O que é essa tal Física Quântica?

fisicaquantica

A Física Quântica surgiu como a tentativa de explicar a natureza naquilo que ela tem de menor: os constituintes básicos da matéria e tudo que possa ter um tamanho igual ou menor. Em outras palavras, pense o seguinte: tudo o que é maior do que um átomo está sujeito a leis da física que chamamos de “física clássica”. Por exemplo, elas sofrem a atração da gravidade, as leis da inércia, ação e reação, e por aí vai. Mas quando analisamos tamanhos menores que um átomo, tudo muda e as regras da física clássica já não valem mais. Foi preciso então admitir que era necessário outras leis para lidar com essa realidade, e também uma física totalmente nova, que ficou conhecida como Física Quântica.

fisicaquantica4Tudo começou em 1900, quando o físico alemão Max Planck introduziu a ideia de que a energia era enviada em “pacotes” chamados quanta (meio que parecido com a transmissão de dados pela internet), com o fim de derivar uma fórmula para a dependência da frequência observada com a energia emitida por um corpo negro. Em 1905, Einstein explicou o efeito fotoelétrico por um postulado sobre que a luz, ou mais especificamente toda a radiação electromagnética, pode ser dividida num número finito de “quanta de energia”, que são localizados como pontos no espaço.

Estes quanta de energia seriam chamados mais tarde de fótons, termo introduzido por Gilbert N. Lewis em 1926. A ideia que cada fóton teria de consistir de energia em termos de quantas foi um notável feito, já que efetivamente eliminou a possibilidade de que a radiação de um corpo negro alcançasse energia infinita, o que se explicou em termos de formas de onda somente. Em 1913, Niels Bohr explicou as linhas espectrais do átomo de hidrogênio, novamente utilizando a ideia dos quanta, em seu artigo On the Constitution of Atoms and Molecules (Sobre a Constituição de Átomos e Moléculas), publicado em julho de 1913.

A expressão “física quântica” foi usada pela primeira vez em Universe in Light of Modern Physics (O Universo à Luz da Física Moderna), de Max Planck, em 1931.

fisicaquantica3Em 1924, o físico francês Louis-Victor de Broglie apresentou a sua teoria de ondas de matéria, dizendo que as partículas podem exibir características de onda e vice-versa. Esta teoria era para uma partícula simples e derivada da teoria especial da relatividade. Baseando-se na aproximação de de Broglie, nasceu a mecânica quântica moderna em 1925, quando os físicos alemães Werner Heisenberg e Max Born desenvolveram a mecânica matricial e o físico austríaco Erwin Schrödinger inventou a mecânica de ondas e a equação de Schrödinger não relativista como uma aproximação ao caso generalizado da teoria de de Broglie. Schrödinger posteriormente demonstrou que ambas as aproximações eram equivalentes e ficou conhecido pelo clássico experimento mental* chamado “o gato de Schrödinger”, que ilustrava o relativismo quântico com a ideia de que um gato fechado dentro de uma caixa está tanto vivo quanto morto, enquanto não abrirmos a caixa e termos certeza de qual é o verdadeiro estado do gato.

fisicaquantica5

A física quântica não é intuitiva, ou seja, isso significa dizer que muitas partes dela parecem não ser verdade. Por exemplo, a dualidade onda-partícula diz que partículas se comportam ora como partículas ora como ondas. É uma afirmação no mínimo estranha, bizarra, por que seria mais ou menos como dizer que a água pode ser, ao mesmo tempo, seca e molhada dependendo da ocasião. Mas é o que acontece no mundo real das partículas quânticas. No nosso dia-a-dia, parece que vivemos num planeta plano, o que você sabe que não é verdade; nosso mundo é uma esfera, e no espaço não existe direita e esquerda, cima ou baixo.

Por ser não intuitiva, ela foi considerada uma falsa teoria. O próprio Einstein (que foi um dos fundadores da física quântica) acreditava que a física quântica devia estar errada. Mas com o passar do tempo percebeu-se que ela explicava tão bem o resultado das experiências, que tinha de ser verdade.

