O Universo está a tentar matar-nos?

Não, não vou falar de asteróides, mas sim de comentários que leio de vez em quando de crentes em conspirações que acreditam que toda a gente está contra eles, envenenando-os com elementos químicos em todo o lado.

Uma das vitórias ambientais do nosso tempo é que existem instituições que investigam a quantidade de elementos químicos no nosso solo, ar, água, casas, etc.
Paradoxalmente, os conspiradores utilizam essa informação de que estamos protegidos devido à avaliação dessas instituições, para se sentirem ainda com mais medo de “ameaças químicas desconhecidas”.

tabela periódica

Esta é a tabela periódica dos elementos. Têm aí os elementos que se encontram na natureza.
Não os encontrar é que seria estranho.

Claro que só se podem encontrar em quantidades com as quais podemos conviver.
Mas tirados do contexto, pode-se dizer que eles nos podem matar… se não os soubermos utilizar devidamente.

Mas será por isso que andamos por aí cheios de medo a acreditar em vigaristas que nos querem fazer acreditar que a simples existência de um elemento nos vai matar?

Sim, os solos têm alumínio, e ferro, e ouro, e cobre, e magnésio, e pasmem-se até elementos radioactivos.
Tudo em quantidades que não nos afectam.

Sim, existe radiação em todo o lado. O próprio Sol é fonte de vários tipos (comprimentos de onda) de radiação. E o tipo de radiação que nos permite falar aos telemóveis e que está espalhado em todo o lado (e que quando não temos, “rede”, nos afecta bastante)?
Não é por existir radiação à nossa volta que vamos morrer, nem essa radiação é uma conspiração de uma sociedade secreta que nos quer matar a todos.

Vejam bem que até temos ferro a correr no nosso sangue. E nós sabemos que o ferro enferruja!
Mas não, não foram extraterrestres que nos injectaram ferro para morrermos.

Até temos cálcio nos nossos dentes e ossos, por exemplo. E nós sabemos bem o que acontece às nossas máquinas de lavar roupa quando certas partes calcificam. Será então que o cálcio no nosso corpo é obra de uma instituição malvada? Não. Precisamos desse cálcio.

Imagine-se que até temos uma atmosfera carregada de oxigénio que, como todos sabemos, é a principal causa dos incêndios.
Será isto um esquema extraterrestre para nos pegarem fogo à atmosfera e nos matarem a todos? Obviamente que não.
Sem oxigénio, não existiam humanos.

E por incrível que pareça, todos os dias bebemos e somos maioritariamente constituídos por Monóxido de Dihidrogénio, que como toda a gente devia saber é um perigoso químico que constitui a chuva ácida, contribui para o efeito-estufa, provoca a erosão da paisagem, acelera a corrosão dos metais, é usado diariamente em centrais nucleares e também em contaminação por pesticidas, etc. Será que por o ingerirmos estamos a matar-nos gradualmente e quiçá a provocar a erosão dos nossos órgãos? Claro que não.
Monóxido de Dihidrogénio é vulgarmente conhecido como água.

Ou seja, fora do contexto, tudo, por mais neutral ou benéfico que seja, pode ser utilizado pelos vigaristas para “venderem o medo e o sensacionalismo”.
Cabe a cada um desenvolver o espírito crítico suficiente para não se deixar levar pelas conspirações sem nexo.

A verdade é que todos nós, incluindo o planeta onde vivemos, somos feitos dos mesmos elementos, que foram maioritariamente produzidos nas estrelas. Por isso, é absolutamente normal os elementos existirem em todo o lado em quantidades que nos permitem viver (nós desenvolvemo-nos de forma a que eles nos sejam vantajosos, em quantidades oportunas).

Tudo, incluindo nós, é feito de elementos químicos!

Quando alguém vos tentar vender a ideia de que o que é “natural” é melhor que aquilo que está carregado de químicos, já sabem que lhes podem responder que tudo aquilo que é natural também é feito de elementos químicos.

Tudo na natureza é feito dos elementos químicos que se encontram na Tabela Periódica.
Os químicos, por si próprios, não são maus. Pelo contrário! Sem eles, nós não existiríamos.

Aliás, a vida é somente um conjunto de reações químicas.
Sem os elementos químicos, não existiria vida.

Carl Sagan: "O azoto/nitrogénio no nosso ADN, o cálcio nos nossos dentes, o ferro no nosso sangue, o carbono nas nossas tartes de maçã, foram feitos no interior de estrelas que estavam a colapsar. Nós somos feitos de pó de estrelas."

Carl Sagan: “O azoto/hidrogénio no nosso ADN, o cálcio nos nossos dentes, o ferro no nosso sangue, o carbono nas nossas tartes de maçã, foram feitos no interior de estrelas que estavam a colapsar. Nós somos feitos de pó de estrelas.”

3 comentários

1 ping

    • Graciete Virgínia Rietsch Monteiro Fernanbdes on 25/06/2014 at 19:32
    • Responder

    Gostava de acrescentar aos dois nomes (nas etiquetas), que eu tanto admiro , um outro MENDELEEV(já nem sei se é assim que se escreve). Um GÉNIO.
    Um abraço.

  1. Parabéns pelo esforço continuo que tem sido este site.
    Parabéns pela energia com que tem sido capaz de trabalhar tema após tema.
    Mas acho que já conseguiu afugentar todos os “crentes” das pseudo-teórias…
    Contudo,não sejamos ingénuos! Como disse e muito bem, uma das vitórias ambientais é termos companhias (públicas & privadas) que monitorizam…
    mas se isso existe, a 1ª história (nos anos 60!) vem do chumbo nos combustíveis! é longa e é a primeira vez que alguém põem em causa um componente que apesar de se encontrar na natureza facilmente é muito mais tóxico do que a industria (automóvel/energética) e cientistas bem pagos admitiam.
    Fukushima não é conspiração e andam aí muitas mais “Fukushimas” desconhecidas por esse mundo fora…
    e se não fossem as conspirações, hoje ainda vivíamos todos em ditaduras 🙂

  2. Como já dizia um professor meu que disse que ouviu de um professor dele:
    A diferença dentre o remédio e a doença está na dosagem!

    Hahaha, muito bom o texto, está de parabéns!

  1. […] 24 Falácias Lógicas. Teoria. Só teoria. Somente teoria. Lei vs. Teoria. Energias Desconhecidas. Química venenosa. Leitura a Frio. Quero Saber. Possível vs. Provável. Crença. Ciência Não Erra. Argumento da […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.