Televisão alternativa

frase-a-desinformacao-e-o-analgesico-dos-pobres-rafael-silveira-111977

A RTP é o serviço público de televisão em Portugal.
Na maior parte do tempo faz um excelente trabalho!

No entanto, por vezes dá voz a vendedores-de-banha-de-cobra, levando a sua audiência a acreditar em mentiras.
Será que as pessoas acreditam mesmo que as apendicites, as pneumonias, o cancro, etc, se curam com tretas como o reiki, medicina vibracional e energias desconhecidas?

A RTP não deveria prestar-se a propaganda de esquemas pseudo que podem colocar em risco a vida das pessoas.
Crenças e vendedores-de-banha-de-cobra com fenómenos não-provados ou provados como falsos, não deviam ter lugar num serviço público de televisão que devia ter como objectivo comunicar informação, e não desinformar a sua audiência.

O Sociedade Civil é um excelente programa. É um programa que claramente faz um excelente serviço público. Provavelmente é o programa português com melhor qualidade do Canal 2 da RTP.
Infelizmente, no episódio de 16 de Julho do Sociedade Civil, fez-se propaganda às tretas da medicina vibracional, do reiki, e tretas do género. Isto são puras patetices para enganar quem ignora o conhecimento.

Não é compreensível, por exemplo, que os entrevistados digam que existem experiências científicas a provar que essas coisas funcionam sem que ninguém lhes diga que isso é totalmente mentira.
Eles que mostrem esses estudos duplamente cegos em revistas científicas de peer-review. Não podem, porque é mentira!
A única coisa que existe são estudos que provam que não passa de placebo.

Incrivelmente a propagandista de reiki nem percebe que o sistema de crenças dela é baseada no reiki. Ela tem fé no reiki.
E em Yale não se ensina Reiki, apesar de ser praticado por algumas enfermeiras (não médicas). E porquê? Porque, se retirarmos os estudos mal feitos que só servem para propaganda, os estudos reais mostram somente placebo. Nada mais.
Como nos diz o médico e professor Steven Novella, de Yale!, o Reiki serve só para enganar as pessoas com o mero placebo.

Duas das entrevistadas falaram em física quântica apesar de nada perceberem de física quântica, metendo ao barulho vibrações e frequências. São puras tretas para enganar as pessoas. E ainda meteram Einstein ao barulho, sem nada entenderem do que Einstein provou matematicamente.
Electrões percorrem a superfície da Terra e afectam-nos? Isto é pura treta New Age!
E falaram em 11 dimensões sem entenderem que não são físicas, mas matemáticas (algo que aposto que elas não sabem), e que tem a ver com a Teoria das Cordas.

Isto é somente misticismo New Age!
Como se prova que é tudo misticismo? Mostraram livros do Deepak Chopra e o livro da Lynne McTaggart. Basta comprar os livros para perceber que é uma salgalhada de fé, crenças e misticismos, embaladas em algumas palavras científicas para enganar os mais ignorantes da sociedade (aqueles que ignoram o conhecimento científico).
É somente uma técnica de manipularem as pessoas com desinformação.

Leiam o nosso artigo sobre como criar uma pseudo-ciência, aqui.

Não entendo como a RTP se presta a estes comportamentos: dar voz a quem nada percebe dos assuntos, a quem inventa tretas com base em crenças pessoais, a quem anda a disseminar religião como se fosse medicina, a quem anda a promover a ignorância pela população.
Na minha opinião, é um total desrespeito pela população portuguesa. Mas pior do que somente desrespeito, é poder colocar em risco a vida das pessoas caso alguém que viu o programa morreu por se deixar levar pelas mentiras (como por várias vezes acontece).

Será serviço público pôr ao mesmo nível quem diz a verdade e quem mente?
Será serviço público dar a mesma voz aos especialistas em clima e aos incas que assassinam pessoas em vulcões para que tenham bom tempo?
Será serviço público dar a mesma voz a investigadores e doutorados em mecânica quântica e àqueles que dizem que percebem muito disso porque leram um livro místico?
No programa, a jornalista diz que é uma questão de opiniões contrárias. Mas não é. 2 + 2 = 4. Quem vai para a RTP dizer que 2 + 2 = 765 não devia ter voz. A RTP não devia tratar as mentiras como se estivessem ao mesmo nível da verdade.

