Humor com Homeopatia

“That Mitchell and Webb look” é um programa satírico que, com humor, aplica o pensamento crítico a várias vigarices que andam pelo mundo.

watepleezeiizpreparinghomeopathicrem[2]

Desta vez, foi sobre a Homeopatia e outras técnicas SCAM.

Vejam o vídeo:

14 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • José Estêvão on 08/08/2013 at 11:55
    • Responder

    Ia levar a gatita que não me larga a porta ao Veterinário dos meus bichos anteriores e descobri que na Clinica agora praticam Homeopatia e Acupuntura… Vá lá que o Reiki ficou de fora… Das duas uma. Ou ele é um Idiota, tirou uma Licenciatura por correspondência e não pratica Medicina Veterinaria ou é esperto e reparou que as pessoas são Idiotas e são capazes de engolir as maiores patranhas, não se importando de pagar muito bem o acto de serem enganadas…
    É como ouvi um dono dizer numa reportagem na TV portuguesa, “só queremos o melhor para os nossos animais de estimação.”
    Pois, mas a piada é a desculpa de serem tratamentos complementares, pois…

    • José Estêvão on 07/08/2013 at 23:20
    • Responder

    Aqui está a melhor explicação da produção de um produto homeopatico, dada por um homeopatico.
    No final, por favor tentem limitar o riso, para não incomodar as outras pessoas.
    Para minimizar a tortura, começa no minuto 10.50.

    http://www.tvi24.iol.pt/programa/3008/66

    1. LOL

      “o que nós precisamos é da energia das moléculas”

      LOLLLL

      E vamos colocar uma gota de, sei lá, de uma doença como a SIDA no oceano inteiro… depois basta beber, que pronto, ficamos curados da SIDA.

      LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL enfim… se esta vigarice não fosse perigosa, levando à morte das pessoas que seguem estas mentiras em vez da medicina… até dava para rir.

  1. Se a homeopatia é um remédio, falta descobrir se a água da torneira é um genérico face à água engarrafada. 🙂

  2. fiz um trabalho para a faculdade sobre homeopatia onde inclui precisamente esse vídeo no final da apresentação, ainda assim estava uma senhora enfermeira a assistir que não ficou convencida e afirmou que a homeopatia funciona e que é usada como complemento nas terapias que aplicam onde ela trabalha. o que demonstra creio eu que as minhas qualidades oratórias são homeopáticas.

    1. O problema nesse caso é a palavra “complementar”.
      Como complemento a medicamentos e tratamentos médicos, as pessoas podem beber água, rezarem, etc. Não tenho nada contra, sobretudo se lhes der placebo.
      O grande problema do que é complementar é que não devia ser mentido (vender água por preços absurdos como se fosse milagrosa… homeopática) e não devia ser dado como alternativo à medicina (este é o grande perigo e que tem levado a várias mortes).

      abraços!

    • Marco Aurélio de Carvalho on 31/07/2013 at 21:31
    • Responder

    Prezado Carlos, admiro muito as suas publicações aqui no astropt. A astronomia me encanta desde criança. E tenho o maior respeito pelas publicações efetuadas aqui. Entretanto, esta sobre a Homeopatia me deixou indignado. Apesar do vídeo não ser um artigo de sua autoria, eu já percebi em outros, que o prezado articulista ridiculariza a Homeopatia e a coloca na vala comum dos engodos e vigarices. Eu diria até de uma forma lamentável para alguém que eu considero um pesquisador científico, pois o mínimo que se espera de um pesquisador é a averiguação do suposto “fenômeno” até o limite do conhecimento disponível.
    E eu concordo com o prezado amigo de que, pelo que aparenta, a Homeopatia seria uma vigarice, pois foge totalmente à razão, digamos, cartesiana, mas apenas pelo que aparenta e não pelos resultados.
    Gostaria de sugerir ao prezado, um pequeno exercício de raciocínio: com os conhecimentos astronômicos antes de Kepler, Galileu, Copérnico e Ticho Brahe, ao olharmos o céu qual a impressão que teríamos? A mais lógica e racional possível: A Terra é o centro do Universo…tudo gira ao nosso redor. Qualquer afirmação contrária, como aconteceu, é digna de repúdio e ridicularização. Entretanto, quando mentes inquiridoras se debruçaram sobre algumas dúvidas, a verdade começou a ser revelada e a consequência é que tudo, na realidade, fugia à lógica racional dos fatos e o que aparentemente víamos não era o que realmente acontecia.
    Da mesma forma, a Homeopatia, através das suas várias diluições e potencializações dá aos seus medicamentos uma característica, digamos, absolutamente irracional. Mas é aí que está o exercício que proponho: Não é aquilo que parece mas aquilo que acontece. Ao ir, quase que na essência da substância, não poderia ela, a Homeopatia, combater a essência da doença? Para não alongar, eu sugiro ao prezado amigo assistir esta palestra, (… comentário editado…)

    Abraços

    1. O seu exemplo com Galileu, Copérnico e Brahe é completamente desajustado. A não ser que a Homeopatia diga que vivemos todos nas costas de uma tartaruga. Só assim se percebe o exemplo: porque seria uma hipótese completamente errada.

