Extraterrestres na nossa atmosfera ?

comet-elements-life

O Journal of Cosmology tem-nos presenteado com várias “provas” da existência de vida extraterrestre. Podem ler esses artigos, aqui.
As supostas evidências têm sempre tantos buracos que é inadmissível que esse journal tente divulgar filosofia e desejos pessoais como se fossem ciência.

Ainda recentemente foi sobre suposta vida extraterrestre na estratosfera, como podem ler neste artigo.
Curiosamente, “esqueceram-se” de estudos que mostram – esses sim demonstram – que existem mecanismos atmosféricos que levam microorganismos para a alta atmosfera (para além das erupções vulcânicas). Leiam aqui, aqui e aqui. A área que estuda estes organismos na atmosfera chama-se Aerobiologia.

No entanto, para os investigadores que publicam no Journal of Cosmology, se não sabem explicar, então só pode ser extraterrestre.

therefore aliens

O famoso PZ Myers escreveu um artigo muito crítico sobre esta suposta descoberta, aqui, concentrando-se especialmente no facto dos autores decidirem se algumas amostras são vida ou não “a olho”.

O famoso Phil Plait é também bastante crítico, neste artigo. Plait diz que o artigo original mostra que a metodologia utilizada e as conclusões tiradas sofrem de várias falhas. Por exemplo, nenhum especialista em diatomáceas confirmou que se tratava realmente de diatomáceas, simplesmente os autores assumiram essa identificação. Os supostos organismos não estavam ligados a quaisquer meteoritos que os transportassem de outro planeta para a Terra (não existe qualquer evidência nas amostras). Diatomáceas são abundantes na Terra, em ambientes aquáticos (caso fossem transportados em asteróides, estes organismos unicelulares morreriam, porque lhes faltava o ambiente aquático necessário para sobreviverem durante milhões de anos). Por outro lado, como são abundantes na Terra, não é necessário que venham do espaço para existirem no nosso planeta; simplesmente podem ter sido levados temporariamente para a alta atmosfera devido a processos atmosféricos violentos (como fortes tufões).

Crédito: IFLS

Crédito: IFLS

Apesar da falta de credibilidade científica deste journal, a comunicação social divulgou todo este sensacionalismo sem qualquer sentido crítico. Procurem no Google por “Milton Wainwright”, “vida” e “estratosfera”.

O histórico sensacionalista do Journal of Cosmology levou à criação de um fluxograma, que andou a ser partilhado no Facebook:

fluxograma

3 comentários

2 pings

  1. Sem contar que o garboso nome “Journal of Cosmology” é bastante persuasivo ante incautos, desavisados ou mesmo entre os jovens incipientes em ciência. Um perigo.

  2. Já eu que acredito na Panspermia.

    Também creio que ela não ocorreu só uma vez, mas diversas vezes e ainda pode estar ocorrendo.

  1. […] suas crenças como se fossem evidências científicas. No ano passado, escrevemos 2 artigos (aqui e aqui) sobre esta […]

  2. […] (colisão de cometas). Yamato 000593. Richard Hoover. Chandra Wickramasinghe. Vida na estratosfera (crítica). Vida veio de Marte. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.