A jornalista também faz uma pergunta importante: porque não se integram as duas coisas? Porque não se complementam as duas coisas?
A resposta é simples: porque a treta alternativa não serve para nada. Não tem qualquer eficácia para além do placebo.
Matematicamente explica-se muito bem: 5 + 1 + 0 = 6 (5 é a cura da medicina convencional, 1 é o placebo, 0 é a treta New Age que se quer vender, seja homeopatia, reiki, medicina vibracional ou outra treta qualquer).
As terapias alternativas são 0. Por isso, tê-las ou não é a mesma coisa. E claro que são inócuas (como foi dito), porque o seu efeito é 0. Como o seu efeito é 0, é óbvio que não têm efeitos adversos! Ou quase… Os únicos efeitos adversos que se conhecem são os económicos (o dinheiro gasto em tretas que nada fazem) e quando as pessoas morrem porque deixam de seguir a medicina para só seguirem estas mentiras.

Ou seja, neste episódio disseminou-se desinformação, contribuindo para diminuir o nível de literacia na audiência.
Segundo um estudo feito em 2006, só 6% da população portuguesa tem literacia funcional, ou seja, compreende os argumentos de ambos os lados e sabe avaliá-los à luz das evidências. Não dar a informação clara, explicando onde está a verdade e a mentira, confunde ainda mais as pessoas, porque elas não sabem fazer essa separação.

Seria serviço público, caso convidassem somente o doutor António Vilar – o único com capacidade para claramente explicar o que funciona e separar do que não funciona. Infelizmente, o único convidado com capacidade para o raciocínio foi mandado calar porque não gostou que a outra pessoa estivesse a manipular a informação, mentindo sobre o assunto.
Como disse o doutor António Vilar, neste programa colocaram a crença ao mesmo nível da ciência, colocaram ao mesmo nível o acreditar e as evidências científicas, colocaram ao mesmo nível a fé e as provas experimentais, colocaram ao mesmo nível o misticismo e a medicina.

Na minha opinião, foi uma total falta de respeito pela medicina, pelos médicos e pelos conhecimentos médicos, ao colocá-los ao mesmo nível daqueles que ignoram o mais básico conhecimento sobre o funcionamento do mundo.

Eu tenho aqui uma garrafa de água que cura tudo. Tem a ver com “energias desconhecidas” que estão impregnadas na água e que permitem que ela chegue a todos os locais do corpo, limpando-o de todas as impurezas. Já testei o conteúdo. Existem muitos artigos científicos a provar que isto funciona com base na física quântica. Esta água é dada a todos os professores em Harvard. Na verdade, escusam de beber. Provou-se em experiências científicas que basta terem a garrafa próxima a vocês (reiki) para a água funcionar por todo o vosso organismo. Custa somente 3500 euros cada garrafa. Comprem! É uma pechincha para terem boa saúde.
Estão interessados em entrevistar-me para a RTP para eu vender esta treta?

Mantenham a mesma frase, trocando somente a “garrafa de água” por reiki e por medicina vibracional, e foi isto que a RTP fez.

Como se chama a medicina que funciona? MEDICINA!

definition

É uma pena que o Canal 2 da RTP, que é sinónimo de cultura e conhecimento, e é muito triste que o Sociedade Civil que é um programa de grande qualidade e de serviço público, tenha promovido misticismos primitivos, vigarices e mentiras à luz do conhecimento.

