Cemitério de Cometas

A ideia “perfeita” que se tem do Sistema Solar é que os cometas de longa duração vêm da Nuvem de Oort (engloba o sistema solar), os cometas de curta duração vêm da Cintura de Kuiper (além da órbita de Neptuno), e os asteróides vêm da Cintura de Asteróides (entre Marte e Júpiter).

No entanto, já foram encontrados 12 cometas activos na Cintura de Asteróides.

A Cintura de Asteróides contém mais de 1 milhão de objectos, com tamanhos entre 1 metro de 800 km de diâmetro. Estes objectos são asteróides que não se conseguiram unir para formar um planeta terrestre.
Mas recentemente têm sido surpreendentemente encontrados cometas nesta região, o que vai contra a nossa ideia “ordenada” do sistema solar. E poderão haver muitos mais: cometas “dormentes” que se parecem com asteróides, mas se vierem para mais perto do Sol mostram a sua cauda (o gelo é sublimado).

Devido a isto, agora uma equipa de astrónomos propõe uma imagem diferente para a Cintura de Asteróides: no passado existiam muitos mais cometas nesta região, e actualmente existirá um cemitério de cometas dormentes que se parecem com “rochas mortas” (asteróides), como lhes chama o professor Ignacio Ferrin.

Os objectos na Cintura de Asteróides são atraídos pela gravidade de Júpiter, por isso as suas órbitas mudam um pouco, colocando-se mais perto de Júpiter em alguns momentos e mais perto do Sol noutras alturas da órbita. O facto da distância ao Sol diminuir, faz com que a sua temperatura aumente ligeiramente. Isso faz algum do gelo dos cometas sublimar.

Há milhares de milhões de anos, a Cintura de Asteróides teria milhares de asteróides e milhares de cometas activos. Há medida que os cometas “envelheciam”, ou seja, há medida que o tempo foi passando e eles foram perdendo gelo e poeira quando se aproximavam ligeiramente do Sol, “foram-se tornando” asteróides (sem mais gelo para sublimar).
Os 12 cometas entretanto descobertos estavam dormentes, mas ao aproximarem-se ligeiramente do Sol na sua órbita normal, mostraram alguma actividade de sublimação. O professor Ignacio Ferrin chama-lhes “cometas Lázaro” porque parece que retornaram à vida após estarem mortos/dormentes durante milhares ou milhões de anos.

Leiam em inglês, aqui.

Esta ilustração mostra a cintura de asteróides. A imagem de cima mostra o modelo daquilo que pensamos actualmente: a cintura é composta de objectos rochosos (asteróides). A imagem do meio mostra o novo modelo proposto, em que a cintura de asteróides tem um pequeno número de cometas activos e muitos cometas dormentes. O diagrama de baixo mostra a cintura de asteróides como seria quando o sistema solar era jovem, com muita actividade cometária. Crédito: Ignacio Ferrin / University of Antioquia

Esta ilustração mostra a cintura de asteróides. A imagem de cima mostra o modelo daquilo que pensamos actualmente: a cintura é composta de objectos rochosos (asteróides). A imagem do meio mostra o novo modelo proposto, em que a cintura de asteróides tem um pequeno número de cometas activos e muitos cometas dormentes. O diagrama de baixo mostra a cintura de asteróides como seria quando o sistema solar era jovem, com muita actividade cometária. Crédito: Ignacio Ferrin / University of Antioquia

1 ping

  1. […] e Pirâmides. Hale-Bopp nas pirâmides. Don Quixote. 3200 Faetonte. Centauros. Fábrica de Cometas. Cemitério de Cometas. Asteróides (tag): estudo. Ameaça. Apophis, Desviar, Passagem, vídeo, 2036. Lutécia (imagens). […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.