O Escaravelho-africano usa a Via Láctea para se orientar com a sua bola de excrementos.

Ora aí está a Via Láctea, o caminho de leite para eu me poder orientar. O insecto desempenha uma dança que poderá ser o seu modo de afinação da sua orientação.

Ora aí está a Via Láctea, o caminho de leite para eu me poder orientar. O insecto desempenha uma dança que poderá ser o seu modo de afinação da sua orientação.

Sumário:

Quando a lua está ausente do céu noturno, as estrelas permanecem como celestes pistas visuais. No entanto, é apenas nas aves, focas, e nos seres humanos que é conhecida a utilização das estrelas para orientação. Os Besouros africanos enroladores de bolas de esterco exploram o sol, a lua, e o padrão de polarização celeste para se moverem ao longo de caminhos em linha recta, longe da intensa competição pela pilha de esterco. Mesmo em noites limpas e sem luar, muitos besouros ainda se conseguem orientar por caminhos em linha recta. Isto levou-nos a colocar a hipótese de que os escaravelhos exploram o céu estrelado para orientação, um feito que até agora, tanto quanto é do nosso conhecimento, nunca foi demonstrado num insecto. Aqui, mostramos que os escaravelhos transportam as suas bolas de esterco por caminhos em linha recta sob um céu estrelado, e que perdem essa capacidade em condições nubladas. Num planetário, os besouros orientam-se igualmente bem quando sob um céu estrelado completo assim como quando apenas a Via Láctea está presente. O uso desta sugestão bidireccional celeste para orientação tem sido proposto para vertebrados, aranhas, e insectos, mas nunca foi comprovado. Esta descoberta representa a primeira demonstração convincente do uso do céu estrelado para orientação em insectos e fornece o primeiro uso documentado da Via Láctea para orientação no reino animal.

 

Autores

Marie Dacke

Emily Baird,

Marcus Byrne,

Clarke H. Scholtz

Eric J. Warrant

Podem ler o paper original aqui.


 

Já este carocha, ou fusca no Brasil, usa o GPS 🙂


Também achei curioso os Biólogos terem usado a expressão algo arcaica “reino animal.” Porventura não terão visto os fungos nos excrementos do Scarabaeus viettei.

No entanto, a Drª Marie Bracke e os seus colegas estiveram de facto muito atentos, e para além de terem feito esta descoberta excepcional ainda afirmam que, muito provavelmente, a dança algo bizarra que estes animais desempenham no topo das suas bolas de excremento possa ser a forma deste insecto enquadrar as suas medidas de observação para orientação astronómica.

Que grande lição nos traz este fantástico animal. Literalmente da decomposição dos excrementos para o disco equatorial galáctico, o caminho das estrelas que vemos em noites limpas, sem luar.

130124123203-large

5 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Fernando Simoes on 19/01/2014 at 01:35
    • Responder

    Muito interessante.

    Qual será o mecanismo que usam? Será que quando iniciam o percurso “tiram um print” às estrelas e depois seguem esse padrão para se orientarem?

  1. Quando vi isto no facebook, num mural de um grupo de astronomia, pensei que fosse uma brincadeira. Afinal é a sério.

    E, não sendo uma brincadeira, isto é muito, mas mesmo muito interessante.
    O comum dos cidadãos (grupo em que também me incluo), que desconhece os detalhes dos olhos de alguns coleópteros que o Jorge Almeida acima refere, sempre se habituou a pensar que era um sinal de inteligência a circunstância de já o Homem primitivo procurar padrões no céu para se orientar, para estabelecer um calendário, determinar as alturas das sementeiras, praticar certos atos religiosos, etc.

    Mas talvez esta ligação à “esfera celeste” não seja assim tão especial, já que outros seres vivos, totalmente desprovidos de inteligência (tal como nós a definimos) recorrem também a esse tipo de expediente para se orientarem e, quem sabe, para determinar a altura em que devem iniciar uma migração.

    Talvez a Astronomia não tenha na sua base uma atitude resultante da inteligência humana. Talvez resulte do instinto animal, atingido um grau incomensuravelmente maior de complexidade no Homem devido à inteligência que possui.

    • Ricardo Andre on 25/01/2013 at 22:04
    • Responder

    Se nao fosse este escaravelho, estávamos sob uma camada de 2,5km de espessura de escrementos!

    • Jorge Almeida on 25/01/2013 at 21:12
    • Responder

    Há coleópteros que usam a luz polarizada para se orientarem, bem como certos dípteros (=moscas) que têm olhos listrados que usam luz polarizada (caso de Tabanidae, vulgo “tavões” ou “tabões” – alguns têm olhos com riscas). Não é exclusivo apenas dessas ordens supracitadas.

      • Manel Rosa Martins on 25/01/2013 at 21:51
      • Responder

      Obrigado Jorge por essa informação mais precisa, aprendo eu e aprendem os leitores 🙂

  1. […] 61 – Animais no Espaço (tag): Laika. Escaravelho orienta-se pelas estrelas. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.