Nosso dia ocorre numa escala dita macroscópica (tudo aquilo que podemos ver a olho nu, por assim dizer). São os objetos que podemos enxergar sem a ajuda de lentes ou microscópios atômicos. A física quântica lida com coisas muito, tremendamente pequenas. Muitíssimo menores que um milímetro. Existem várias particulas do átomo, como os nêutrons (que contém uma carga neutra e são formados por três quarks) e prótons (carga positiva, também formados por três quarks); juntos eles formam o núcleo atômico.

fisicaquantica6O mundo em que vivemos é feito de átomos. Os átomos são feitos de coisas ainda menores chamadas quarks e elétrons. Ainda não sabemos se os quarks são feitos de coisas ainda menores. Os átomos, elétrons, quarks e outra coisa tão pequena que ainda não sabemos muito sobre ela, chamada fóton, têm comportamentos bizarros de vez em quando: nunca podemos saber exatamente onde estão. Não é por falta de instrumentos potentes, é uma lei da física, chamada Princípio da Incerteza de Heinsenberg, que diz que nunca saberemos a exata posição das coisas. Nunca saberemos onde os elétrons de um átomo estão exatamente. Nunca. É algo estranhíssimo, mas é a verdade. Há elétrons que, inclusive, somem de um lugar e reaparecem em outro, algo como um teletransporte. Não dá para ver que caminho seguiram para ir de um lugar a outro, só sabemos que eles fazem isso.

No mundo macroscópico, o “nosso” mundo, ondas são muito diferentes de objetos. Porém, se tivéssemos o tamanho de átomos, tudo se comportaria como uma onda de vez em quando e como uma partícula outras vezes. Essa foi uma das consequências mais bizarras da física quântica.

Há átomos, como o de Urânio que, do nada, explodem. Nunca sabemos que átomos vão explodir, ou quando, só sabemos que alguns vão e outros não. Aparentemente, nada faz eles explodirem, mas eles explodem. Dizem que irritou tanto a Einstein que foi aí que ele pronunciou sua famosa frase “Deus não joga dados com o universo”.

Muito embora a Física quântica seja esquisitíssima, e ainda por cima seja, como gostam de apontar alguns (sempre aqueles que não conhecem nada de ciência), “apenas uma teoria”, sem ela não teríamos os avanços da nossa tecnologia atual. Até o computador, smartphone ou tablet no qual você está lendo esse texto deve muito à mecânica quântica em algum nível.

 

Fontes:
________. O que é Fisica Quântica. Wikibooks.
________. História da Mecânica Quântica. Wikipédia, a Enciclopédia Livre.
Zarate, Oscar; McEvoy, J.P. Entendendo a Teoria Quântica. Editora Leya, 2012.

 

* O que significa que isso não foi feito com um gato de verdade, apenas para constar.

312 comentários

4 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. turma vocês estão muito adiantados em fisica quantica…a matéria é muito interessante e difícil de entender….estou ainda na fase de entender o alberteinstein sobre a teoria da relatividade…e=mc2…ainda estou me encantando com a velocidade da luz ao quadrado….obrigado…

    • Venancio Elias Ramos on 18/04/2017 at 03:00
    • Responder

    Física quântica, é variável e impressionante .

    • Helena Macedo on 15/03/2017 at 06:01
    • Responder

    Muito interessante esse texto, gostei muito.

  2. Quais as implcações dessas teorias sobre ouniverso,notadamente a quantica sobre nossa vida habitual.
    Desaparece a filosofia?não vamos mais filosofar,questionar,sobre a vida,a morte,a sabedoria,a psicologia,a psicanalise,etc.etc.? E as religiões como ficam? Nossos probleas humanos?casamento?profissão?doenças?

    1. Isto é física.

      Você utiliza todos os dias tecnologia que só funciona bem devido ao nosso conhecimento de física quântica.

      Não entendo qual a relação da física com o seu casamento…

      abraços

        • Luis Claudio Fernandes on 24/07/2017 at 17:30

        A raiz de número negativo é impossível no campo real, mas no imaginário converge para uma verdade. Como não sou ateu e acredito em milagres, os maiores milagres são os que acontecem hoje em dia através da ciência, pois estou escrevendo aqui e tenho certeza que muitos estarão lendo em seus computadores,tablets, etc, a mensagem que saiu daqui do meu computador através de frequências que não faço a mínima ideia, percorrerem vários caminhos e chegarem a todos que quiserem ler. Esse “milagre” é o maior de todos. Digo isto só para as pessoas saberem que não existe milagre e sim conhecimento daquilo que desconhecíamos e daquilo que ainda não conhecemos.

