Google+

«

»

Dez 15

Criacionista – a visão de Universo de uma Pseudociência

noodledoodle1280_10241Criacionismo ou Teoria da Terra Jovem é a crença religiosa de que o Universo, a Terra e toda a vida terrestre foram criados por atos diretos do Deus Abraâmico durante um período relativamente curto de tempo, em algum momento entre 5.700 e 10.000 anos atrás. [wikipedia].

Devo lembrar que. embora essa forma de visão criacionista seja a mais comum, ela não é a única – há outras como o criacionismo de terra-antiga, que aceita os bilhões de anos adotando apenas o Deus Abraâmico como autor de todos os processos naturais. Os criacionistas de terra-antiga geralmente são atacados pelos de terra-jovem acusados de distorcer a literalidade bíblica (gênesis).

O Criacionismo, no geral, é uma pseudociência baseada em crença religiosa e fundamentalismo bíblico, junto com suas formas principais, o Design Inteligente e a Geologia do dilúvio, ela contradiz o consenso científico em geologia, física, química, genética molecular, biologia evolutiva, arqueologia e paleontologia. Assim, mantém-se à margem da comunidade científica. Não publicam em revistas científicas e nem participam de seminários ou congressos abertos à comunidade científica. Cientistas verdadeiros, por outro lado, expõem suas ideias à crítica de seus pares: submetem seus artigos a publicações científicas e apresentam seus resultados em seminários, conferências e congressos.

Metodo-Cientifico-vs-Metodo-Criacionista

O criacionismo não se baseia em conhecimento científico, mas em fundamentalismo e especialmente em obter fiéis, e usa da religiosidade para afastar as pessoas da Ciência legítima, e esse é o grande mal da atualidade.

Querendo expandir sua pseudociência e afastar o público geral do conhecimento científico verdadeiro, os criacionistas não economizam esforços em fazer ataques medíocres a inúmeras visões científicas que já são consenso em outras áreas, que não apenas a Evolução das Espécies, Geologia e Paleontologia. Eles vieram a formar um conjunto de argumentos para duvidar dos principais conhecimentos que temos sobre o Universo, sua origem, evolução e idade – Vejamos alguns deles, e porque não procedem:

 

1 – Winding-up Dilemma – As estrelas da nossa galáxia, a Via Láctea, giram em torno do centro galáctica a velocidades diferentes – as do interior rodando mais rapidamente que as do exterior. As velocidades de rotação observadas são tão rápidas que se a nossa galáxia tivesse mais do que algumas centenas de milhões de anos, ela seria um disco de estrelas sem forma em vez da forma em espiral actual.

(darwinismo.wordpress).

Quanta falta de noção em apenas um parágrafo de uma matéria de falsa-ciência. Estrelas em uma galáxia realmente movem-se à mesma velocidade, as perto do centro e as próximas da borda têm a mesma velocidade. Isso não é um dilema: as galáxias permanecem com aspectos espirais porque os braços, em que essa argumentação se baseia, estão constantemente entrando e saindo com o desenvolvimento das estrelas. Os braços espirais são mais visíveis do que o resto da galáxia, pois eles contêm ricas regiões de formação estelar. A distribuição atual da matéria em uma galáxia é muito mais uniforme do que os braços parecem indicar – vemos os braços, pois eles contêm estrelas jovens super-maciças. A forma clássica de espiral está mais para aparência do que para a física do corpo galáctico, que de fato está mais para disco.

Estas estrelas azuis e luminosas têm uma vida útil média de 10 milhões de anos ou mais. Braços espirais tendem a desaparecer conforme estas estrelas massivas morrem e as novas regiões de formação estelar surgem por sua vez, por causa do momento angular (não diferentes velocidades das estrelas) e o processo envolver em torno de uma galáxia – eles mudam, mas nunca acabam. Umas regiões apagam, outras ascendem, como luzes de natal.

