Filho morre devido às crenças da mãe

Por vezes perguntam-nos porque escrevemos tantos artigos a avaliar as alegações pseudo. Supostamente devíamos deixar em paz as crenças das pessoas. O problema é quando essas crenças são um perigo social… levando à extinção de animais e ao assassinato de pessoas.
Todos os dias existe no mundo alguém a colocar a sua ideologia acima da realidade, e com isso leva à morte de inocentes. Penso que tentar prevenir alguns destes exemplos é socialmente aceitável.

Este caso passou-se no Canadá. Um miúdo de 7 anos tinha uma infecção bacteriana (estreptococos) que seria facilmente tratada com penicilina. A mãe recusou levar o filho a um médico, preferindo tratá-lo com homeopatia e ervas medicinais (supostamente naturais). O filho morreu. A mãe vai ser processada por negligência.

Como expliquei neste artigo: a verdade não é democrática nem depende das nossas crenças. A verdade é-nos ditada pela natureza.
Neste caso, a mãe acreditava nas vigarices dos tratamentos alternativos. As bactérias não acreditam em nada disso. Como sempre, a natureza ganha.

9 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Aqui no Brasil uma mãe evangélica prefere deixar seu filho morrer a receber uma transfusão de sangue.

    • Betinho Floripa on 02/12/2013 at 13:39
    • Responder

    Know How

    http://www.youtube.com/watch?v=r_IYHJXf7Vs#t=82

  2. O que causou o falecimento do garoto não foi a religião da mãe e sim o fanatismo e fundamentalismo.
    Tenho nada contra teísmo ou ateísmo, mas fanatismo é sempre prejudicial.

    1. Precisamente. Correcto. Daí que em lado nenhum se falou de religião.

  3. Já houve um tempo em que a chamada medicina “tradicional”, foi medicina alternativa. Se todas as pessoas que recorrem à medicina alternativa morressem, eu diria que até tem razão no que diz. Como só apresenta um caso e generaliza, acho que vou continuar a pensar o mesmo de sempre. Nem uma nem a outra medicina é dona da verdade absoluta. Temos que ver que técnico é que temos à frente quando nos queixamos de alguma maleita. E de estarmos bem seguros que comprendemos as suas instruções.

    1. Não dei só um caso. Se ler o nosso blog, lê mais casos.

      Sim, as técnicas alternativas (medicina alternativa não existe. Ou é medicina ou não é) deixam de ser alternativas quando se provam como correctas. Quando após milhares de estudos, se comprovam como incorrectas, então são somente esquemas vigaristas para enganar as pessoas. É o que acontece com a homeopatia e outras supostas técnicas alternativas.

      Sim, existe a verdade absoluta. 2 + 2 = 4. A gravidade funciona de determinada forma (com maior intensidade na direcção do centro de massa) e não no sentido contrário. A eletricidade está subjacente a algumas leis. Para o Albino estar na internet, está a utilizar algumas dezenas de leis e teorias científicas que se provam como verdade absoluta (senão o Albino não podia estar na internet). O Albino utiliza milhões de “verdades absolutas” todos os dias. O seu desconhecimento delas não é razão para argumentar que não existem.
      Quando alguém lhe diz que a electricidade só existe quando o Albino usa uma camisola vermelha e se prova que isso não é verdade (porque mesmo com camisolas verdes, a luz funciona da mesma forma), então essa pessoa está a mentir. É o caso da homeopatia.

      abraços

        • Daniel on 02/12/2013 at 21:40

        Esta resposta fez o meu dia. 😀

  4. Triste isso 🙁

    Carlos, você que mora no Texas, sabe se ai tem alguma lei que protege pais que escolheram usar faith healing para tratar dos filhos ao invés de leva-los a um hospital?

    1. No Texas, ou melhor, por todos os EUA, vale mais os direitos individuais.
      Note que os filhos nem precisam de frequentar escolas. Podem ter home schooling (os pais ensinam em casa como quiserem).

      abraços!

  1. […] coisas que irão matá-lo). Acreditar numa informação falsa não é brincadeira quando se deixa um filho morrer por acreditar em curas alternativas, por […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.