  3. como tudo que existe há um começo meio e fim, a ciência explica muita coisa, poderíamos, também, esperar mais estudos,onde a cientistas, tem muitas perguntas sem respostas, hoje imaginar que homens com a categoria de max plank físico,,, de uma época atrasada com rica conclusões, sobre física quântica, não poderemos afirmar que tipo de evolução poderia trazer a humanidade ainda, só o tempos e estudos sérios poderão apresentar provas

    • Alan Rodrigues on 15/02/2017 at 10:33
    • Responder

    Gostei, bastante esclarecedor

  4. Gostei do texto.
    Vejo muita gente comentando do surgimento destas físicas mais básicas e achando interessante. Mas são assuntos da primeira metade do século passado. De lá para cá surgiu tanta coisa linda e complexa. Claro! O público em geral não está acostumado com detalhes aprofundados. Mas são poucos os que produzem material de assuntos mais recentes (que também tem uma física maravilhosa). Gosto muito de ler texto como esses pois ajuda a todos.

    Alguns exemplo claros de física interessante depois da teoria quântica (e que usa teoria quântica) pode ser encontrada depois da publicação do artigo “More is different” do Anderson (Prémio Nóbel). Não necessariamente sabendo tudo sobre física quantica, modelo padrão, TQC, etc, etc, entenderemos o universo. Existem vários sistemas na natureza, que já possuem aplicações tecnologicas de ponta, onde fenomênos dessas teorias “mais simples” não são suficientes para explicações de várias coisas. Um exemplo são os chamados fenômenos emergentes. Sim! São fenômenos que simplesmente emergem e passam a existirem na natureza além dessas físicas básicas. Elas são muito estudadas com o pessoal que atua em Sistemas Complexos e também em Sistemas Fortemente Correlacionados. Na verdade é o estudo de Sistemas Fortemente Correlacionado que ajudou bastante na compreenção, ainda precária, de supercondutividade não convencional, efeito Kondo, férmions pesados, transição metal-isolante, ondas de densidade de carga…

    Não digo isso para mudar o estilo da pagina 😉 O assunto está excelente! So estou passando para lembrar que se isso é bonito, imagina fenômenos ainda mais abstratos que misturam, quantica, estatística, entre outros e de repente… Puf!!! O universo torna-se mais elegante e aparece até fenomenos emergêntes 🙂

  5. Muito bom a história

    • zulmira de Brasil Pereira on 30/01/2017 at 19:17
    • Responder

    Gostei muito

  6. Texto esclarecedor sobre os mistérios da Física Quântica. Tenho que ler mais, meu “interesse” ultrapassa meu querer, meu tempo e minhas prioridades. Bora estudar.

  7. Se o texto foi escrito por Rafael Rodrigues, porque é que quem responde aos comentários e questionamentos é esse Carlos Oliveira mascarado? Quem é você, Carlos?

    1. O Carlos é astrónomo.

      Se clicasse sobre o nome, saberia quem é o Carlos.
      Se lesse mais artigos nesse blog, também saberia quem é o Carlos. 😉

      Sabe quem é o Carlos e toda a gente que escreve neste blog, se clicar “lá em cima”, onde diz Colaboradores:
      http://www.astropt.org/colaboradores/

    • Yago Einsenberg on 24/12/2016 at 19:46
    • Responder

    amo física quantica e acho ela importantisíma para conhecer o mundo em que nos encontramos…

  8. Ótimo post parabéns! 🙂

    • Fernando Torres on 14/12/2016 at 13:11
    • Responder

    Temas interessantes!

  9. Porque existe aqui, tantos comentários sobre Deus? Porque fugiram do foco? Se a ciência é comprovada e se Deus existe, essa crença é algo particular. É algo que temos por direito de forma individual. Não importa o que de fato nós acreditamos, isso não faz a menor diferença para quem não crê. Mas, importa sim, para quem tem sua vida pautada naquilo que acredita. Se existem tantas crenças, é porque cada uma faz sentido para alguém. Por fim, já que gostamos de ter nossas opiniões respeitadas, acredito que podemos respeitar as opiniões contrárias. E salve a Fé que é certeza do que não se ve… e salve Deus e salve a Ciência!

