Gripe: a prova definitiva da Seleção Natural

Influenza_virus_2008765

Lendo o texto do Jonatas sobre o Criacionismo aqui no AstroPT, logo me veio à mente algo que sempre me incomoda: Como é possível as pessoas terem a cara de pau de dizer que a evolução não é comprovada? Ou de propor hipóteses absurdas que sequer chegam perto de se equiparar à evolução?

Ainda que seja de praxe na ciência colocar todo o conhecimento como provisório, determinamos como fato tudo aquilo que funciona. Ou seja, os efeitos da Física Quântica não são reais por consenso ou mero capricho da comunidade científica: são reais porque funcionam. Prova disso são os equipamentos eletrônicos que usamos hoje, computadores, tablets e smartphones, só para citar alguns exemplos. Se a física quântica fosse algum blablablá esotérico, nenhum destes aparelhos teriam sido possíveis. Citando o colega Carlos Oliveira, “a ciência não é democrática. Por exemplo, o facto da gravidade ou da electricidade funcionarem, não depende da quantidade de pessoas que acreditam nisso”.

Com a seleção natural não é diferente. Como ela é um processo lento, e um mecanismo para adaptação dos organismos ao ambiente, parece difícil imaginar uma prova “concreta” da teoria que não seja o velho clichê dos detratores, que querem “fósseis intermediários”*. Mas a verdade é que a seleção natural é um fato científico e afeta nossas vidas diariamente, mesmo que não percebamos.

Assim como a seleção natural molda a evolução de humanos, plantas e todas as coisas vivas do planeta, ela também molda os vírus. E, embora muitas vezes se considere que vírus não sejam tecnicamente “vivos”**, eles necessitam hospedar um organismo para se reproduzir. Mesmo que se considere os vírus como não-vivos, eles se comportam de forma análoga, portanto estão sujeitos ao processo evolucionário

RTEmagicP_diagram_virusO sistema imunológico humano usa uma série de táticas para lutar contra patógenos. O trabalho dos patógenos é semelhante ao de um vírus de computador (por isso o seu análogo digital tem o mesmo nome, em referência aos vírus de verdade): iludir o sistema imunológico, criar cópias de si mesmo e se espalhar para outros hospedeiros. As características que ajudam o vírus a cumprir esta tarefa tendem a ser mantidas de uma geração para outra; as que tornam este trabalho difícil tendem a ficar para trás nos vírus que não sobrevivem.

Pegue, por exemplo, uma mutação que se torna particularmente mortal para seu hospedeiro humano e o mata em poucas horas de infecção. O vírus precisa de um novo e saudável hospedeiro para que seus descendentes sobrevivam. Se matar seu hospedeiro antes que ele infecte outros, a mutação desaparecerá.***

Uma forma dos hospedeiros se protegerem é desenvolver anticorpos. Estes se prendem a proteínas da superfície externa de um vírus e o impedem de entrar nas células do hospedeiro. Os vírus que aparentam ser diferentes de outros vírus que já infectaram o hospedeiro anteriormente possuem uma vantagem: o hospedeiro não possui uma imunidade pré-existente (ou seja, um “registro” de que aquele vírus já passou por ali) a este vírus em particular. Muitas adaptações virais envolvem mudanças na superfície externa do vírus.

influenzafigure1Todo ano, muitos de nós recebem vacinas contra a gripe. Se formos vacinados, por exemplo, este ano, por que temos que ser vacinados de novo no ano que vem? Se você deduziu que o motivo é a evolução, você está certo. O vírus da gripe se reproduz muito rápido, acumulando mutações genéticas mais rapidamente que outros seres cuja reprodução é mais lenta (como o ser humano), o que leva a cepas levemente diferentes de gripe. Este ano a vacina da gripe nos deixa imunes contra algumas cepas do vírus, mas as mutações em outras cepas a tornam diferentes o bastante para que nossa imunidade induzida pela vacina se torne ineficiente contra eles. As cepas resistentes rapidamente se espalham, se reproduzem e se tornam a gripe dominante no próximo ano. Portanto, a vacina contra a gripe que você toma este ano não funcionará no ano que vem, porque a evolução pela seleção natural produzirá novas cepas do vírus da gripe que requerem novas vacinas. E é por isso também que não existe uma “cura definitiva” para a gripe.

