Três planetas na zona habitável de uma estrela próxima

Esta impressão artística mostra uma vista do exoplaneta Gliese 667Cd em direção à sua estrela progenitora (Gliese 667C). Ao fundo à direita podemos ver as estrelas mais distantes deste sistema triplo (Gliese 667A e Gliese 667B). À esquerda no céu está o crescente de um dos outros planetas, o recentemente descoberto Gliese 667Ce. Três planetas deste sistema são super-Terras orbitando em torno da estrela numa região onde a água pode existir sob forma líquida, o que torna estes planetas bons candidatos à presença de vida. Este é o primeiro sistema que se descobre, onde a zona habitável se encontra repleta de planetas. Crédito: ESO/M. Kornmesser

Esta impressão artística mostra uma vista do exoplaneta Gliese 667Cd em direção à sua estrela progenitora (Gliese 667C). Ao fundo à direita podemos ver as estrelas mais distantes deste sistema triplo (Gliese 667A e Gliese 667B). À esquerda no céu está o crescente de um dos outros planetas, o recentemente descoberto Gliese 667Ce. Três planetas deste sistema são super-Terras orbitando em torno da estrela numa região onde a água pode existir sob forma líquida, o que torna estes planetas bons candidatos à presença de vida. Este é o primeiro sistema que se descobre, onde a zona habitável se encontra repleta de planetas.
Crédito: ESO/M. Kornmesser

Uma equipa de astrónomos combinou novas observações de Gliese 667C com dados obtidos anteriormente pelo instrumento HARPS, montado no telescópio de 3,6 metros do ESO, no Chile, e revelou um sistema com pelo menos seis planetas. Três destes planetas são super-Terras orbitando em torno da estrela numa região onde a água pode existir sob forma líquida, o que torna estes planetas bons candidatos à presença de vida. Este é o primeiro sistema que se descobre, onde a zona habitável se encontra repleta de planetas.

Este diagrama mostra o sistema de planetas em torno da estrela Gliese 667C. Três planetas deste sistema são super-Terras orbitando em torno da estrela numa região onde a água pode existir sob forma líquida, o que torna estes planetas bons candidatos à presença de vida. Este é o primeiro sistema que se descobre, onde a zona habitável se encontra repleta de planetas. Os tamanhos relativos aproximados dos planetas e da estrela progenitora estão à escala mas as separações relativas não estão. Créditos: ESO

Este diagrama mostra o sistema de planetas em torno da estrela Gliese 667C. Três planetas deste sistema são super-Terras orbitando em torno da estrela numa região onde a água pode existir sob forma líquida, o que torna estes planetas bons candidatos à presença de vida. Este é o primeiro sistema que se descobre, onde a zona habitável se encontra repleta de planetas.
Os tamanhos relativos aproximados dos planetas e da estrela progenitora estão à escala mas as separações relativas não estão. Créditos: ESO

A Gliese 667C é uma estrela muito estudada. Com cerca de um terço da massa do Sol, faz parte de um sistema estelar triplo conhecido como Gliese 667 (também referido como GJ 667), situado a 22 anos-luz de distância na constelação do Escorpião. Encontra-se muito próximo de nós – na vizinhança solar – muito mais próximo do que os sistemas estelares investigados com o auxílio de telescópios tais como o telescópio espacial caçador de planetas, Kepler.

Estudos anteriores de Gliese 667C descobriram que a estrela acolhe três planetas, situando-se um deles na zona habitável. Agora, uma equipa de astrónomos liderados por Guillem Anglada-Escudé da Universidade de Göttingen, Alemanha e Mikko Tuomi da Universidade de Hertfordshire, Reino Unido, voltaram a estudar o sistema, re-analisando os dados anteriores e acrescentando ao cenário já conhecido algumas observações novas do HARPS e dados de outros telescópios. Encontraram evidências da existência de até sete planetas em torno da estrela. Estes planetas orbitam a terceira estrela mais ténue do sistema estelar triplo. Os outros dois sóis seriam visíveis como um par de estrelas muito brilhantes durante o dia e durante a noite dariam tanta luz como a Lua Cheia. Os novos planetas descobertos preenchem por completo a zona habitável de Gliese 667C, uma vez que não existem mais órbitas estáveis onde um planeta poderia existir à distância certa.