6 comentários

3 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Boa noite a ambos

    Agradeço a resposta que me deram.
    Caríssimo Dr Carlos, é muito amável em prestar-me tanta informação sobre ciência e em salientar a minha ignorância sobre o tema. Achei curioso, porque conhecimento e sabedoria são coisas muito distintas.
    Já percebi que o melhor é mesmo ficarmos por aqui e deixarmos o tempo, esse sim, sábio, encarregar-se de lhe dar uma resposta. Mas fica a dica : a melhor forma de verificar a eficácia do reiki é mesmo experimentando e medindo/avaliando os resultados. Se é cientista, fica lançado o desafio.
    Decresci, desejo-lhe muito sucesso para a sua carreira.
    Caro Março, se me fornecer um mail seu, terei muito gosto em envia-lhe todos os estudos que mencionei para que possa ler e tomar conhecimento dos mesmos. Quem sabe, poderá escrever um post sobre o tema ?
    Obrigada pela delicadeza e simpatia na sua resposta.
    Bem hajam!
    Sônia Homes

    1. Cara Sônia (ou Sónia?) Gomes (ou Homes?),

      Conhecimento e sabedoria serem coisas distintas, é uma daquelas frases vazias próprias de quem nos tenta vender coisas que toda a gente sabe que não funciona.
      Agora até há sites que criam essas frases:
      http://www.astropt.org/2014/04/16/gerador-de-parvoices/

      O tempo já deu a resposta: o reiki não funciona. É uma treta baseada nas famosas “mesinhas” que os famosos “curandeiros” usavam para enganar as pessoas.

      Como cientista, eu leio os estudos. Os estudos são claros. O reiki já foi experimentado em estudos duplamente-cegos e nada mais faz que placebo. Aconselho-a a ler esses estudos.
      E já agora, sabe quem também conhece esses estudos? O médico e professor Steven Novella, de Yale!, sim… de Yale… o tal local que você foi falar para a televisão coisas totalmente contrárias do que os docentes de lá dizem.

      Quanto ao “Março”, não sei quem é… depreendo que esteja a falar do Marco Filipe, licenciado em Genética (talvez saiba o que é… não leva Reiki) e mestrando em Biotecnologia (também não leva Reiki), e que também já conhece esses estudos. Mas só os que são duplamente cegos e que são avaliados pela comunidade.

      Acho incrivelmente interessante que você seja incapaz de colocar aqui os links para esses estudos, mas você queira o e-mail privado do Marco para supostamente lhe enviar os estudos em privado. Ou esses estudos são secretos (ninguém pode saber deles) ou então você quer o e-mail privado dele para lhe chagar a cabeça. Qual é a razão?

      Já falou com o Edzard Ernst, o primeiro professor de medicina complementar do mundo e que não abre a boca a não ser que tenha antes estudado extensivamente um assunto e encontrado evidências para suportar aquilo que diz? (por evidências entenda-se, estudos científicos objectivos, que são diferentes de experiências pessoais subjectivas)
      Já leu as conclusões dele sobre o que dizem os estudos em que se experimenta o reiki?
      Leia lá sobre esses estudos:
      http://edzardernst.com/2013/04/reiki-neither-plausible-nor-effective-nor-harmless/
      http://www.astropt.org/2013/04/14/reiki-mais-uma-patetice/

      Mas pronto, ficamos agora aqui todos à espera que a Sónia nos diga publicamente (colocando aqui os links) quais são esses estudos secretos que demonstram o milagre do Reiki.

      Mas duvido que os coloque aqui. Porque sabe que eles não funcionam… por isso, vai-se ficar pelas meias-palavras, só dizendo que “existem por aí”, mas são tão secretos que só se podem saber em privado… enfim…

      Sónia, só duas sugestões:
      – quando escrever um comentário, por favor tenha atenção aos nomes e às palavras. Fica mal tantos erros. Reflita e leia os comentários antes de os publicar. Sabe qual deve ser o problema? É que está a carregar em teclas (seja em computador seja em telemóvel) que através de complicados códigos, fazem com que no ecrã apareçam umas letras. Lá está, é ciência que a Sónia está a usar. Não faça isso, não caia nessa hipocrisia de utilizar a ciência. Defenda os seus valores e negue essa ciência. Coloque as mãos sobre o ecrã, sem tocar nele, e deixe a energia do Reiki fluir. Vai ver que lhe aparece o texto que quiser e sem erros.
      – quando entrar novamente na internet, use o reiki e não a eletricidade que lhe é dada pela ciência. Faça a experiência e depois publique um estudo no Journal of Quackery dando conhecimento à comunidade dos resultados da sua experiência.

      abraços

      P.S.: continuo à espera que compre a minha garrafa de água por 3.500 euros que lhe asseguro que utiliza as mesmas energias do reiki e lhe limpa todas as suas impurezas. Prove que acredita mesmo no reiki e compre a minha garrafa de água.