 

2 – Poucos restos de Supernova:

De acordo com as observações astronómicas, as galáxias como a nossa são palco de uma supernova (estrela violentamente explosiva) de 25 em 25 anos. O gás e a poeira resultantes de tais explosões (como a “Crab Nebula”) expandem-se rapidamente para o exterior e deveriam-se manter visíveis por milhões de anos.

No entanto as partes da nossa galáxia onde nós podemos observar tais gases e poeiras acomodam apenas 200 resquícios de supernovas. Este número é consistente com apenas 7,000 anos de supernovas.

(darwinismo.wordpress)

Outro Argumento trazido por um conhecimento precário sobre Astronomia, visto que os resquícios que observamos não são todas as supernovas que já ocorreram *e o exemplo utilizado, a nebulosa do Caranguejo, é uma nebulosa remanescente extremamente recente, é óbvio que não se dissipou ainda* – o que deixa esse argumento mais infantil ainda. Nuvens como o Complexo de Carina, que são massivos berçários de estrelas, ou nuvens como a que formou o Sistema Solar, também contém restos de Supernovas insondáveis ocorridas no passado e expandidas completamente – os átomos pesados de nossa constituição, como o Ferro, vieram de supernovas.

Fora a falta de lógica, tem também a falta de verdade: o texto está redondamente errado: a média verdadeiramente estabelecida de Supernovas é em torno de 3 supernovas por milênio em cada lado da galáxia – e só podemos mesmo observar um lado.

 

3. Os cometas desintegram-se rapidamente.

De acordo com a mitologia evolutiva, os cometas deveriam ter a mesma idade do sistema solar – cerca de 5 mil milhões de anos. No entanto, cada vez que um cometa navega perto do Sol, ele perde tanto da sua composição que não poderia sobreviver mais do que 100,000 anos. Muitos comentas possuem idades na ordem dos 10,000 anos.

(darwinismo.wordpress)

Devo lembrar que o darwinismo.wordpress, precário em qualidade de escrita e conteúdo, acha que evolucionismo fala de cometas…, coloca tudo no mesmo pacote, um ato sumariamente infantil e sem noção das áreas científicas. Chega a ser cômico.

Este provavelmente é o argumento mais fraco de todos. O autor se prende a um erro grosseiro de achar que todos os cometas portar-se-ão da mesma forma, sem sequer se dar ao trabalho de pensar que cometas podem ter composições, tamanhos e órbitas diferentes: um cometa pode ter o tamanho de Júpiter, se passar perto demais do Sol será desintegrado em sua primeira passagem pelo Sistema Solar Interior; assim como pode ter o tamanho diminuto do Halley, se o seu periélio passar a uma distância segura do Sol ele poderá perdurar por milhares de milhões de anos. Os Cometas tem duas origens principais: O Cinturão de Kuíper – de onde vêm os de curto-período, e os da Nuvem de Oort (região cuja existência já é praticamente certa, mesmo que não observada), os chamados de longo-período.

 

4. O campo magnético da Terra está a decair depressa demais.

A resistência eléctrica do núcleo da Terra gasta a corrente eléctrica que produz a campo magnético do nosso planeta. Isto causa a que o campo perca energia rapidamente.

A energia total retida no campo magnético da Terra está a decrescer com uma meia-vida de 1,465 (± 165) anos. As teorias evolutivas que tentam explicar este rápido decréscimo – bem como a Terra pôde manter o seu campo magnético durante milhares de milhões de anos são muito complexas e inadequadas.

(darwinismo.wordpress)

Pelos vistos, aos olhos deles, todos os ramos da ciência são evolucionistas, ateus e darwinistas… Para mim não há prova mais cabal de que a Pseudociência desse site extrapola até o comportamento da pseudociência querendo se passar por ciência, revelando total ausência de noção sequer sobre áreas científicas. Então, ele cita as explicações das teorias evolutivas para o decaimento do campo magnético como complexas e inadequadas, mas fora que isso é assunto de geofísicos, e não de evolucionistas, ele apenas afirma, sem nenhuma argumentação.

