Homem é o principal responsável pelas alterações climáticas…

… esta é a grande conclusão do mais recente relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC).

799399

“Os cientistas estão mais seguros do que nunca de que o ser humano é o maior responsável pelo aumento recente da temperatura da Terra, segundo o último relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) (…)
(…) “extremamente provável” (95% de certeza) que mais de metade da subida do termómetro global desde 1950 se deve às actividades humanas.
(…) 259 autores principais, secundados por centenas de outros cientistas, passaram a pente fino toda a produção académica desde a última avaliação do IPCC, em 2007. (…)
(…) o termómetro global poderá subir até 4,8 graus Celsius até 2100, no pior cenário, ou apenas 0,2 graus Celsius, no mais favorável. A subida no nível do mar é estimada num intervalo entre 26 a 81 centímetros. (…)
(…) Um tema que vai ser abordado no relatório agora é a relativa estabilização da temperatura média global na última década e meia. Esta tendência tem sido utilizada como argumento de sectores que contestam a tese da culpa humana nas alterações climáticas. (…) Entre as explicações possíveis dadas por cientistas para a subida menor da temperatura nos últimos anos estão variações na actividade solar e a absorção de calor pelos oceanos. (…)”
Leiam o artigo completo, no jornal Público, aqui.

800435

“Relatório confirma responsabilidade humana nas alterações climáticas recentes.
Painel científico das Nações Unidas diz que aquecimento da Terra é “inequívoco”. Temperaturas podem subir entre 0,3 e 4,8 graus Celsius até 2100.
(…)
É agora “extremamente provável” que a Terra esteja a aquecer devido à actividade humana, o que, na linguagem do IPCC, se traduz em 95% de certeza da atribuição da culpa.
(…)
As concentrações de gases com efeito de estufa na atmosfera “atingiram valores sem precendentes em relação aos últimos 800.000 anos”, assegura o documento. As concentrações de dióxido de carbono (CO2), metano (CH4) e óxido nitroso (N2O) aumentaram 40%, 150% e 20%, respectivamente, em relação aos valores pré-industriais. (…)”
Leiam o artigo completo, no jornal Público, aqui.

800443

30 comentários

3 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Bom dia!

    – Ouvi falar que a água do mundo está acabando. É verdade? Ou dá para canalizar a agua que está em cavernas, submersas, etc?

    – As nascentes que secaram, podem voltar ao que eram antes, com as chuvas?
    E deu no noticiário que em 2015 não terá chuva nenhuma. É possível que não tenha, ou em menor quantidade?

    – Vi também uma foto num site de astronomia, sobre a quantidade de água e ar que temos, proporções bem pequenas. Seriam isso mesmo, ou mais sensacionalismo?

    Obrigado!

    1. Eu não faço a mínima ideia do que está a falar 🙂

      1 – Não, a água não está acabando. A molécula de água é H2O. Existe muita na Terra, como sempre.

      2 – Se isso deu no noticiário, mentiram.

      3 – Se é a comparação com água em Europa, lua de Jupiter, está a comparar somente a água em estado líquido à superfície do planeta, penso eu (sem certezas).

      abraços

    2. O que poderá estar a acabar (mas não para já) é a água potável e disponível para consumo humano.

      Se continuarmos na rota actual, dentro de poucas décadas, teremos alguns países com problemas sérios nesta área.

  2. Bom dia!

    – Hoje não estar mais quente se deve á atividade solar? E se ela diminuir mais, poderá extinguir o Homem?
    – A combinação da atividade solar diminuindo e o aquecimento aumentando, parece que um “anula” o outro. Mas, se houver alterações futuramente, ou seja, não havendo essa “anulação”, como seria?
    – O relatório do IPCC não é credível? Ou apenas os dados que ele fornece, como o Homem como o maior causador do aquecimento, não é exato?
    – E se o Homem não é o maior causador, o que seria? Na história da Terra vê-se essas alterações, mas o que ocorre aqui para haver essas alterações? E foi algo que extinguiu as pessoas? Poderemos passar por isso agora?
    Ou quando se fala nisso tudo, sobre alterações climáticas, era glacial, ciclo do Sol (a ponto de afetar algo drasticamente), seriam num futuro mais ou menos distante, não para o nosso tempo, futuras gerações? O que pode haver por agora?

    Obrigado!

    1. 1 – Já explicado a diferença entre Clima e Tempo aqui:
      http://www.astropt.org/2014/08/28/cosmos-decimo-segundo-episodio/comment-page-1/#comment-564328

      2 – Não sabemos. E a diminuição solar não é de longo prazo.