  2. Boa tarde Dr Carlos Oliveira

    Ao “passear” na net, encontrei este seu artigo tão interessante…
    Agradeço a sua opinião e acho muito importante todos termos opiniões distintas 🙂 o que seria da humanidade se todos tivéssemos a mesma opinião 🙂
    Bom, permita-me dizer-lhe que sou a pessoa que participou e falou sobre Reiki… A vigarice que apregoa como técnica new age…
    Quer goste, quer não, o Reiki é reconhecido cientificamente e é legal em vários paises , reconhecido pelo Sistema Nacional de Saude dos mesmos, nomeadamente a Alemanha e a Suiça.
    Acho que a sua opinião é válida, mas não deveria ser exposta com tanta agressividade e intolerância face a opiniões distintas. Se são “tretas new age”, isso não é um problema seu… o importante é que estas “tretas” como lhe chama, estão cada vez mais presentes e ajudam cada vez mais pessoas e poderiam muito bem ser integradas na saúde ajudando a reduzir custos 🙂
    Mas como haverá sempre mentes fechadas e muito resistentes à mudança, é normal que surjam opiniões como a sua. Porém, nunca se esqueça que serviço público é para a população em geral e neste caso a RTP2 fez um excelente serviço público.

    Desejo-lhe as maiores felicidades.
    Sónia Gomes

    1. Cara Sónia,

      Deixe-me começar por onde a Sónia começou, apesar de ser um fait-divers e nada ter a ver com o ponto fulcral deste assunto.
      Eu acredito que a Sónia tenha dado connosco ao “passear pela net”. Não tenho motivo nenhum para duvidar de si. No entanto, para defesa dos meus valores, deixe-me informá-la que escrevi para a jornalista informando-a que iria escrever um artigo sobre este episódio do programa, mostrando-lhe a minha indignação por algumas coisas que foram lá ditas. Ou seja, não escrevi este artigo “às escondidas”. Por outro lado, somos o blog de ciência em Portugal com mais visitantes na blogosfera, o que não quer dizer nada sobre se estamos certos ou errados, mas penso que pode ser um argumento para que, mais tarde ou mais cedo, a Sónia desse connosco. 😉

      Indo agora ao que interessa…

      Eu não dei opinião. Este é um local de conhecimento, não de opiniões.
      Não sei se compreende a realidade, mas a eletricidade, a internet, o seu carro, a gravidade, etc, etc, etc, não funcionam por opiniões de X ou Y. Infelizmente, no seu comentário, a Sónia demonstra não compreender isso. Isto é básico para se ter literacia funcional.

      Sim, são tretas New Age. Sim, são as suas crenças.
      Sim, a Sónia nada percebe de física quântica nem é doutorada em física.

      Se acha que isto é uma questão de opinião, fico à espera que me diga onde tirou a sua especialização em física quântica e seguidamente envio-lhe um teste de mecânica quântica, para a Sónia resolver as equações.

      Fico também à espera dos estudos duplamente cegos em revistas científicas de peer-review que comprovem o Reiki. Digo-lhe já que não existem!

      E fico à espera que visite a Universidade de Yale, antes de fazer afirmações na televisão que contradizem o que se vê na realidade. Já pensou em contactar o professor Steven Novella, de Yale?
      Mais uma vez: não é uma opinião. Basta lá ir e falar com as pessoas.