O Campo magnético da Terra se inverte num período em média a cada 300.000 anos, e em relação aos registros que temos a última reversão parece bem atrasada, e isso é mais que suficiente para imagina-la eminente, ou que não acontecerá, e em ambos os cenários já explica o porquê do decaimento.

 

Essa série de Argumentos contra a idade reconhecida pela ciência sobre a Vida, a Terra e o Universo, com argumentos tão ou mais fracos em outras áreas, como biologia, genética e geologia, está apenas sendo seguida religiosamente por pseudos de canais como o darwinismo.wordpress, pois sua principal origem é um Físico chamado Russell Humphreys criacionista com PhD, que mesmo com essa formação, comete erros grosseiros e praticamente não dispõe de nenhuma respeitabilidade acadêmica, tendo refutadores até mesmo no campo criacionista.

Sobre o principal fator determinante ao Universo ter bilhões de anos, que a luz dos objetos distantes no Universo que leva bilhões de anos para chegar aqui, Russell recorre à invenção de um modelo relativista alternativo que diz que o fluxo do tempo nas partes mais antigas e distantes do cosmos se passará diferente de nossa percepção – bilhões de anos no Universo antigo como equivalentes a poucos dias em nossa percepção atual.

A hipótese de Russell está ausente de evidências lógicas, muito menos físicas. Diferente do que devem ter sonhado os criacionistas que seguiram sua concepção, Russell não tem nenhuma “Magic Bullet”, nem tampouco alguma respeitabilidade entre outros Físicos. Seu modelo não consegue sequer explicar estrelas locais, a alguns milhares de anos-luz de distância em nossa própria galáxia. Uma mudança nos níveis de energia dos átomos (que essa ideia implicaria) mudaria as frequências nas quais a luz é emitida de uma forma que seria observável. A falta de tais observações exclui o mecanismo de arrefecimento de Humphreys como uma possibilidade razoável.

Mas nada disso muda algo para os Criacionistas, pois eles se baseiam em profundo fundamentalismo religioso antes de qualquer realidade, e sempre estarão a dar crédito a Pseudos que falem o que eles querem ouvir, em lugar do que eles precisam ouvir. É por isso que a Ciência só conseguiu progredir e descobrir o Universo quando se separou definitivamente do pensamento religioso.

 

Links:

 

 

Acerca do autor(a)

Jonatas

Sou Analista de Sistemas, Técnico em Informática e estudante autodidata de Computação Gráfica, Física, Astronomia e Astrobiologia. Já trabalhei com Artes Plásticas, e apresentei um projeto de Aplicações Web no Fórum Internacional do Software Livre, desenvolvido com minha colaboração.

30 comentários

3 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. rodrigues

    Acho que a velocidade de rotação da galáxia não é bem explicada ainda, pois se recorre à matéria escura (matéria que não é entendida, embora, ao menos, seja algo que se pode tentar detectar). Também, é claro que pode existir muita coisa cuja a explicação ainda seja incompleta. Porém, é evidente que o pior recurso é recorrer a um deus para explicar o que não se entende (já que não há nenhuma proposta séria sobre como verificar empiricamente a existência de deus, ou a forma como ele agiria).

    Então, considero que a forma mais interessante de questionar o criacionismo é analisar as explicações criacionistas.