      3 – É credível. É questão de saber se existem mais variáveis.

      4 – Não se sabe. Não extinguiu as pessoas porque nós estamos aqui.

      5 – Não se está a falar de períodos temporais de uma década…

      abraços

  3. E muito extenso também. Um debate é bacana mas seja mais objetivo! 😉

    • Fernando Souza on 08/11/2013 at 00:40
    • Responder

    Teacher and Guru Olasninho

    Em primeiro lugar quero pedir desculpas pelas palavras sem acentuacao pois meu teclado esta com defeito em alguma teclas. Em varios artigos e videos publicados na internet, o pseudo duble de filosofo e vigarista Olasno de Carvalho(Olasno=Olavo+Asno) defeca pela boca teorias sobre as mais diversas areas do conhecimento humano bem como as regras que regem as relacoes humanas no mundo atual. A Historia ja presenciou o surgimento de inumeros charlatoes e vigaristas ao longo de seu curso, (…comentário editado…). Senao vejamos: Olasno proclama aos 4 ventos que ninguém pode acreditar na Teoria da Evolucao e que nao ha evidencias que possam comprova-la. (…comentário editado…) costuma afirmar que a Teoria da Relatividade, as Leis de Sir Isaac Newton e outras ideias e trabalhos brilhantes de espetaculares mentes humanas nao sao validas. (…comentário editado…) A humanidade so alcancou o atual estagio devido ao esforco de cientistas inteligentissimos que precisaram conviver e vencer ideias retrogadas e falsas, a maioria delas embasadas em puro fanatismo religioso. Olasno afirma tb ser capaz de provar que certas teorias nao existem, como a Primeira Lei de Newton, a Lei da Inercia. Burro imbecil. Se nao ha inercia como ele explica que um corpo nao esteja em movimento? Ha! Ja sei! Olasno explica tudo atraves da sua “fantastica” e “revolucionaria” teoria da “Paralaxe Cognitiva”. Se a ciencia e os cientistas que proporcionaram o desenvolvimento humano sao falsas, porque o “filosofo” picareta nao apresenta evidencias contrarias e provas cabais sobre suas teses idiotas e sem nenhum embasamento cientifico?
    Mas a picaretagem e a vigarice nao param por ai. Na sua ansia de explicar os problemas e questoes envolvendo a mente humana, (…comentário editado…) profere diversos cursos sobre estudos das mais diversas areas do conhecimento humano. Engracado. Nunca tinha visto um vigarista exercer tantas “profissoes” como Olasninho o faz: Medico, Engenheiro, Fisico, Psicologo, Historiador, Filosofo, Advogado, Administrador, Economista, o sujeito se arroga sabedor de tudo, absolutamente tudo em todas as areas do conhecimento humano. Entretanto, a mais “impressionante” “habilidade” do (…comentário editado…) Olasno é aquela na qual ele afirma ser capaz de fazer previsoes sobre o futuro, tudo gracas ao seu “poder” de “astrologo”! Sim, o sujeito é “astrologo”, inclusive disse que pode fazer “previsoes” sobre qualquer coisa, tais como desastres naturais que possam acontecer no planeta. Incrivel nao? So nao entendi como é que ele ainda nao ficou rico, pois ja que pode prever o futuro por que nao joga na Mega-Sena? Parece que o pequeno Olasninho aprendeu tudo com o seu grande mestre Walter Mercado. Ligue ja!!! As “Olasnetes” podem ficar tranquilas pois o Guru e chefe da Seita Olasniana ja deixou ate um trabalho postumo feito em vida. Quem quiser conhecer Os “Postulados” do Teacher e Guru Olasninho basta ir no link a seguir e conferir alguns pensamentos do Asno Mor: http://medicoanimosico.blogspot.com.br/2012/03/olavo-de-carvalho-o-palhaco-mor-da.html
    O que Olasninho escreve e produz sobre o conhecimento humano e ciencia nao causa surpresa a mim e a ninguem. Esta perfeitamente de acordo com as cretinices que (…comentário editado…). Afinal de contas, faz juz ao seu proprio nome: (…comentário editado…)

    1. Fui obrigado a editar o seu comentário em várias alturas, porque tornou-se indecente em várias alturas…
      O Fernando poderia expôr todas as mentiras sem precisar insultar gratuitamente a pessoa…

    • Marcelo Oliveira on 05/11/2013 at 00:00
    • Responder

    Nesse assunto de aquecimento global eu nem discordo e nem concordo, mas eu venho acompanhando Jonas e tb essa discussão desde aquele post Verdadeiros Ateus Verdadeiros Religiosos. será que o Cavalcanti e Carlos Oliveira e Henrique e todo o resto do astropt não perceberam que esse lelezinho-Jonas é um cara completamente doente? Ele diz que os crentes são perigosos mas o perigoso é ele.Eu já percebi à muito tempo que esse cara gosta muito de dizer que “enquadra” as pessoas, eu quero saber se ele é da polícia para dizer que enquadra os outros.