      Qualquer teste duplo cego de homeopatia prova que ela é uma vigarice: é somente placebo para enganar os mais crédulos.

      abraços

      P.S.: editei o seu comentário, retirando o vídeo do Youtube. Aqui no AstroPT fala-se de ciência. E não se promove vigaristas em crenças irracionais de que o cancro (cancer) é espiritual.

        • Sérgio on 01/08/2013 at 00:31

        Olá sr. Carlos

        Em primeiro lugar, muitos parabéns pelo esforço, trabalho e dedicação em divulgar ciência de forma objectiva e clara e, principalmente, por explicar com credibilidade fenómenos que hoje em dia já podem ser despojados do seu antigo misticismo!

        Na minha leiga opinião, pelo que tenho lido a homeopatia não é mais do simples placebo. E, para mim, o efeito placebo está equiparada à fé, à crença, ao “acreditar” nisto, ou naquilo. Sim, fé, placebo e homeopatia confluem todos para o mesmo: para o cérebro. Este “acreditar” influencia, a meu ver, apenas a percepção sensorial das pessoas que, perante certos estímulos (que vão ou estão a experienciar), criam expectativas positivas ou negativas. Por exemplo, a ideia de tomar um medicamento de marca (porque ser caro, sugere eficácia confiante) em comparação àquela de tomar um medicamento mais barato (logo, de fraca ineficácia) consegue com que o cérebro prepare certas áreas do corpo em função da expectativa, positiva ou negativa, que se tem num ou noutro caso. Sim, a percepção sensorial, a sensação, é adulterada pelo cérebro, provocando emoções menos desagradáveis do que seria previsto (no caso da expectativa positiva).

        Pelo que eu tenho visto, parece-me que estas pessoas estão mais preocupadas com o sentimento/emoção que este efeito possa trazer: alegria porque funciona, alívio porque parece melhorar. É tudo uma questão hormonal. Mas preocupa-me o efeito mais real, mais físico, mais material e atómico: duvido seriamente que, a este nível, a homeopatia e o placebo tenha qualquer acção. Continuo a achar que o tecido corporal estaria na mesma: na sua progressão degenerativa. O cérebro poderá enviar hormonas para essas áreas e apaziguar os nervos sensoriais mas, mais do que isso…? Regeneração celular implica reestruturação molecular (e mesmo atómica), coisas que estão para além da simples vontade (mais uma vez, emoção cerebral) humana.

        Um abraço,

        Sérgio

        (P.S. – Penso que me alonguei e, pode parecer confuso. Sinta-se à vontade para editar caso publique)

      1. Sim, mas o placebo tem um efeito físico 😉
        Nós podemos ficar melhor, como diz, se pensarmos que vamos ficar melhor.
        Claro que a percentagem é pequena, e explicada por esse mesmo placebo. 😉

        A homeopatia tem uma coisa boa: a água faz bem.
        Claro que qualquer pessoa que beba um copo de água pode dizer que está a tomar um remédio homeopático 😛

        abraços!

        • Nathaly on 05/08/2013 at 04:23

        Eu ainda não cheguei a uma opinião formada sobre a homeopatia, mas como ela pode funcionar em animais e crianças (bebês) se for placebo?
        Sim, eu já vi funcionar em animais (criança também), e cito um exemplo: conheci uma família que tem um rottweiler que tem displasia – doença comum em cachorros de grande porte – e o cachorro não conseguia mais andar, ele ficava deitado o dia todo e só levantava com muita dificuldade para comer, beber, etc. Fizeram o tratamento com um remédio homeopático e, em alguns meses o cachorro melhorou muito. Não está igual antes, pois já é um cachorro idoso e a doença não tem cura, mas ele já consegue andar normalmente pelo quintal. A diferença é muito grande desde que ele ficou doente. Como se explica isso?

      2. O placebo nesses casos funciona de 2 formas:
        – no investigador. O estudo não é cego e o investigador tem sempre tendência para o erro de tipo I em estatística.
        – nos pacientes. Porque recebem mais atenção, mais cuidado, e mais tempo das pessoas. Isto aumenta o placebo no próprio paciente.

        Há estudos que comprovam estes efeitos 😉

        No caso que referiu, peça por exemplo à família para ignorar o cão durante dias, a seguir a ter-lhe dado um copo de água (em que a família não sabe se era um remédio homeopático ou um copo de água com muito açúcar que pode fazer muito mal ao cão). Depois peça-lhes para, ao longe (já que não podem ter contacto com o cão) dizer-lhe se o remédio deu resultado 😉

        abraços! 😉

    2. Já virou lugar comum usar os exemplos de Copérnico e Galileu quando se quer dizer asneiras e se tem medo de ser ridicularizado. Tanto o sistema geocêntrico quando o heliocêntrico fazem as mesmas previsões básicas.. Em outras palavras, os dois funcionam. Já a homeopatia não apenas é irracional, como não funciona. Os resultados são claros, homeopatia é placebo.

  3. Estou admirada!
    Ainda não há comentários a insultar o Carlos?

Responder a nuno Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.