      A Sónia diz que “o Reiki é reconhecido cientificamente e é legal em vários paises”.
      Primeiro é preciso distinguir o que é científico e o que é legal.
      Nos “EUA”, como sabe, era legal ter escravos, e era reconhecido legalmente e popularmente que as pessoas de raça negra só valiam 3/5. Não eram seres humanos de pleno poder. Como deveria saber, nada disto tem a ver com ciência. Ser legal e ser científico, são coisas diferentes. Posso lhe dar certamente centenas de outros exemplos do mesmo género.
      O mesmo se passa no caso do Reiki.
      Cientificamente, ao contrário do que a Sónia diz, não é reconhecido. Ou melhor, os testes científicos reconhecem a existência, no máximo, de placebo. Nada mais.
      Legalmente, e para efeitos de planos de saúde, só o facto de ter placebo, pode ser vantajoso para as pessoas. Daí existirem países (e pessoas) a advogá-los.
      É o mesmo que dar um urso de peluche a uma criança, para que a criança sinta segurança ao ponto de pensar que um urso de peluche a vá defender de potenciais monstros que existem debaixo da sua cama (ou até de ladrões que a queiram raptar). Toda a gente sabe que, cientificamente, o urso de peluche não defende coisa nenhuma. No entanto, toda a gente também compreende que na cabeça da criança, o urso dá-lhe conforto e segurança (uma falsa segurança, que existe somente na imaginação da criança).
      No caso do Reiki passa-se basicamente o mesmo. Pessoas com mentalidade infantil que pensam que algo que só existe na sua mente permite-lhes defender contra desafios reais e imaginados. Cientificamente prova-se com testes que o Reiki (o urso de peluche) não serve para coisíssima nenhuma. Legalmente vê-se alguma vantagem em ter a criança com o urso de peluche, já que isso lhes pode dar algum placebo.
      Compreendeu as diferenças entre ciência e a parte legal de um sistema de saúde?

      Sim, tem razão: as tretas estão mais presentes.
      Não porque funcionem, porque não funcionam (a não ser por placebo, como as pastilhas de açúcar), mas sim porque existem cada vez mais pessoas com falta de literacia funcional que, no seu desespero, se deixam levar por quem lhes vende gato por lebre.

      Mas note: o facto de mais gente usar não prova nada. Muita gente usou as “pulseiras do equilíbrio” e eram uma fraude. A grande maioria dos alemães votaram no Hitler. A maioria dos “americanos” (entre aspas porque na altura não existiam os EUA atuais) advogava existirem escravos. Muita gente imaginava que o fim do mundo era em Dezembro de 2012. A maioria das pessoas no século XV defendia que a Terra estava imóvel no centro do Universo.
      Como deverá concordar, apelar para “mais gente utilizar” não quer dizer que esteja correto.
      A Sónia somente utilizou um argumento falacioso bem conhecido: a falácia do apelo à popularidade.

      Recomendo-lhe:
      http://www.astropt.org/2012/06/10/24-falacias-logicas/

      Neste caso a RTP2 fez um péssimo serviço público porque ajudou a enganar mais alguns milhares de pessoas com crenças pessoais.
      (note que não tenho qualquer problema com as crenças pessoais. Cada pessoa tem direito à sua crença. Logo que a sua crença não sirva para enganar ou prejudicar outros)

      Quanto às mentes fechadas, a literacia permitiria-lhe compreender que os cientistas são as pessoas com a mente mais aberta (sem deixar cair o cérebro).
      Se lesse sobre história, compreenderia igualmente que no mundo científico em que vivemos, os cientistas são aqueles com menos resistência à mudança, são aqueles que mais mudam não só ao longo da sua vida mas que inclusivé que mais mudam o mundo.
      Aliás, sobre este assunto específico, tem vários artigos aqui no blog. Sugiro que os leia, antes de comentar com base na ignorância sobre o tema.

      Recomendo-lhe:
      http://www.astropt.org/2010/12/12/mentes-abertas/
      http://www.astropt.org/2011/05/21/profecias-da-ciencia/

      Lembre-se: está numa coisa fantástica chamada internet. A internet foi-lhe dada por cientistas. Não cuspa sobre aqueles que lhe dão tudo na vida.

