Serviço limpeza espacial

15744736_e7BEz

No passado dia 12 de Setembro, a Skycorp International anunciou um novo serviço para proceder à remoção de satélites geoestacionários em órbita. O serviço chamado “Spacecraft End of Life Service” (SELTS) ainda irá demorar algum tempo a entrar em prática: a construção da nave SELTS só começará a ser construída quando a Skycorp receber pelo menos dez encomendas do serviço….

Deixo aqui o preçário para potenciais exemplos de remoções de órbita:

Preço para remoção de um único satélite até 2 500kg: $5.85 milhões dólares.

Preço para remoção de um único satélite até 3 500kg: $7.85 milhões dólares.

 

Poderão ler mais sobre este assunto, aqui e poderão ver o site da empresa aqui.

6 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Francisca Santos on 11/02/2018 at 03:36
    • Responder

    Boa Noite,

    Vera.

    Já a um tempo acompanho seu trabalho, e admiro muito. Gostaria da sua opinião sobre o descarte do lixo espacial na atmosfera terrestre, se você acha relativamente seguro.

    Obrigada.
    Francisca

  1. Me lembrei que fizeram um seriado a uns 20 anos que teriam criado uma empresa “caseira” que teria seu próprio foguete pra pegar estes lixos espaciais..

    Mas acho que tem mesmo que ter remoção do lixaredo.

    Caiu a 2 dias atras um grande destroço numa cidade do méxico, a 300 metros de onde havia gente que estavam teunidos num evento na cidadezinha.

    Aqui tem detalhes => http://www.thrive.com.br/realidade/enorme-bola-de-fogo-cai-no-mexico/

    • Fernando Simoes on 01/10/2013 at 12:35
    • Responder

    Até nem me parece caro 🙂
    Agora mais sério, os países e empresas que colocaram os equipamentos no espaço deviam-se de facto responsabilizar pela respectiva remoção, mas não me parece que o façam.
    Verificar e obrigar a que o lixo espacial fosse removido, deveria ser uma das atribuições na ONU.

    Para não falar nos equipamentos que se desintegraram e que deram origem a milhares de pequenos objectos que será quase impossível remover.

    1. Bom… tenho algumas observações para “picar” . Não me leve a mal Fernando :p

      A ONU não abrange todas as Nações do Mundo. Acresce ainda que nem todos os Estados se ratificam aos tratados e acordos da ONU, logo não estão vinculados a cumpri-los (por exemplo nos tratados e acordos existentes na área do espaço, apenas alguns Estados ratificaram os mesmos)

      A ONU não tem conhecimento técnico, nem meios para fazer essa verificação. Tem um gabinete / comité vocacionado para a área do Espaço sediado em Viena, mas mais ligado a questões politicas e legais do que propriamente técnicas.

      Tal como respondi no comnetário anterior, a Europa tem tentado implementar um Codigo de Conduta Espacial orientado precisamente para essa responsabilização que fala. A China, foi um dos pesos pesados que aceitou… discutir este conjunto de principios : http://astropolitica.blogs.sapo.pt/125844.html Ora, sendo um conjunto de principios (isto em termos de direito internacional público faz toda a diferença :P) implica adesão voluntária aos mesmos. E o seu cumprimentos só será verificado se o Estado que aderir concordar com essa mesma verificação (o que poderá não acontecer….)

      O lixo espacial é sem sombra de duvida um problema na ordem do dia. Um dano num satélite causa prejuízos imensos; coloca em risco o acesso ao Espaço e até à Estação Espacial Internacional. Consenso e acções concretas é que não tenho conhecimento que estejam já em prática para remover o lixo que anda em órbita….

  2. Bom dia,

    Gostaria de saber como esta o plano de remoção de lixo espacial da NASA e do ESA, estamos cometendo o mesmo erro no espaço que cometemos na terra.

    Obrigado.

    1. No meu parco conhecimento, não penso que haja algo ainda em pratica. Fala-se muito, discute-se muito possiveis soluções, mas da teoria à pratica…. vai uma grande distância.

      A remoção do lixo espacial coloca ainda mais desafios por todas as condições: transporte até ao espaço, e como resolver a situação. Na Terra já vão surgindo algumas opções : )

      Sei que a Europa reunir o máximo de estados possivel no seu código de conduta para evitar a proliferação de lixo espacial. Pretende também investir em projectos que possam resolver esta situação.

      Os EUA fazem a monitorização do lixo espacial. Sendo que no mês passado andou na boca do mundo por causa do possivel fecho da infraestrutura: http://astropolitica.blogs.sapo.pt/129976.html

      Talvez o Rui Barbosa tenha mais informação sobre projectos na area da remoção/ eliminação de lixo espacial….

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.