    Sou ateu e conheço ítalos-brasileiros e sicilianos e todos eles são religiosos e bem, é melhor deixar os outros se enforcarem por si próprios,

    Marcelo Oliveira.

  4. Águas profundas do Pacífico aumentaram 15 vezes a mais a temperatura que nos últimos 10 mil anos.

    “Unprecedented warming uncovered in Pacific depths”

    http://www.newscientist.com/article/dn24503-unprecedented-warming-uncovered-in-pacific-depths.html

    • Eduardo Pavilha on 31/10/2013 at 01:32
    • Responder

    Ola, sei que não tem muito haver com o conteudo do blog, mas queria que analisassem uma materia sobre uma possivel catastrofe mundial que pode ocorrer a partir da Usina Nuclear de Fukushima
    http://www.commondreams.org/view/2013/09/20-1
    sei que é um caso sério, mas achei essa materia bem exagerada e sensacionalista, o que vocês poderiam me dizer sobre isso? Obrigado.

    1. Prezado Eduardo Pavilha,

      A resposta é sim e não.

      O que ocorre na província de Fukushima, de conhecimento de todos, é uma severa questão ambiental que somente as etapas extremamente cautelosas de logística é que determinarão se estaremos diante de uma crise ambiental sem precedentes.

      A empresa responsável, Tokyo Electric Power Co, anunciou no final de setembro do presente ano, que as etapas para a retirada do combustível nuclear no Reator 4 da unidade nuclear serão iniciadas.

      Existem aproximadamente 11.000 bastões de combustível ao redor da Central Nuclear. Destes, 1331 deteriorados e 200 em bom estado, estão situados em um tanque, situado a 50 m de profundidade, no qual bastante danificado devido ao terremoto de 2011. O agravante é que este tanque está em cima de um prédio bastante igualmente danificado, com características de afundamento do solo, que pode cair a qualquer momento diante de expostos. Estes bastões de combustível estão revestidos em ligas de zircônio (o Zr é um refratário) que sofre ignição espontânea se exposto ao ar atmosférico. Ademais, o zircônio queima como uma chama extremamente clara.

      Portanto, torna-se evidente que estes bastões mantenham-se à temperaturas baixíssimas.

      Essa retirada pode durar 12 meses. É o fator crucial da operação. Os bastões que apresentam danos estão tortos e trincados, ao ponto de quebrarem. É necessário que a transferência destes bastões seja isenta de qualquer erro: qualquer falha poderá liberar grandes quantidades de radiação na atmosfera. O tanque pode cair no chão da Unidade, derrubando as varas juntas em uma pilha que poderia provocar fissão nuclear.

      Neste setor, estão armazenadas 400 toneladas que podem liberar cerca de 15.000 vezes mais radiação do que foi liberadas no fim da II Grande Guerra.

      Nesta semana, uma comissão de um partido japonês apresentou uma proposta que a empresa responsável pela Central Nuclear não participe de sua desativação. De fato, a Tokyo Electric Power Co vem apresentando uma série de falhas em seus procedimentos, mau planejamento, assim como acusações no que se concerne à falta de transparência nas atividades de limpeza no perímetro da Central.

      Os prejuízos desta operadora somam-se na ordem de US$ 30.000.000.000,00.

      Diante do grave exposto, foi solicitada uma ação conjunta mundial contendo os melhores cientistas e engenheiros nucleares para resolver a questão da usina de Fukushima.

      Lamentavelmente, o risco é real. O resultado, de fato, é catastrófico e não há exagero nisso.

      Entretanto, que o Eduardo Pavilha mantenha esta serenidade e mantenha-se informado pela mídia não-convencional acerca dos boletins minuciosos deste grave problema.

      Abraços.

      1. Excelente explicação Cavalcanti.

        Não quer fazer um artigo sobre esta problemática?
        Com os riscos reais… e desmistificar os riscos imaginados… sobre esta situação?

        abraços!

        • Cavalcanti on 31/10/2013 at 19:11

        Certamente, Carlos. 😉

        Levará algum tempo para a elaboração do artigo, contudo, certifico-o que será feito. 😉

        Abraços.