    Gosto muito desta série de vídeos no Youtube: Why do people laugh at creationists? – http://www.youtube.com/results?search_query=Why%20do%20people%20laugh%20at%20creationists&sm=3

  2. Gerardo Furtado

    Excelente texto, e obrigado por unir forças contra essa baboseira que é o criacionismo.
    Gostaria de fazer apenas uma pequena correção: a inversão do campo magnético terrestre é um fenômeno caótico. Veja só:
    http://www.diagnosis2012.co.uk/mag2.gif
    Pode-se até calcular uma “média”, dividindo-se o intervalo de tempo pelo número de inversões, mas essa “média” não significará nada. O fato da última inversão ter sido a x anos não interfere na próxima inversão, que pode se dar amanhã, daqui a 400 mil anos ou daqui a 5 milhões de anos… ou seja, não podemos imaginá-la atrasada nem iminente.
    Há uma discussão sobre isso no excelente “dos ritmos ao caos”, que trata de caos determinístico:
    http://books.google.com.br/books/about/Dos_ritmos_aos_caos.html?hl=pt-BR&id=an34zkU5-sMC

    Abraço,

    1. Jonatas

      Obrigado Geraldo, tens razão. Abraços

  3. Rafael Rodrigues

    Muito bom o artigo. Só é triste que ainda se precise refutar algo tão absurdo e sem embasamento quanto o criacionismo e seus derivados pseudocientíficos (e, infelizmente, se precisa mesmo)…

  4. BetinhoFloripa

    Amigos…

    http://www.nadamal.com.br/2013/12/16/melhor-amigo/

  5. Carlos Oliveira

    Eu tenho dificuldades em compreender as pessoas que negam a Evolução com base na ideologia.
    Essas pessoas não negam a evolução com base em argumentos da biologia ou outras ciências, porque não são especialistas nelas. Simplesmente aderem à ideia de que tudo sempre foi assim e sempre será.
    Tendo em conta que diariamente a única constante é a mudança, incluindo em nós (barba cresce, ficamos mais velhos, etc), é para mim inacreditável como alguém nega a mudança constante e gradual.

    Mas enfim…

    abraços

    1. Jonatas

      Uma frase bem ajustada, Carlos, minha avó já dizia:

      “A pior ignorância é aquela que se escolhe ter.” – Penso ser exatamente o que se passa com os criacionistas.
      Abraços

  6. Mário Sotomaior

    Contrariamente ao que é geralmente aceite, não foi Darwin o autor da teoria da evolução das espécies. Teorias sobre a evolução das especies, tem centenas de anos, podendo encontrar-se referencias desde a época Greco/Romana.(Ver no youtube: Lec 1 | MIT 21L.448J Darwin and Design). Lamarck, que viveu algumas décadas antes de Darwin, defendeu com toda a clareza a evolução das especies.
    O que torna Darwin genial, foram as duas descobertas que demonstram como se deu a evolução, e que dão consistência cientifica á então teoria evolutiva.
    A seleção natural e a seleção sexual, comprovadas por posteriores descobertas na área da biologia tornam a evolução num facto incontornável.

  7. Betinhofloripa

    Algumas pessoas simplesmente negam a realidade…e acreditam em coisas sobrenaturais…poderes…e coisas assim…
    Entretanto, há sempre gente que não se deixa iludir com histórias para assustar crianças..

    http://www.youtube.com/watch?v=t6XldR7pCFI

  8. Victor Ramos de Oliveira

    Muito bom texto, parabéns! Esse Mats do darwinismo.wordpress é completamente louco, cada coisa que ele escreve, chego até a ficar com pena. Mais uma vez, parabéns pelo texto!

    1. Jonatas

      Obrigado.
      Eu nem sinto pena dele, mas dos pobres religiosos e analfabetos científicos que ele engana, são pessoas que vão lá e acreditam em tudo, e aplaudem de pé todas as asneiras que ele solta.

  9. Victor Ramos de Oliveira

    É só olhar para os sites a direita da página dele (http://darwinismo.wordpress.com/) para ver que ele não é lá muito normal.

