Orgulho Humano: mais uma extinção marcada pela ignorância humana

rinoceronte

Apesar de ser uma notícia de 2011, só hoje tive conhecimento dela.

A International Union for Conservation of Nature declarou que o Rinoceronte Negro Ocidental está oficialmente extinto.
A destruição do seu habitat natural e caça ilegal levaram a este desfecho.

E porque se extinguiram?
Segundo os materialistas humanos, 1 quilograma de corno de rinoceronte vale cerca de 75.000 euros (200.000 reais).

Como pode valer tanto?
Começando em marfim e acabando em supostas propriedades afrodisíacas, vale tudo.
Nos últimos tempos até se diz que cura o cancro!!! Sim, qualquer parvoíce serve para os vigaristas fazerem dinheiro!

O Marco Filipe já tinha reflectido sobre isto num post que intitulou: Qual é o mal?
Ou seja, qual é o mal das pessoas terem crenças em propriedades “mágicas”? Não tem mal nenhum, pois não?

“Os chifres de rinocerontes têm sido procurados por diversas razões, desde motivos culturais, religiosos ou até simplesmente estéticos. Tudo isto gera interesse financeiro e fomenta a caça aos animais. Juntando isso à destruição do habitat temos a receita ideal para o desastre. No entanto, uma das principais ameaças ao rinoceronte-de-java, é a sua procura pela medicina tradicional de muitos países da Ásia, como a Malásia, Coreia do Sul, Índia e China, onde é utilizado para “curar” uma extensa lista de maleitas. Os óbvios problemas disto são dois: O rinoceronte-de-java é uma espécie em vias de extinção; Não existem evidências científicas de que tenha realmente qualquer efeito terapêutico para além do efeito placebo, o que torna o primeiro problema ainda mais revoltante.
Outros animais e plantas encontram-se também ameaçados por terapias tradicionais e alternativas sem qualquer fundamento. Tigres, ursos, veados-almiscarados e cavalos-marinhos são apenas alguns exemplos. (…)”

qual_e_o_mal2

Mais uma extinção provocada pela ganância e ignorância humanas!

Nestas alturas, tenho tanto “orgulho” de ser humano… 🙁

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. “Stewart Brand: O alvorecer da desextinção. Você está pronto?”

    http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/stewart_brand_the_dawn_of_de_extinction_are_you_ready.html

    1. “Não é porque possamos, ou queiramos fazer algo, que devamos faze-lo.” O básico do básico da ética. Fundamental para uma convivência saudável com o mundo.

      Qual objetivo de trazer de volta espécies extintas?

      Talvez em alguma circunstância extrema venha a ser necessário ao equilibrio ambiental, o que justificaria. Mas pela humanidade, não é certo trazer essas especies de volta. As pessoas de caráter não devem usar a ciência para “passar a mão na cabeça” da humanidade após as atrocidades cometidas. O homem fez, agora o minimo que se espera é que tenha de conviver com as consequências.

      Não esqueçam que não é apenas o nosso bem estar que está em jogo. É muito conveniente matar a vontade, depois a ciência pode “desextinguir” os animais. Essa idéia até pode ser interpretada como uma reparação. Mas reparar o meio ambiente para nossa conveniência não repara os piores danos. Não são apenas os humanos que são lesados com os danos.

      E “desextinguir” uma especie não repara nada para os animais lesados, pois os individuos explorados e mortos, ou simplesmente mortos, continuarão mortos. Isso não há como reparar. Seria o mesmo que os nazistas criarem 6 milhões de judeus em laboratório, e mandar para Israel como “reparação” pelo holocausto.

      Os esforços devem ser para conter a estupidez humana, e não para (ilusoriamente) “reparar” seus danos, o que ainda estimula-lhe a prosseguir impunemente.