        • Eduardo Pavilha on 31/10/2013 at 19:13

        Obrigado pela explicação, eu estava bem preocupado no começo mas após muita leitura eu perdi um pouco dessa preocupação, o risco realmente existe e depende de um trabalho muito bem feito para evitar qualquer desastre, mas o que eu realmente reparei em minhas leituras é que o maior problema é politico.

      2. Obrigado 🙂

  5. Somos tantos. Produzimos tanta energia. E ainda produzimos muito em excesso. Invadimos todos os lugares porque o que necessitamos para viver é cada vez mais. E a nossa qualidade de vida e conforto é cada vez mais distante de viver na Natureza.
    Estive, há dias, a ver um documentário que falava nessas alterações, em 50 anos, quase duplicou a população. Só para termos arroz para todos e trigo, o que não teve que aumentar a produção. E vai tanto arroz para o lixo e vai tanto pão…
    É um bocadinho assustador porque hoje podemos ver imagens de há 50 anos atrás e as alterações são drásticas nas paisagens.
    Não sei se pudemos abrandar esta bola… Principalmente porque o conforto nos facilita tudo. Temos tudo à mão. E temos medo das aranhas em casa e repulsa de osgas, alergia ao pólen e as folhas das árvores na varanda, são uma calamidade.
    Veremos (ou não teremos tempo de vida suficiente para vermos) como nos vamos adaptar, nós e a nossa Natureza.
    Rodamos em ciclos e já houve tempos em que não havia vida nenhuma no planeta.

  6. Opa, espera aí AstroPT, vocês estão dizendo que o GRANDE OLAVO DE CARVALHO está mentindo ?

    Aquecimento Global por Olavo de Carvalho http://youtu.be/t8FgrKnk2AA
    Olavo de Carvalho sobre combustíveis fósseis http://youtu.be/Yso0O1kAztk

    Olavo de Carvalho REFUTA a teoria da relatividade http://youtu.be/cvVO3cnsp1c

    ps. agora vamos falar sério : http://youtu.be/qAc5d_8MpTc

    ps. Quando é que o AstroPT vai fazer um post desmascarando este pseudo-filosofo e seus vídeos anti-ciência e conhecimento ?

    ps. Seria divertido ver tudo que ele fala ser desmascarado, coloca-lo de vez no local que ele pertence : PSEUDO e VIGARISTA.

    1. Bem, eu lembro que a Teoria da Relatividade é provada milhões de vezes por dia, pelas pessoas comuns, sempre que utilizam, por exemplo, o GPS. Isto é só um exemplo de algo que ele poderia estudar, antes de mandar “bitaites” sobre coisas que não compreende 😉
      Claro que ele poderia também alugar um lugar de turista espacial e fazer ele próprio as experiências com relógios, e perceber que o tempo passa de forma diferente. Mas voltamos ao problema de cima: estudar estas coisas dá trabalho, e talvez ele pense que o tempo dele é melhor aproveitado não estudando nada, e somente se sentar numa cadeira dizendo que não compreende as coisas.

      abraços! 😉

    2. Novamente jovem Carlos Eduardo,

      Antes de se tecer qualquer crítica direcionada, é recomendável deixar a raiva de lado para não se perder a lucidez.

      O sr. Olavo de Carvalho obteve residência permanente aqui nos Estados Unidos da América há meia década, no qual mantém um programa semanal via rádio e internet que o senhor já possui conhecimento.

      É perceptível, em suas apresentações, que este senhor não é cientista, tampouco possui pleno conhecimento nas áreas da Ciência, sendo-lhe de grandes atributos e colocações interessantes e ponderosas no que se concerne aos campos da ECONOMIA e POLÍTICA.

      Não relacione a opinião deste senhor acerca do Aquecimento Global “Antropogênico” com algumas asneiras que o mesmo afirma com relação às outras áreas da Ciência.

      Por momento, declino-me ao que apresenta este novo relatório do IPCC. Enfatizo ao Carlos Eduardo que o IPCC não é um órgão científico, mas sobretudo governamental.

      _____________________________________________

      Possuímos um pé atrás quando retratamos acerca de coisas governamentais. Assumo-lhe que, quando estamos a afirmar o pronome pessoal “nós”, não estou a me referir à equipe deste sítio.

      _____________________________________________

      Apesar de este possuir expressões mais cautelosas neste novo relatório, apesar de aumentar seu grau de certeza em 95%, vários modelos climáticos de seus pesquisadores mostraram-se completamente improcedentes e, à medida do tempo, certificaremos de sua concretude. Para o bem; para o mal. Das espécies.