      Sabe Sónia, tem razão numa coisa: sou intolerante em face da intolerância.
      E a Sónia mostrou-se bastante intolerante. Mostrou-se intolerante para com o conhecimento. Mostrou-se intolerante para com os factos que nos são dados pela natureza. Mostrou-se intolerante para com os resultados dos testes feitos às suas crenças. Mostrou-se intolerante para com os cientistas. Mostrou-se intolerante, em suma, para com a realidade do Universo.
      É uma pena que a Sónia coloque as suas crenças acima daquilo que o Universo nos dá a conhecer.

      Sabe Sónia, os cientistas são aqueles que estudam a natureza. A ciência é somente o estudo da natureza. Para se estudar convenientemente a natureza utiliza-se uma série de estratagemas experimentais (a que se convencionou chamar método científico) de modo a minimizar a intervenção do investigador. Ou seja, de modo a que possa ser o mais possível a natureza dar-nos a resposta, e não os resultados apresentarem distorções fruto das crenças ou desejos pessoais do investigador.
      Infelizmente, a Sónia mostra arrogância ao achar que as suas crenças têm que estar acima da natureza e dos resultados científicos.

      E, Sónia, não estou contra si como pessoa. Não a conheço como pessoa. Provavelmente é uma pessoa bastante simpática que até quer e gosta de ajudar os outros.
      Estou contra a sua participação num programa onde ajudou a disseminar uma crença New Age com base em afirmações que são contrárias à realidade. E estou totalmente contra os seus argumentos falaciosos fruto de não compreender os assuntos que quer debater.

      Mas quer ajudar as pessoas? E quer mostrar-se como pessoa de bem?
      Então comece por pedir desculpa pelas suas afirmações erradas na televisão a favor do Reiki ou então prove aquilo que disse.

      Ou seja:

      1 – Mostre que existem estudos duplamente cegos em revistas científicas de peer-review que comprovem o Reiki. Senão, reconheça que induziu as pessoas em erro.

      2 – Mostre que tem um doutoramento em física quantica, com licenciatura em física, para poder estar a falar de “quantica” na televisão como se soubesse daquilo que está a falar. Senão, admita que induziu as pessoas em erro a pensarem que é especialista em algo quando não o é.

      3 – Mostre que há médicos em Yale a praticar o Reiki, indo lá e comprovando isso, ou então contactando o professor Steven Novella que lhe admita isso. Senão, reconheça que mentiu na televisão.

      4 – Mostre que sabe mais de medicina que o doutor António Vilar, expondo publicamente o seu curso em medicina que lhe permitiu ter muito mais conhecimento e experiência que o médico referido. Senão, reconheça que em termos de medicina, os médicos sabem mais que a Sónia.

      5 – Mostre que a eletricidade, a gravidade, o carro, a internet, funcionam ou não funcionam dependendo da opinião que as pessoas têm sobre eles. Senão, reconheça que ofendeu as pessoas com as suas falácias, e que se faz valer de hipocrisia ao utilizar tecnologias e pensamentos científicos com sucesso todos os dias enquanto simultaneamente cospe no mesmo prato onde come (ciência).

      6 – Demonstre que para si é muito mais importante as opiniões e testemunhos das pessoas, comprando a minha garrafa de água que “cura tudo” por 3.500 euros. Demonstre que só por eu dizer que a minha água tem energias desconhecidas que permitem que ela chegue a todos os locais do corpo, limpando-o de todas as impurezas, é muito mais importante que quaisquer testes científicos que sejam feitos e que provem que nada disto funciona (a não ser por placebo). Prove que realmente acredita naquilo que diz, fazendo a transferência de 3.500 euros para o meu NIB (que lhe enviarei em privado, quando me provar estes pontos). Senão, dá somente a entender que defende que só o que a Sónia acredita está certo (o que faz realçar a crença e o fundamentalismo de uma mente fechada).

