Novidades fresquinhas do cometa ISON: adeus, até sempre!

Imagem às 16 horas:

latest16h

Esta é a imagem mais recente do cometa ISON (19h42m), que podem ver aqui:

latest19h

Esta imagem foi tirada perto das 20 horas de hoje, e vêem-se fragmentos e uma nuvem de poeira (parte de cima da imagem).

Este parece ter sido o percurso do cometa: passou pela nossa órbita com um núcleo intacto. Ao aproximar-se do Sol, o núcleo começou a ficar fragilizado. À medida que se aproximava mais, a gravidade levou à fragmentação do núcleo. Os fragmentos continuaram unidos gravitacionalmente como se fossem um corpo único; no entanto, já existiam fissuras entre os vários fragmentos, o que levou a um aumento da sublimação e consequente aumento do brilho do cometa. A passagem pelo ponto mais próximo do Sol fez com que ele perdesse grande parte dos fragmentos, além de muito gás e poeira. Apesar disto, alguns fragmentos permanecem gravitacionalmente juntos, e alguns fragmentos poderiam ainda ter um tamanho razoável. Assim, continua a ver-se um ponto de luz após a passagem pelo periélio. No entanto, à medida que o cometa se volta a afastar do Sol, impelido pela “fisga gravitacional”, os fragmentos gradualmente afastam-se uns dos outros, funcionando como corpos independentes. Cada um desses fragmentos está agora a desintegrar-se e o cometa perde rapidamente o pouco brilho que ainda tinha. A nuvem de detritos, restos do cometa, continuarão a seguir a mesma órbita do cometa original. No entanto, a evaporação individual fará com que eles deixem de ser vistos gradualmente. Teremos somente poeira.

Esta parece ser uma explicação consistente tendo em conta todos os dados que temos recebido sobre o cometa.

Entretanto, o piloto Brian Whittaker voou sobre o Ártico, a norte do Canadá, de modo a tentar ver se o cometa tinha sobrevivido. Nada viu.

so long

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. será que o ison mesmo n nos dando um show poderá nos dar uma alegria de uma chuva de meteoros boa?

    1. Não 🙂
      Chuvas de meteoros acontecem quando os cometas passaram pela órbita da Terra e deixaram poeira nessa órbita. ISON não vai passar por aqui 😉

  2. Pense num cometa imprevisível

  3. Claro que, com este cometa… nunca se sabe se ele “voltará do reino dos mortos” novamente… 😛

Responder a Jean Lucas Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.