      Porém, como exemplo servil, não é devido ao fato de sermos amantes dos animais e/ou inimigos da convivência em sociedade, que nos lançaremos com raiva a tudo que se refere à atividade humana e sua inter-relação com ecossistemas aquáticos e terrestres – e, talvez, aos próprios seres humanos -, numa imperceptível confusão entre sentimentalismo e racionalidade.

      Há de se compreender de forma mais abrangente a dinâmica do clima e como se dará, de fato, seus ciclos naturais. Sobremaneira, uno-me em coro ao que afirma, com plena racionalidade, a srta. Ana Guerreiro Pereira num comentário outrora (a srta. Guerreiro pode ter mudado de opinião, obviamente, ao longo deste):

      “… a actividade antropogénica não provocou o aquecimento global. Intensificou-o e acelerou-o, sim; mas não o provocou. Como poderia provocar algo que é natural e que faz parte do ciclo climático natural?… mas, sem dúvida que o intensificámos e acelerámos (…) e, sabendo nós que o metano promove um efeito de estuda muito maior do que aquele que advém do CO2…” (artigo: Os Motivos do Aquecimento)

      Existem diversas outras variantes deste processo:

      – Levando-se, de fato, em conta a atividade humana com relação a toda dinâmica da Terra, houve apenas a aceleração dum processo que, antes de tudo, é cíclico;

      – Excentricidade da órbita da Terra; inclinação do seu eixo; e precessões dos equinócios são variantes que auxiliam nas taxas de radiação solar e, consequentemente, na temperatura global;

      – O último período quente, há cerca de 120.000 anos, obteve-se temperaturas mais altas que as médias atuais em cerca de 2 ºC, com variações positivas e negativas em cerca de 1 ºC nos últimos 10.000 anos (com exceção do Mínimo de Maunder);

      – Estamos num longo período interglacial, ou seja, acarreta o aumento nas temperaturas médias globais;

      – Com variações abaixo do esperado por década (0,05 ºC), é notório que houve subestimação da variabilidade natural;

      – Já ultrapassamos a marca de 400 ppm de CO2. Porém, não houve mudança significativa na temperatura média global nos últimos 15 anos. Não sabemos o motivo disso. O IPCC também não sabe ao certo.

      Reafirmo: Há de se compreender de forma mais abrangente a dinâmica do clima e como se comporta, de fato, seus ciclos naturais.
      ___________________________________________________________

      Por fim, afirmar que o senhor de Carvalho é um “pseudo-filosofo” é completamente inconsequente. A Filosofia, antes de qualquer conceito acadêmico, é a capacidade do livre-pensar e, partindo-se deste princípio, a ninguém deve ser postada a alcunha de “pseudo filósofo”.

      A forma como o Carlos Eduardo emite críticas ao Olavo de Carvalho vai além duma raiva qualquer pelo fato desse cidadão mostrar várias incongruências e negacionismos acerca de vários assuntos científicos.

        • Jonas on 04/11/2013 at 23:00

        Aqui explico melhor qual foi a minha tentativa de contribuição.

        Quando lidamos com evidências e a realidade do conhecimento, várias correntes são sempre contrárias: os pseudos, os ignorantes (que não conhecem o assunto) e os ideologistas, que vivem num mundo imaginário à parte.

        Aos ignorantes só basta informação e conhecimento para que aprendam e mudem o nível de consciência.

        Aos pseudos seria bom indicar um tratamento médico especializado, mas enquanto isso eles estão livres, emitindo opinião publicamente, maculando o conhecimento e desinformando. Você, Carlos, bem sabe como agir nesses casos. Os pseudos não buscam poder, mas iludem e enganam grupos específicos.

        Aos ideologistas, que são os crentes religiosos e os políticos, esses são mais perigosos, porque muitos estão diretamente ligados ao poder e tentam influenciar sociedades inteiras. Mascaram dados, fazem-se de cegos frente a evidências, tentam o poder e com isso ajudam a diminuir barbaramente o nível de consciência geral. Aos ideologistas é bom mostrar o espelho, porque não adianta apresentar argumentos nem evidências.

        (… comentário editado…)

        Então mostrei, mais uma vez, argumentos claros de como um ideologista não enxerga os dados óbvios do assunto, nem a realidade do mundo cientifico que é maior do que o IPCC (e que apoia o IPCC).

        Mostrei também como o poder do mundo político vê a situação pelo lado dele, ou seja, todos os paises, sejam ricos ou subdesenvolvidos, torcem barbaramente para que o IPCC provasse o contrário do que tem concluido.