Existem outros exemplos além dos vírus, como a seleção artificial que hoje nos proporcionou tantas raças diferentes de cães. Mas eu creio que o funcionamento dos vírus, especialmente por conta de sua reprodução acelerada em relação a seres mais complexos, são talvez a maior prova de que a evolução pela seleção natural não é “apenas uma teoria”; é um fato. Aliás, não só a melhor prova: são a prova definitiva do fato da seleção natural.

 

Fontes:
Dr. Robert S. Feranec, Dr. Jason R. Cryan, and Dr. Jeremy J. Kirchman. Celebrating Darwin.
Evolution from a virus’s view
Viruses and Evolution

 

* Que é um termo inaplicável uma vez que não existe “ponto de partida” e “ponto de chegada” na evolução, então é absurdo pensar em termos de “evolução intermediária”: a rigor, as espécies são “intermediárias” (incluindo nós, humanos) sempre, porque os seres estão o tempo inteiro em constante adaptação, não há uma linha de chegada para a evolução.

** Ok, este é um ponto meio polêmico, então não vamos entrar no mérito da questão aqui.

*** Este é apenas um exemplo mais específico do mecanismo da seleção natural que eu já expliquei no post sobre o tema.

16 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Penso que as hipóteses (ou comprovações) científicas da teoria evolutiva de Darwin e do creacionismo não sejam auto-excludentes. É que os fiadores do Darwinismo costumam depositar a explicação da existência de tudo no fato evolutivo. E, o fato de uma seleção natural promover a sobrevivência das espécies mais adequadas ao meio é insuficiente para explicar (ou tentar explicar) uma inteligência organizadora subjacente. Simplesmente a nega porque não dispõe de meios de experimentação. E se um dia chegar a experimentar esta força de coesão? Preferível (do ponto de vista científico) deixar a hipótese de Deus em aberto a negá-la. Não me parece consistente acreditar que os encaixes na natureza, propiciando um meio de experimentação humana, sejam fruto do acaso. Despropositados. Há um propósito inteligente superior nisto tudo.

    1. “Há um propósito inteligente superior nisto tudo.” — isso é crença subjetiva, não é conhecimento objetivo.

      “Simplesmente a nega porque não dispõe de meios de experimentação.” – Não. A nega vem do facto de essa hipótese não ser necessária para explicar o que existe.

      “Preferível (do ponto de vista científico) deixar a hipótese de Deus em aberto a negá-la.” — Errado! É o mesmo que dizer que se o carro parar na estrada, é melhor deixar em aberto a hipótese de unicórnios invisíveis voadores, em vez de olhar para o ponteiro da gasolina.

      abraço!

    • Wilians Charles on 17/08/2016 at 12:02
    • Responder

    Gostaria de saber dos testes feitos que comprovem essa teoria: “Portanto, a vacina contra a gripe que você toma este ano não funcionará no ano que vem, porque a evolução pela seleção natural produzirá novas cepas do vírus da gripe que requerem novas vacinas. E é por isso também que não existe uma “cura definitiva” para a gripe.”

    1. Olá Willians,

      Encontra essa informação na internet. Por exemplo, aqui tem um trabalho recente que confirma que as variações antigénicas sazonais do vírus Influenza são uma consequência da pressão seletiva exercida pelo sistema imunitário humano, o que por sua vez limita a eficácia das vacinas criadas todos os anos: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/imm.12594/pdf.