  10. Jonatas

    Desafiei o Maats do darwinismo.wordpress a vir refutar meu artigo, acham que ele vem?
    (tomara, to precisando me divertir a custas de um cria, rsrs)

  11. Maria Teodósio

    O Mats comentou no seu texto: (… comentário editado…)

    1. Carlos Oliveira

      Peço desculpa, mas este é um local de conhecimento.
      Não me parece conveniente estar sempre a dar publicidade a alguém que nitidamente não sabe o que é ciência, e que fez um website só para desinformar as pessoas sobre a ciência. É impossível ter argumentos racionais e baseados nas evidencias com quem nitidamente se baseia numa caricatura da evolução para negar factos científicos. Curioso é que ele utiliza a internet, que lhe é dada pela ciência. Infelizmente, a hipocrisia, a imoralidade, a ignorancia e o fundamentalismo religioso mostram-se dessa forma… como esse Mats.

    2. Carlos Oliveira

      De qualquer modo, eu avisei privadamente o Jonatas do seu comentário, já que ele é o visado.

      Obrigado 😉

      abraços

    3. Jonatas

      Se bem me lembro de Maria Teodósio, lá ela é quem mais refuta as parvoices do Mats, deixa os crias sem resposta.

    4. Carlos Oliveira

      Sim, eu sei. 😉

      Mas na minha opinião é dar-lhe publicidade desnecessária. E ele acaba por ganhar sempre… porque ele baseia-se numa caricatura da Teoria da Evolução.

      E se ele tivesse alguma relevancia… ok…até se podia perder tempo para desmistificar o que ele diz… mas hipócritas na net, que utilizam a ciencia, dada pelos cientistas, para dizerem que ela nao funciona, existem aos montes. 😉
      Dar-lhes a importancia que eles não têm…. é um erro 😉 . É fazer o que ele quer, para ele subir nos rankings do Google…

      abraços! 🙂

  12. Vinícius Sena

    Jonatas, o cara do darwinismo.wordpres publicou um artigo falando de você. Já viu? Você vai refutar ou acha que não precisa?

    1. Carlos Oliveira

      Por favor, leia os comentários acima do seu. É sobre isso 😉

    2. Carlos Oliveira

      Eu acho fantástico que as pessoas avisem o Jonatas destas coisas. Acho mesmo. Faz ver o crédito (de credibilidade) que o Jonatas tem 😉

      No entanto, tendo em conta a fraca afluencia que esse blog criacionista tem, e o tipo de pessoas que avisam o Jonatas (que assumo serem pessoas defensoras da ciência), fico com a impressão que quem lê esse blog são defensores de ciência que, inconscientemente, andam a fazer com que esse blog tenha mais crédito no Google do que deveria ter… do que teria se fosse simplesmente lido pelos criacionistas 😉

      abraços!

    3. Jonatas

      Acho que Mats não vale a pena. E pelo que sei, ele bloqueia os adversários, edita os comentários, joga sujo, etc.
      Se ele fosse fera refutava fora de seu protegido e administrado quintal – o fato de publicar lá e não me chamar pra debate, mostra o quanto ele é inseguro e covarde. Abraços

  13. Vinícius Sena

    Caro Carlos, talvez eu não devesse entrar em blog como o do Mats, só para dar a ele publicidade. Mas, foi lendo em blogs como o dele e vendo as refutações posteriormente que pude aprender um pouco mais sobre ciência. Às vezes eles, enquanto criacionistas, fazem questionamentos que eu, mesmo não sendo criacionista, também me faço. Certa vez, alguns argumentos no artigo postado pelo Mats me deixaram com uma série de dúvidas, que só foram dirimidas depois que vi as refutações feitas pelo Jonatas. Foi por esse motivo que avisei ao Jonatas sobre o novo artigo que o Mats escreveu falando diretamente sobre ele.

    1. Jonatas

      Tranquilo Vinícius, podes fazer perguntas aqui nos comentários também. É um grande prazer pra mim, pro Carlos e outros colaboradores, poder ajudar as pessoas a irem conhecendo a Ciência.
      Parece absurdo mas até pouco tempo atrás, cientistas eram geralmente vistos como franksteins, excêntricos em seus laboratórios fazendo pesquisas e depois só saindo do forno com tecnologias ou monstros. Foi quando Carl Sagan publicou Cosmos, que a ciência saiu da batcaverna pra conquistar o fascínio das pessoas, e por isso tantas gerações de pesquisadores foram inspiradas por episódios assim.