        Então aparece o ideologista sugerindo, subrepticiamente (como todo ideologista faz), que a opinião do IPCC está sob suspeita porque é um órgão ligado a politicos.

        Que barbaridade.

        Os ideologistas não fazem muita questão de darem à mão à palmatória das crassas evidências. “Cavocam” argumentos contrários para desinformar, “esquecendo” de avaliar as reais e pilhas de evidências por mero interesse.

        Precisamos “enquadrar” as três “correntes” de desinformação acima, para o bem de todos nós.

        Vou perder tempo mostrando a um ideologista uma pilha 100 vezes maior de evidências? Para quê? Vai dar em nada, como sempre. Daqui dois, seis ou um ano o assunto virá novamente à tona e o ideologista citado acima vai vir com a mesma opinião de crente autoenganado, tentando provar o contrário.

        Se ideologistas tomassem decisões sobre o clima, por exemplo, que decisões seriam essas? Para melhor? Sério? Por isso a importância de “mostrar o espelho” e também “enquadrá-los”, para o bem de todos nós.

        Ciência faz bem e expande nossa consciência, já ignorância, mundo pseudo e ideologias são um atraso na consciência.

      1. Jonas,

        Vou-lhe pedir que se quiser usar nomes e acusar de algo, utilize o meu nome.
        (daí ter editado o seu comentário)

        Sim, eu sou um dos tais que você considera como ideologista, só porque penso que é uma arrogância humana considerar-se o Homem como o causador das alterações climáticas.
        Alterações climáticas sempre existiram. Se o Homem as “exagera” tornando-as “pior” ou “mais rápidas”? Isso tudo bem.
        Mas fazer do Homem o principal responsável por algo que sempre existiu há 4,6 mil milhões de anos é, para mim, um enorme disparate.

        É o típico “geocentrismo psicológico” que eu costumo caracterizar em quem acredita em naves espaciais a visitar diariamente este pequeno pedaço de pó no Universo, em quem acredita em seres espaciais muito preocupados connosco, em quem acredita que as estrelas ditam as nossas vidas.
        É querer fazer do Homem “especial”, o “senhor” desta terra, a maior influência que existe por cá.
        É uma enorme arrogância.

        Não é por isso que nego o que o IPCC diz. Não é por isso que digo que o IPCC está sob suspeita. Pelo contrário. Por isso esse argumento, comigo não pega.
        Nego sim as interpretações que se querem fazer, e não se ver as limitações todas que existem que permitem perceber que não se podem tirar essas conclusões.

        O Jonas diz-se ateu. O Jonas ataca todos aqueles que crêem em fantasias que colocam o Homem como o ser mais especial no universo.
        O mesmo Jonas faz exactamente o mesmo (a ideologia é similar – coloca o Homem como especial) no caso das Alterações Climáticas e não se apercebe disso. Pior do que isso, depois ataca as pessoas como se fosse um religioso a dizer que na Bíblia diz X por isso tem que ser X.

        Ainda recentemente deixei aqui um post sobre uma palestra que assisti sobre isto. E o especialista não tem uma ideologia. E precisamente por não ter essa ideologia é que consegue ver as limitações do conhecimento e das medições que existem actualmente.
        http://www.astropt.org/2013/03/19/horizontes-da-fisica-aquecimento-global-dominado-pelo-homem/
        (e não vou tornar a falar no incompreendido Sol… )

        Se eu quiser ser irónico, diria: as fábricas e os carros dos dinossauros ensinaram-nos que a revolução industrial feita por eles provocam o aquecimento global. Sim, porque ou foi essa a razão ou então o Homem convivia com os dinossauros nessa altura e foi o responsável pelo aquecimento global nessa altura.
        E essas fábricas dos dinossauros devem ter sido recriadas pelos Romanos…

        E deixe-me concluir: acho um perfeito disparate com tantas incertezas em relação a tantas variáveis, querer-se pegar em algumas centenas de anos e tirar-se conclusões para milhões de anos.
        Faz-me lembrar a célebre imagem que a NASA fez sobre a evolução do Universo, em que só recentemente a energia negra passou a “ganhar” e o Universo expandir-se a velocidades crescentes. Imagem bonita, já muito famosa, e que explica de forma simples a evolução do Universo. E o Jonas obviamente vai seguir essa imagem porque é baseada nos dados que temos.
        http://en.wikipedia.org/wiki/File:CMB_Timeline300_no_WMAP.jpg
        Mas ao falar com os cosmólogos que estudam mesmo este assunto, o que se fica a perceber? Esta imagem tira interpretações que os dados não mostram. Não se sabe como era para trás. Por isso, se pusessem a imagem com o Universo a contrair, a estabilizar, ou “aos soluços” no passado, estaria na mesma de acordo com os dados… porque eles não existem. A imagem é só um modelo sem dados fidedignos a suportar.
        E você sabe bem como eu defendo a NASA. Mas pronto… diga lá que por eu ter o conhecimento de como essa imagem foi feita, chame-me lá de ideologista anti-NASA… enfim…