  10. Bom dia,

    Como se explica que na experiência da dupla fenda, o resultada seja diferente, se a passagem dos eletrões na fenda for observada ou não?

    Obrigado

    1. O que considera por “observada”?
      Está a falar só de olhos humanos? É que sondas que vejam de formas diferentes “observam”, ou melhor, detectam, os mesmos resultados.
      Não há qualquer influência humana.

      Quanto aos diferentes tipos de experimentos, daí existirem diferentes resultados, aconselho este pequeno artigo:
      http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0205200244.htm

      Quanto a um novo experimento que parece resolver problemáticas anteriores, leia na wikipedia:
      https://pt.wikipedia.org/wiki/Experimento_da_dupla_fenda_de_Aephraim_Steinberg

      abraços

        • Raquel on 06/01/2017 at 17:19

        “Não há qualquer influência humana.”

        Mas precisa de alguém para iniciar o experimento.

      1. Não, não precisa de alguém.
        Pode ser simplesmente uma máquina.

        Por exemplo, considera a sua torradeira uma pessoa? 😉

        • Sidnei Teixeira on 04/04/2017 at 17:55

        E VC acha que a torradeira se fez sozinha?
        Teve de haver i fluência humana, direta ou indireta

      2. A torradeira não se fez sozinha… mas não precisa de humanos para ser feita. Ela pode ser feita por outras máquinas.

    • Manel Rosa Martins on 28/11/2016 at 21:47
    • Responder

    Quando o leitor Mano Brisa diz

    “Em outras palavras, estados específicos de consciência, ou orbitas fixas que os elétrons podem estar ou descrever.”

    Cai na falácia comum de:

    1) não entender a Física quântica ( o modelo de Rutherford-Bohr está errado e é arcaico).

    2) não definir o que é consciência, apenas atirar com a palavra porque soa a algo hiper especial.

    3) Daí, conclui que a consciência é quântica.

    Veja a definição de pseudo-ciência porque essa sim apresentou-a plenamente no seu comentário.

    A partir dessa frase para ser frnaco não estive de todo, interessado em continuar a ler, para verborreia chegou.

    Cumprimentos.