“Sabíamos, a partir de estudos anteriores, que esta estrela tinha três planetas e por isso queríamos descobrir se haveria mais algum,” diz Tuomi. “Ao juntar algumas observações novas e analisando outra vez dados já existentes, conseguimos confirmar a existência desses três e descobrir mais alguns. Encontrar três planetas de pequena massa na zona habitável de uma estrela é algo muito excitante!”

Órbitas dos planetas em volta de Gliese 667C. Os potencialmente habitáveis planetas são os c, f,, e. Crédito: PHL @ UPR Arecibo.

Órbitas dos planetas em volta de Gliese 667C. Os potencialmente habitáveis planetas são os c, f, e. Crédito: PHL @ UPR Arecibo.

Três destes planetas são super-Terras – planetas com mais massa do que a Terra mas com menos massa do que Urano ou Neptuno – que se encontram na zona habitável da estrela, uma fina concha em torno da estrela onde a água líquida pode estar presente, se estiverem reunidas as condições certas. Esta é a primeira vez que três planetas deste tipo são descobertos nesta zona num mesmo sistema.

“O número de planetas potencialmente habitáveis na nossa Galáxia é muito maior se esperarmos encontrar vários em torno de cada estrela de pequena massa – em vez de observarmos dez estrelas à procura de um único planeta potencialmente habitável, podemos agora olhar para uma só estrela e encontrar vários planetas,” acrescenta o co-autor Rory Barnes (Universidade de Washington, EUA).

Sistemas compactos em torno de estrelas do tipo do Sol são bastante abundantes na Via Láctea. Em torno dessas estrelas, os planetas que orbitam muito próximo da estrela hospedeira são muito quentes e dificilmente serão habitáveis. No entanto, isso já não se verifica para estrelas muito mais frias e ténues, tais como a Gliese 667C. Neste caso, a zona habitável situa-se inteiramente dentro duma órbita do tamanho da de Mercúrio, ou seja muito mais próxima da estrela que a do nosso Sol. O sistema Gliese 667C é o primeiro exemplo de um sistema onde uma estrela de baixa massa alberga vários planetas potencialmente rochosos na zona habitável.

(…)

Leiam o artigo completo na página do ESO. Artigo científico está aqui.

7 comentários

5 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Legal é ter dois planetas vizinhos habitáveis, fazer uma viágem interplanetária sem sair do seu próprio sistema solar. E pelo visto vemos que o nosso sistema só tem um na zona habitável.

  2. Os planetas na zona habitavel seriam o “c”, “f” e “e”? O “d” e “h” estao fora ja?
    Obs: O sistema Gliese 581 tambem teria 3 planetas na zona habitavel que foram detectados antes desse (“c”, “g” e “d”). Todo planeta descoberto na zona habitavel agora esta sendo dito como o primeiro, tambem o Kepler 62e e f.. Nao entendo isso..

    1. Sim.

      Neste caso, o interesse é serem vários planetas dentro da zona habitável.

      http://www.astropt.org/category/exoplanetas/gliese-581/

      abraços

  3. A vida no universo deve ser abundante, todavia, vida inteligente acredito ser mais difícil embora deva existir,mas deve estar
    no mínimo 1000 anos luz da terra.

  4. As civilizações de cada planeta podem se descobrir cedo na história que não estão sós no Universo, fazerem guerras e depois comércios entre si se forem como nós. 🙂

    1. Apesar de ser um cenário muito retratado em obras de ficção científica, esse é uma das perspectivas mais interessantes.

  5. pois …. e chegar até la… lol…

  1. […] 581d (aqui), Gliese 581g (notícia), Gliese 667Cc (descoberta, arte, habitabilidade, conversa, 3 planetas), Gliese 163c, GJ 1214b (atmosfera de água), Kepler-186f, HD 189733b, KOI-500, KOI-961, […]

  2. […] […]

  3. […] a partir do exoplaneta Gliese 667Cc. A maior estrela no céu é a anã vermelha Gliese 667C, que é orbitada por pelo menos seis planetas (provavelmente sete), três dos quais são Super-Terras na zon…. As outras duas estrelas no céu são Gliese 667 A e B, que são os outros elementos deste sistema […]

  4. […] as recentes fantásticas descobertas (leiam aqui), o novo catálogo de planetas potencialmente habitáveis (nota: não é “habitados”), é […]

  5. […] na Terra comparado com o pôr-da-estrela Gliese 667C caso estivéssemos nos 3 planetas super-Terras que estão na sua zona […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.