      Como vê, nada de muito difícil.
      O ónus da prova é seu.
      Até fazer isto, todos os seus comentários e falácias servem só para atirar areia para os olhos daqueles que seguem cegamente as suas crenças religiosas em vez de pararem para pensar um pouco.

      Note que eu estou aberto a que me prove que estou errado nos 6 pontos referidos.
      Será que a Sónia tem a mente aberta o suficiente para reconhecer que errou nos 6 pontos?

      Pois…

      abraços

    2. Sónia, quando diz que o Reiki é reconhecido cientificamente o que é que isso quer dizer exactamente?

      1. Existem múltiplos estudos científicos de elevada qualidade, isto é, múltiplos estudos randomizados e duplamente cegos, a dizer que o Reiki funciona melhor do que placebo;
      2. A Sónia viu um ou dois estudos a dizer que o Reiki funciona, mas não se certificou se eram de elevada qualidade (podiam ser estudos preliminares ou simplesmente mal executados) ou se existiam outros estudos com resultado contrário;
      3. A Sónia acredita por experiência própria e pelo feedback dos seus pacientes que o Reiki funciona.

      Se for a primeira opção, de certo que não terá dificuldade em apresentar aqui os estudos que exigimos para aceitar as alegações do reiki como verdade, nós temos a mente bastante aberta, só somos mais exigentes na qualidade das provas. Apresente aqui o que pedimos e qualquer um de nós muda de imediato de posição sobre o Reiki. Até escrevemos um post!

      Se for a segunda opção esses estudos não provam que o Reiki funciona, podem quanto muito, se forem preliminares, direccionar a pesquisa para uma determinada direcção, mas se forem simplesmente mal executados, o que não falta para aí, então não se pode tirar nenhuma conclusão válida. Por exemplo, há estudos que nem controlo utilizam, limitam-se a perguntar a um grupo de pacientes se eles se sentem bem e isso não prova nada, pois os pacientes podem dizer que se sentem bem devido ao efeito placebo ou porque a doença simplesmente melhorou sozinha. Ter um grupo de controlo (um grupo de pacientes que não recebeu tratamento ou recebeu outro tratamento diferente) para se comparar com o grupo que recebe o Reiki é o mínimo para que um estudo se possa chamar de científico, mas ainda assim é um estudo que é muito básico e sujeito a erros, ou seja, é de menor qualidade do que os estudos randomizados e duplamente cegos que exigimos.

      Se for a terceira opção isso não pode de forma alguma servir de prova científica: durante séculos a tradição e a experiência dos médicos era a favor da sangria como solução para várias doenças. Só quando se começou a aplicar o método científico à medicina é que estas práticas perigosas e inúteis foram abandonadas. Tal como os médicos que praticavam a sangria, tanto a Sónia como os seus pacientes são vulneráveis ao auto-engano, e só estudos randomizados e duplamente cegos podem remover a falibilidade humana da equação.

      Se a Sónia não reconhece a problema da falibilidade humana e a necessidade dos estudos randomizados e duplamente cegos para se ter a certeza que uma terapia funciona melhor do que o efeito placebo, então não vale a pena sequer continuar a conversa. Mas ficará no ar a questão de que lado estará realmente a arrogância?

    • Nuno José Almeida on 22/09/2013 at 19:11
    • Responder

    Já segui uma carta para o provedor, tudo a fazer o mesmo.

  1. […] em horário nobre que promovem “mesinhas da Idade Média”, terminariam os programas com debates supostamente equilibrados mas que na prática cospem no conhecimento, e despediam-se os comentadores ignorantes. […]

  2. […] (morte, Respiratorianismo). Boriska. Braco. Reiki (patetice). Homeopatia. Feng Shui. Empty Force. Televisão Alternativa. Terapias Alternativas. Não-Medicina. Coco preso. Leitura de sina. Polícia. Presas. Burlas. […]

  3. […] essas vigarices e com isso contribuam para piorar a vida da população em geral (exemplos: aqui e […]

Responder a Sônia Gomes Cancelar resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.