando, imaginem uma estrada com árvores de ambos os lados. Quando vão a conduzir nessa estrada, sabem que a linha de árvores do lado direito da estrada está paralela à linha de árvores no lado esquerdo da estrada. As duas linhas de árvores nunca se vão encontrar. No entanto, se olharem em frente na estrada, e se ela for em linha recta, verão que lá no fundo parece mesmo que a estrada fecha e que as árvores se encontram. Essa ilusão de óptica é similar ao encontro dos vários raios num só enorme raio de luz no horizonte oposto ao do Sol.

Como nos explica o Sérgio Paulino: “No vídeo, as nuvens ocultam o Sol a poente, mas permitem a passagem de alguns raios luminosos um pouco mais acima. Embora sigam paralelos, eles parecem convergir no ponto anti-solar devido ao efeito de perspectiva criado pela posição do observador.”
E como nos explica o João Clérigo, isto é um fenómeno relativamente normal.

Leiam mais sobre isto, aqui.
Vejam várias imagens destes raios, aqui.

sombra_nuvem_ilustracao

1 comentário

1 ping

  1. Me lembrei daquele postulado (ou seja lá como é considerado) de que duas retas paralelas se encontram no infinito, belo texto esclarecedor!!!

  1. […] raios anti-crepusculares parecem vir da direção oposta ao Sol. Mas eles provêm do Sol, passam por cima de nós, em linha reta e de forma paralela, e continuam […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.