  2. Bem, quando não existirem mais animais por extinguir, também a espécie humana verá o seu fim, não existem dúvidas disso, por isso não seria necessário sacrificar outros seres-humanos, pois eles não prevaleceriam no mundo, mas sacrificar seres-humanos por crenças idiotas não é nada que já não tenha sido praticado antes, ou que não seja praticado ainda nos dias de hoje em certos países Africanos.
    Eu penso é que deviamos pensar menos no dinheiro e mais na vida, não apenas na nossa, mas na de todos os seres com que partilhamos este planeta, se eles só se matam pela necessidade de comer, porque tem o homem de matar por diversão, crenças sem sentido ou qualquer que seja a razão, porque não podemos viver em conformidade com outras espécies?
    Bem, acho que os animais, tal como a espécie humana, que também por vezes perde os seus direitos quando alguém tem interesse no território que essa ocupa, deviam ser um pouco mais protegidos, porque não sancionar com penas pecuniárias mais pesadas os Estados criminosos que compram um corno de rinoceronte, ou barbatanas de tubarão para uma sopa a países que nem da política interena cuidam, quanto mais das espécies animais, florestas e mares?! O problema está sempre no maldito dinheiro, quando se trata de enriquecer, acho que aquela Humanidade de que tantos falam é um pouco anulada pelos cifrões das notas, então os poderosos que façam o que querem e os outros que ganhem muito a destruir o raio do planeta!
    Para mim são todos uns criminosos, não daqueles que roubam pão para alimentar a família, mas daqueles que matam milhões de vidas para encher os bolsos e esses não merecem perdão, nem devem ser esquecidos, para que um dia alguém faça deles exemplo daquilo que acontece a quem pensa que está acima de tudo e todos, que sejam eles o adubo da terra para um futuro melhor e que se faça justiça por todos os que sofrem às mãos desses assassínos, sejam esses sofredores racionais ou não racionais como nós dizemos de outras espécies que não possuem o nosso conhecimento, mas que sabem mais do Mundo Natural que os Humanos!
    Afinal de contas que racionalidade é esta que nos levam a criar armas para destruir vidas? O Homem só será realmente racional quando pensar na PAZ e não na GUERRA!

    1. Belo comentário. Sem racionalizar demais, você demonstra como é obvia estupidez humana, que para constata-la não é preciso erudismo intelectual, basta olhar honestamente ao redor. Logo, não há desculpa, seja ignorancia ou pobreza.

      Esse pensamento é óbvio até para uma criança. Os indios, em sua simplicidade, (apesar de eventuais absurdos contra os direitos humanos incutidos em suas tribos como tradição) sabiam que tinham de preservar a natureza, e a respeitavam como os conquistadores respeitavam Deus. Além de muito mais inteligente, é muito mais óbvio tratar a natureza como sagrada, ao invés de retóricas mirabolantes que justificam apenas o poder sobre os outros através de crenças fantasiosas, maleáveis conforme convém.

      O homem costuma usar sua soberba capacidade racional, egocentricamente a serviço dos próprios erros, justificando-os, ao invés combate-los. Assim, refina-se a estupidez, ao invés de bani-la.

  3. Após tantas situações como esta, seja de forma direta ou indireta, como é que existem pessoas que acreditam que o “ser humano” foi feito à imagem de Deus e o resto das espécies estão cá para nos servir…e apesar de tudo há tanto corno por aí!

    1. Olá Paulo!Sobre, o que dizes, “homem feito à imagem de Deus”,encontras a resposta logo abaixo, deste teu comentário,deixado pelo Anonymous. Não misturemos as coisas.
      Abraço

  4. Como será quando não tivermos mais animais para serem sacrificados, inventaremos outras crendices e nos sacrificaremos uns aos outro?

    1. Infelizmente…. certamente 🙁

  5. Nestas alturas não tenho lá mta fé na humanidade. Só nos leitores do AstroPT! 🙂

    1. Eu uso patas de coelho 😛

Responder a Paulo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.