  11. Acho que a mecânica quântica ainda é tão associada ao ocultismo pois por trás de nossa realidade cotidiana existe um mundo fascinante, onde tudo onde compreendemos sobre o universo está errado. Onde os eventos são vistos de maneira inversa. O experimento da fenda dupla provou que um objeto pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Acho que tudo isso surgiu do duelo histórico entre Einstein e Bohr. Bohr dizia que o segredo estava no coração da matéria, na estrutura do átomo, que ele achava muito parecido com pequenos sistemas solares, com partículas, da mesma maneira que os planetas giram em torno do sol. Mas Bohr propôs que diferente do sistema solar os elétrons não podiam se mover em uma orbita qualquer, apenas determinadas orbitas eram permitidas. Em outras palavras, estados específicos de consciência, ou orbitas fixas que os elétrons podem estar ou descrever. Bohr afirmou que quando um átomo é aquecido, os elétrons ficam agitados e pulam de uma orbita fixa para outra. Cada salto para baixo emite energia em forma de luz em comprimentos de onda muito específicos e por isso os átomos produzem as cores que vemos. Dai que saiu a expressão salto quântico, pois se não fosse por ele, seria apenas um borrão. Mas todos vemos as cores bem definidas por causa do salto quântico. Como a magia ele demonstrou como os elétrons se movia de uma orbita para outra sem passar pelo espaço no meio. É como se Júpiter sumisse de sua órbita e aparecesse na órbita de Marte. Tudo devido aos pacotes de energia quanta que não podem ser divididos. Com essa imagem descoberta do átomo Bohr então se aproximou muito das idéias ancestrais do ocultismo. Lhe colocando em oposição com o cabeção Einstein que pagava pau pra física clássica. Então rolou o experimento da fenda dupla no qual expôs os mistérios quânticos pra qualquer um refletir. Eles demonstraram que uma partícula e uma onda são a mesma coisa. Ai max bohr descreveu que tudo era uma onda de probabilidade, ele argumentava que o tamanho da onda prevê a probabilidade do elétron ser encontrado ali. O poder da probabilidade mostra a certeza que o mundo é um jogo de azar. A natureza é probabilística e não como a ciência clássica intuía. Por isso ainda hoje muito materialistas ainda tem pavor em aceitar. Deus não joga dados foi a frase emblemática de Einstein, ele como muitos não aceitavam a incerteza. Mas a probabilidade cada vez tomou mais a atenção dos cientistas pois ela podia realmente prever a localização e comportamento mais provável de um grupo de átomos e pequenas partículas com uma precisão espantosa. Tipo essas cartomantes e cirurgias médiuns inexplicáveis. Mas não só isso, Laser, transistores, circuitos integrados e todo o campo da eletrônica se baseou muito em todo esse movimento da física quântica também, mas ainda não entendemos o poder do ato de observar. Para Niels Bohr antes que uma partícula fosse medida ou observada suas características eram incertas. Um elétron na experiencia da fenda dupla pode mostrar que, por exemplo, antes que sua localização seja determinada ele pode estar em qualquer lugar com uma vasta gama de possibilidades até o momento que observamos. É só então que a incerteza sobre a localização da luz desaparece. A medição força a partícula escolher. Em outras palavras, a natureza da realidade é inerentemente vaga. Já Einstein acreditava que tudo já estava definido, que o spin era específico antes da medição, ele acreditava na certeza e continuava tento fé como muito cientistas materialistas ainda hoje num universo governado por leis matemáticas imutáveis, absolutas e universais, mesmo que sem uma origem específica. O físico linguarudo chegou até a dizer que gostava de acreditar que a lua estava lá ainda enquanto ele não a observava. Isso o perturbava muito, a realidade do universo depender de abrirmos ou não os olhos deixou ele perplexo. Ele estava convencido que Niels Bohr estava equivocado. Então Bohr largou aquela indireta no ar- Pare de falar a Deus o que fazer. Em outras palavras, era o ato de medir que determinava o spin do elétron. Se não me engano, Einstein ficou puto e achou que o entrelaçamento quântico, desmistificaria Bohr. Mas ele não sabia ainda que a previsão mais bizarra e que iria impulsionar a mecânica quântica era o tal entrelaçamento. Ele demostrou que duas partículas podem se entrelaçar e suas propriedades se ligam mesmo que separarmos essas partículas por galáxias ainda assim continuam entrelaçadas. Conectadas de forma inexplicável. O Spin do elétron era proporcionalmente oposto, trocando em miúdos, se vc medisse uma partícula aqui não estaria afetando apenas ela aqui pois afetaria tbm a parceira entrelaçada por mais distante que elas estejam. Para Einstein esse tipo de conexão era tão espantoso e bizarro que ele chamou de ação fantasmagórica a distancia. O surpreendente é que se emitirmos uma partícula estamos afetando o estado de outra partícula. Nos mudamos o estado dela sem nenhuma força ou ligação científica que o defina mas que que foram comprovados cientificamente. A sua escolha aqui tem relação com o que acontece em outro lugar, ou até em outro universo. As duas partículas, mesmo sem nenhuma comunicação comprovada cientificamente, interagem. Isso é completamente mágico. E sem dúvida foi isso desde 1935 que deixo Einstein e muitos de cabelo em pé. Ai apelaram que isso já não era ciência e sim filosofia, até 1967 quando John Clauser leu um artigo obscuro do físico norte-irlandês John Bell e transformou a dúvida em experimento científico novamente e criou uma máquina para responder o empasse entre os titãs Bohr e Einsten. Quem estaria certo sobre a realidade do universo? O resultado chacoalhou o mundo, em resumo a máquina de Clauser consistia em emitir centenas de pares de partículas entrelaçadas e as comparava em várias direções diferentes, quando os resultados começaram aparecer houve uma grande surpresa, Bohr estava realmente certo. Depois o físico francês Alain Aspect desenvolveu métodos ainda mais sofisticados cientificamente para testar se Bohr estava certo, e comprovou que existe uma sinal/conexão desconhecida que viaja mais rápida que a luz entre as partículas, o que Einsten dizia ser impossível. Tudo foi muito chocante, os resultados mostravam que os campos da física quântica estavam certos. O entrelaçamento é real, as partículas quânticas podem estar ligadas ao longo do espaço. Podemos modificar o passado. Medir uma partícula pode afetar distantemente sua correspondente, como o espaço entre as duas não existisse. O que Einsten achou que era impossível – a ação fantasmagórica a distanciam – acabou se revelando mais real do que poderíamos imaginar. Abraço!

