Será extraterrestre?

Quando imaginamos extraterrestres (em OVNIs, na ficção científica, etc), denotamos uma tremenda falta de imaginação e uma total ignorância da diversidade de vida na Terra.

Vejamos este ser:

scotoplane

Está muito para além da pouca imaginação que temos para pensar em extraterrestres.
Se por acaso o víssemos noutro planeta, ficaríamos completamente fascinados por ele.

E no entanto, é um animal bem terrestre.
Tem o nome científico de Scotoplane, popularmente conhecido como porco-do-mar (da família dos pepinos-do-mar), e é um ser vivo que vive a enormes profundidades – normalmente a mais de 1 km abaixo da superfície do mar.
São animais sociais (vivem em grupos de algumas centenas) e usam o olfacto para detectar comida (no fundo do mar).

2 comentários

1 ping

    • graciete virgínia rietsch monteiro fernandes on 14/07/2013 at 11:43
    • Responder

    A Natureza é prodigiosa. Saber que há seres vivos em ambientes absolutamente inóspitos afasta logo qualquer ideia de Criacionismo.
    Gostei muito do comentário de Marinho Lopes sobre o sistema neuronal de animais desse tipo.

    Um abraço.

  1. A título de curiosidade, para aqueles que se perguntam se “animais” destes podem ter cérebro, a resposta é que apesar de não terem um sistema nervoso diferenciado, têm ainda assim um sistema neuronal (simples em comparação com os animais vertebrados, mas ainda assim suficientemente complexo para não se saber completamente como funcionam). Naturalmente, qualquer “bicho” que se mova precisa de células neuronais para controlar os seus movimentos e comportamentos. Acrescento que os animais invertebrados têm sido muito importantes em neurociências (em particular a Aplysia): eventualmente, a compreensão do mais simples trará luz sobre o mais complicado (como de resto já trouxe).

  1. […] diferente. Plantas que andam. Peixe caminha. Medusa vive para sempre. Animal faz fotossíntese. Porco-do-Mar. Glowworms. Super-organismos. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.