        • Marcelo Oliveira on 05/11/2013 at 00:48

        Jonas na boa eu já estou até vendo uma futura lápide: “aqui jaz o mártir ateu extremista, defensor dos fracos e oprimidos”.

        Você não me representa e eh uma vergonha para as pessoas de bem, são pessoas que nem você, Dawkins e Christopher Hitchens que envergonham nosso ateísmo! Chega dessa porcaria de ateísmo militante que não sabe o que defender,

        Marcelo Oliveira.

      2. Marcelo, esse comentário também não traz nada positivo ao debate.
        O facto do Jonas ser ateu ou não é completamente irrelevante para o assunto. Ele até pode acreditar no Monstro de Esparguete Voador. Isso é irrelevante para este debate. Você está a utilizar Ad Hominem, está a desrespeitar.

        • Marcelo Oliveira on 05/11/2013 at 02:00

        Caro Carlos Oliveira

        Eu acho que não me fiz entender, nos meus quase 45 anos bem vividos eu já me deparei com muito crente babaca que disse que vou pro inferno, mas o difícil é eu ir pro lugar que só existe na cabeça deles.
        Mas eu nunca na minha vida vi tanto ateu que está se tornando a mesma coisa que os fundamentalistas da religião, eu gosto desse site sem dúvida é o melhor de todos por que ele faz o contra balanço de tanto extremismo existente, e um artigo interessante e comentários de riqueza de Homens serem encobertos por tanta besteira desse leitor. Agora Eu me fiz entender, cara?Um abraço!

        Marcelo Oliveira.

    3. Carlos Eduardo

      São exatamente motivações ideológicas que fazem com que seis cientistas (de 1000 que estudam o assunto) defendem que o aquecimento não é antropogênico, e não a realidade. Um desses seis é um tal de Molion, brasileiro.

      Molion é comunista e acha que tudo que envolve decisão cientifica de grande impacto econômico é conspiração dos capitalistas ricos contra os subdesenvolvidos.

      Foi exatamente isso que aconteceu quando disse, no passado, que a decisão do Protocolo de Montreal sobre a proibição do uso do CFC foi uma conspiração dos ricos.

      Mas o que aconteceu na real? Não só os paises ricos saíram na frente e pagaram a mudança, como criaram uma conta financeira de participação a fundo perdido, repassado para países subdesenvolvidos, para ajudá-los. Entretanto, como todo ideológico tradicional, não olhou a realidade para comparar com o que pensa, pois isso mudaria a própria visão ideológica, coisa que nenhum crente de ideologias gosta de fazer. Molion não fez o dever de casa e mantém até hoje a ideologia conspiracionista.

      O sr. Molion, seguindo a tradição dele mesmo, agora mudou o foco, é contra o aquecimento antropogênico, não percebendo (porque tem um cérebro ideológico) que:

      1. há milhares de outros cientistas estudando o assunto, usando equipamentos e dados de ponta, de dezenas de áreas diferentes, pertencentes a universidades, empresas e órgãos independentes de governos, lendo e estudando os dados, de forma séria e responsável, e chegando às mesmas conclusões do IPCC, ficando evidente que a conspiração imaginada por Molion é tão inverossímil quando a ideologia que ele defende.

      2. os países ricos vão ter de pagar a conta da mudança da matriz energética, isso é óbvio, assim como aconteceu com o caso da camada de ozônio. Será uma conta exponencialmente muito mais alta pois eleva o preço básico de tudo, dificultando a vida econômica e social das pessoas. Esse fato não é bom para políticos que querem ser eleitos ou se reelegerem. Se o IPCC fosse um órgão político, apenas, obrigaria os cientistas a dizerem para as sociedades isto: “o aquecimento é natural e não temos nada a fazer” ou… “não existe aquecimento”, pois é muito mais fácil cruzar os braços e não fazer nada, indo por essas conclusões.

      3. mas quando se faz ciência e com tanta gente fora do IPCC estudando paralelamente o assunto, ficaria feio para os cientistas do IPCC falsificarem dados para que atendessem a vontade política dos governos, que seria deixar tudo como está pelo alto preço a se pagar para a mudança.