    1. Até pode ser que, na mente das pessoas, a quantica tem um pouco de “ocultismo”.
      Mas a física é uma coisa (até pelo seu comentário se vê isso, e basta olhar o mundo à nossa volta na nossa sociedade), enquanto cartomantes, médiuns, etc,são vigarices baseadas em psicologia (leituras a frio e a quente, e manipular-se as pessoas pela emoção).

      abraços

  12. Dizer que a Lei da Atração, e verdadeira, é um absurdo?

    1. Cientificamente, é um absurdo. NADA tem de científico.

      É simplesmente uma crença baseada num pensamento filosófico…

      https://en.wikipedia.org/wiki/Law_of_attraction_(New_Thought)
      http://www.skepdic.com/lawofattraction.html

      abraços

  13. Esse texto ficou incrível, parabéns.

    • Paulo Roberto Pompeu Taques on 13/11/2016 at 00:09
    • Responder

    Um texto sobre Física Quântica, explicado de uma forma simples e de fácil entendimento! Parabéns!

  14. Essa energia parece que explica as possíveis probabilidades das coisas acontecerem para nós,estou certo?

    1. Não entendi a questão…

      • Flávio Yared on 28/01/2018 at 15:26
      • Responder

      De certa forma sim e de certa forma não. 😀

  15. Apesar de concordar que o artigo nada tem a ver com prátias espirituais, me pergunto pq você perde tanto tempo tentado convencer as pessoas a acreditar que tais práticas são uma baboseira?? Sendo assim, gostaria que me explicasse porque tem tanta certeza que a fisica quântica não tem influência em nossa vida, já que nossos pensamentos estão diretamente relacionados aos nossos sentimentos e estes, acredito eu, emitem ondas vibracionais que afetam nosso meio. Minha pergunta nada tem a ver com religião, misticismo ou unicórnios alados, caso seja sua dúvida! 🙂
    Agradeço!

    1. “me pergunto pq você perde tanto tempo tentado convencer as pessoas a acreditar que tais práticas são uma baboseira??”
      — a resposta é a mesma para “Porque os professores de matemática continuam a ensinar matemática?”
      Porque ainda há gente que não percebe o básico.

      “aos nossos sentimentos e estes, acredito eu, emitem ondas vibracionais”
      —- o que a Nicole, o João, a Maria ou o Carlos acreditam é completamente irrelevante.
      Entre na net pela sua crença de que ela vai funcionar, mas não clique no “ligar a internet”, e veja se ela liga.
      Os sentimentos não têm quaisquer vibrações. Aliás, você afirmar isso só prova que não entende o que são ondas nem entende o que são vibrações.
      Por isso, o que sugiro é que primeiro aprenda esses conceitos de física.

      E última recomendação: o Universo não quer saber das suas crenças. Não tente ser arrogante ao ponto de pensar que o Universo tem que se curvar às suas crenças.

      Por fim, pela milionésima vez: este artigo NADA tem a ver com crenças religiosas ou pessoais. Tem a ver com Física!
      A Nicole usa a Física Quantica no seu smartphone todos os dias, como já foi explicado várias vezes neste blog. NADA tem a ver com crenças ou sentimentos ou o que quer que as pessoas imaginem.
      Exemplo:
      http://www.astropt.org/2016/10/26/descoberto-novo-estado-da-materia-na-molecula-da-agua/

      abraços

        • Nicole on 31/10/2016 at 22:16

        Carlos Oliveira, você é uma simpatia!!
        Obrigada pela explicação esclarecedora!! 🙂

        • Maria Esther on 05/11/2016 at 23:19

        Para bens rapaz👏👏👏

    • Mauricio Carmo da Costa on 13/10/2016 at 18:07
    • Responder

    É a traves da física que vamos conquistar o que a medicina necessita para ter o seu avanço nas conquista das curas das doenças oportunista que enciste em destruir o ser humano! Só através do avanço tecnológicos que teremos essas conquistas.

    • franck francis on 19/09/2016 at 12:13
    • Responder

    Gostei

      • Sebastião. De Assis. Oliveira on 28/12/2016 at 19:17
      • Responder

      Gostei, conhecer abrir as portas para o infinito, e não abrindo portas, prevalece a dúvida e a ignorancia.

Responder a Sam Moura Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.