MAVEN a caminho de Marte

lancamento_MAVEN_181113_CaboCanaveralLançamento da sonda MAVEN, em Cabo Canaveral, na Florida, EUA.
Crédito: NASA/Bill Ingalls.

A sonda americana Mars Atmosphere and Volatile Evolution (MAVEN) iniciou ontem, pelas 18:28 (hora de Lisboa), a sua viagem de 10 meses em direcção ao planeta vermelho. O lançamento da sonda da NASA foi levado a cabo por um foguetão Atlas V, a partir do Complexo de Lançamentos Espaciais 41, em Cabo Canaveral, na Florida, EUA. Vejam em baixo:

 

A MAVEN irá explorar as camadas superiores da atmosfera marciana e as suas interacções com o vento solar. Os dados da missão serão usados para determinar os níveis de perda de compostos voláteis atmosféricos para o espaço ao longo do tempo, e o papel que essa erosão da atmosfera teve no clima e na habitabilidade do planeta.

A sonda transporta consigo três conjuntos de instrumentos científicos. O primeiro, o conjunto Partículas e Campos, é composto por seis instrumentos, que irão caracterizar o vento solar e a ionosfera de Marte. O conjunto de Detecção Remota inclui um espectrómetro de ultravioletas, e irá determinar características globais da alta atmosfera do planeta e da ionosfera. O terceiro conjunto é formado por um espectrómetro de gás neutro e de massa iónica, e terá como tarefa medir a composição e os isótopos dos iões atmosféricos.

MAVEN_artRepresentação artística da sonda MAVEN.
Crédito: Lockheed Martin.

Se tudo correr bem, a MAVEN alcançará Marte a 22 de Setembro de 2014. Após uma primeira queima de combustível, a sonda será capturada pelo planeta numa órbita inicial com um período de 35 horas e uma periapse de 590 quilómetros. Pouco depois, seguir-se-á uma segunda queima que colocará a MAVEN numa órbita com um período de apenas 4,5 horas. As últimas três queimas irão reduzir a altitude da periapse para aproximadamente 150 quilómetros, posicionando a sonda na trajectória ideal para iniciar a fase científica da missão. A missão primária durará um ano terrestre e incluirá cinco mergulhos destinados à obtenção de amostras da atmosfera superior do planeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.