      4. alguns paises ricos já saíram na frente por conta da pressão social, como a Alemanha, por exemplo, e o que acontece? Aumentaram o custo de vida, a taxação de impostos e o preço dos produtos que vendem para o exterior, dificultando barbaramente fechar o números da balança comercial de forma favorável. Eis a prova que ninguém dos ricos nem dos pobres quer por esse caminho, vão ter de pagar uma conta alta de prestígio popular.

      5. além da grande perda de prestígio popular com o aumento de custo de vida, outro grande empecilho é a grande crise econômica deflagrada em 2008, que ainda repercute no mundo, fazendo com os ricos adiem todos os dias a decisão de fazerem investimentos nas mudanças. Mais esse fato poderia levar à pressão política para que os cientistas do IPCC mentissem para atender os interesses de não investimento dos atuais políticos, mas o que se vê, na real, é uma conclusão do IPCC que não tem repercutido nas decisões governamentais. Nota-se a permanente decisão de adiar toda uma discussão sobre o clima no nível político, pois nem países pobres muito menos a maioria dos paises ricos querem encarar a realidade.

      Então, por que cito especificamente o sr. Molion? Porque o Cavalcanti é um dos fieis seguidores do mesmo pensamento, por isso tanta defesa da mesma visão contra o aquecimento antropogênico, tentando convencer os incautos de que a conclusão do IPCC é uma mera decisão de “vontade política” dos países ricos. Isso é obviamente dissociado da realidade por conta dos motivos que citei acima. A dissociação é típica de ideologistas, sejam religiosos ou políticos.

      —————————

      Sobre o destrambelhado do Olavo de Carvalho, sabia que ele foi astrólogo? Sabia também que ele é cristão fanático, ao ponto de dizer que a ressurreição, os milagres e que Cristo nasceu de uma virgem inseminada por um deus, que tudo foi real porque cumpriu as profecias? rsrs…

      Com pessoas desse “nível operacional” de funcionamento do cérebro, não vale a pena rebater, é tempo perdido, mas estudar o cérebro do Olavo seria muito útil para a neurociência.

      1. Eu gostava de saber em quê que este comentário contribui positivamente para o debate…

        • Cavalcanti on 03/11/2013 at 02:08

        “… que o Cavalcanti é um dos fieis seguidores do mesmo pensamento, por isso tanta defesa da mesma visão contra o aquecimento antropogênico, tentando convencer os incautos de que a conclusão do IPCC é uma mera decisão de “vontade política” dos países ricos.”

        Pra você, moleque insolente, é senhor Cavalcanti. Suas extrema falta de educação é fruto duma mente imbecil onde a velha psicologia infantil deveria ter sido mais presente em sua vida.

        Sua paranóia contra religiosos deve ser tratada imediatamente com um psiquiatra de excelente qualificação.

        Não é compreensível, por qualquer via racional, que este sítio, tão bem frequentado, ainda permite comentários insultuosos de haters que absolutamente não contribui em nada para a sociedade.

        • Jonas on 04/11/2013 at 22:09

        Carlos,

        sempre é bom mostrar a motivação ideológica que “escurece” a realidade e “contamina” dados, fazendo-se do contra, esquizamente, a evidências absolutamente claras.

      2. Jonas, falar de evidências ou falta delas não é “motivação ideológica”. Por exemplo, argumentar correctamente que existem variáveis que não conseguimos quantificar exactamente, como a influência solar, não é motivação ideológica.
        Ataques pessoais e argumentos Ad Hominem, isso sim é abuso e ideologia.

        O Jonas tem comentários fantásticos, dá argumentos baseados em conhecimento dos assuntos, e sem qualquer sentido, cai no erro de incluir insultos de índole pessoal que não são admissíveis, não são racionais, e têm o condão de apagar todo o conhecimento que o Jonas nos traz. Parece-me claramente um tiro no pé da sua parte.
        A ideologia do ódio faz com que todo o seu conhecimento se perca…

  1. […] mas negam que se possa afirmar que o homem é o principal responsável. Não se nega as conclusões tiradas por equipas de cientistas, mas não se percebe porque colocam de parte as críticas de vários cientistas às limitações […]

  2. […] mas negam que se possa afirmar que o homem é o principal responsável. Não se nega as conclusões tiradas por equipas de cientistas, mas não se percebe porque colocam de parte as críticas de vários cientistas às limitações […]

  3. […] – Alterações Climáticas (tag): Climategate. Farsa. Degelo na Groenlândia. Palestra. Relatório do IPCC. Concordância. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.