      Pessoas como Mats não valem a pena. São religiosos fundamentalistas e obtusos, conspiracionistas com interesses puramente mesquinhos e pseudocientíficos. Fique com a gente, tem um histórico de notícias tanto quanto informações, aulas e educação científica aqui no blog. Ajude-nos a divulgar o AstroPT a levar a luz do conhecimento cada vez mais longe.
      Não estamos tão distantes, estamos numa escala aqui. De cientistas experientes como o Carlos, a astronomos amadores como eu, pode ter certeza que encontrará a ponte para a ciência complexa numa linguagem acessível e muito conhecimento conosco.

      Abraços

  14. harmo1979

    (… comentário editado…)

    1. Carlos Oliveira

      Caro Harmo,

      O texto é sobre o Criacionismo. O seu comentário sobre a Teoria da Evolução mostra que não leu o texto ou se leu decidiu virar o tema porque não gostou dele.

      A Teoria da Evolução, como qualquer teoria científica, é baseada em factos. E como qualquer facto, é baseado em evidências científicas.
      Se você ler sobre o que é uma teoria (tem aqui textos sobre isso), se ler sobre o que é a ciência, e se ler sobre o que é a Teoria da Evolução, percebe que estão em sintonia.
      Uma outra coisa em sintonia, é a internet que está a utilizar: utiliza leis, princípios, e sobretudo o mesmo pensamento científico que utiliza a Teoria da Evolução. Por isso, se o Harmo quisesse ser honesto, deixaria a internet, porque pelos vistos pensa que não existe. Mas já se percebeu que prefere a hipocrisia de utilizar algo, para dizer que não acredita nesse algo. É a hipocrisia normal, alheia à realidade, dos extremistas religiosos.

      Por fim, quanto a todas as suas dúvidas, são-lhe respondidas por qualquer livro de biologia. É o que sugiro: entenda de biologia, antes de seguir seitas fundamentalistas.

      Passe bem.

      P.S.: antes de entrar novamente aqui para comentar, lembre-se: neste local de ciência não alimentamos trolls. Se quiser entrar cá, utilize a Bíblia, e não a ciência que você hipocritamente nega.

      1. Vinícius Sena

        Carlos, não adianta explicar nada ao Harmo1979. Você precisa ver o nível dos comentários dele lá no blog do Mats. Ele é daqueles criacionistas que ainda acha que a 2ª Lei da termodinâmica refuta a evolução das espécies. Ele não entende nem as bases da Teoria da Evolução.

  15. Betinhofloripa

    Agora em vídeo uma explicação sobre problemas com a Arca de Noé…

    https://www.youtube.com/watch?v=1yD7NC2Urdw#t=55

  16. Nathanael Pereira

    Parabéns pela iniciativa. Só com informação e com um Estado forte que valorize de verdade a educação, por conseguinte, forte, possa diminuir a ignorância.

  1. Gripe: a prova definitiva da Seleção Natural

    […] o texto do Jonatas sobre o Criacionismo aqui no AstroPT, logo me veio à mente algo que sempre me incomoda: Como é possível as pessoas […]

  2. O que eu aprendi com o debate entre Bill Nye e Ken Ham

    […] Debate acabou gerando, por fora, um outro debate: Por que debater sobre criacionismo? Isso não é validar, aos olhos da população geral, o criacionismo como alternativa? Vale a […]

  3. TOP 100

    […] Ignorantes. Richard Dawkins. Super-Humanos. Ciência vs. Religião. Páscoa. Crenças improváveis. Criacionismo. Debate entre Bill Nye e Ken […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>