  2. E o que será desta aberração chamada raça humana? pela primeira vez na história uma raça esta “ferrando” com o processo evolutivo da natureza. No último milênio a raça humada esta destruindo a seleção natural de sua especie. Uma prova disso é que todas as crianças precisam tomar vacinas logo após seu nascimento, em um processo de seleção natural somente as crianças que sobrevivessem sem estas vacinas é que continuariam se reproduzindo e passando a diante seu código genético. já pararam para pensar que talvez por isso existam tantas doenças, tantas pessoas com mais propensão a desenvolver doenças que outras pessoas?.. até os homossexuais (sem preconceito gente, por favor) mas estes que nascem com este desvio de comportamento não teriam vez em um processo de seleção natural e seu número seria muito, mas muito menor. doenças genéticas, síndromes e etc praticamente não existiriam se a raça humana não estivesse invertendo de forma tão agressiva na seleção natural de sua especie.
    O que está acontecendo com a raça humana é algo que nunca aconteceu antes, com nenhuma outra das milhões e milhões de especies que já existiram. Eu poderia dizer que isso não vai acabar bem.. mas posso afirmar que isto já esta acontecendo, existiram grandes extinções no planeta terra, era glacial, era infernal (milhares de erupções vulcânicas que extinguiram quase toda a vida na terra e ocorreu bem antes do período jurássico), a queda do meteoro que extinguiu os grandes animais principalmente dinossauros. e agora a extinção será causada por outra especie, a humana.. e o pior é que já está acontecendo.
    Eu acredito em Deus, mas não no deus descrito na bíblia aquele que criou o homem a sua semelhança e aquela baboseira toda feita para ludibriar os ignorantes. Eu acredito em um Deus Muito Maior, que criou tudo, todas as estrelas de nossa galaxia e todos os bilhões de planetas nas bilhões de outras galaxias. e se esse Deus se importa com sua pequena criação que é o planeta terra, então creio que ele vai fazer algo quanto a esta tal de especie humana.. por que o projeto desandou..rs … e se o plano dele for extinguir toda ou quase toda essa especie, pensem bem.. pode ser que ele já tenha escrito isso no inicio do projeto, e quando paramos de evoluir a raça humana e fazemos de tudo para evoluir um vírus como o da gripe, pode ser que estejamos executando com perfeição o plano de Deus e criando um vírus que evoluí tão rapidamente que logo estará pronto para separar (descartar) uns 7 bilhões de humanos mais “fracos” e deixar que somente os restantes mais “fortes” sigam sua seleção natural.

    1. As vacinas não são propensas a mais doenças. Pelo contrário. Temos menos doenças do que existiam há 500 anos.

      Existiram sempre homossexuais. Os mais “famosos” são os banhos romanos. Mas certamente que se ler livros de história encontra inúmeros exemplos. Isto tudo é antes das vacinas.
      Além disso, existem alguns animais que praticam actos homossexuais. Não me parece que eles tomem vacinas.

      Mas você pode sempre escolher não tomar vacinas nem nada do que a medicina lhe oferece. Certamente que tem direito a morrer de velho aos 30 anos, como acontecia há alguns séculos atrás.

      Ou seja, o seu comentário fez pouco sentido.

        • Vinicius on 19/09/2015 at 03:07

        Amigo carlos oliveira, acho que o seu comentário que não faz sentido algum, é como se eu estivesse falando de futebol e você falando de basquete..rs pelo seu comentário ou você não entendeu o que eu quis dizer ou simplesmente teve preguiça de tentar entender.
        Apenas para tentar abrir a sua mente, o meu texto não é sobre vacinas ou homossexuais, o meu texto é sobre EVOLUÇÃO ou SELEÇÃO NATURAL das especies que é o tema desta publicação, OK?
        Eu não disse que as vacinas não são propensas a mais doenças, não faço ideia de onde você tirou isso. mas tentando explicar de outra forma quando eu citei as vacinas eu me referia a SELEÇÃO NATURAL, por exemplo, todas as crianças tomam vacina quando nascem, se resolvêssemos parar de aplicar a vacina digamos POR EXEMPLO que 80% das crianças vão morrer, ou seja, 20% das que não tomaram a vacina e não morreram estão estão obviamente menos propensas a desenvolver as ou a doença que matou as outras 80%, portanto estas 20% foram SELECIONADAS NATURALMENTE e os filhos dessas crianças também estarão menos propensos a desenvolver aquelas doenças. Entenda que isto não é uma opinião minha, isso é um fato, é logica matemática. Se você ainda não entendeu, eu vou trocar a palavra VACINA pelas palavras “PICADA DE ARANHA MARROM”, (só pra você entender que vacina não é o foco do texto), pois bem, vamos aplicar a mesma lógica: se as pessoas picadas pela aranha marrom não tomarem nenhum tipo de remédio ou vacina vamos supor POR EXEMPLO que 80% destas pessoas vão morrer e logicamente 20% vão sobreviver, Logo estas 20% que sobreviveram estarão menos propensas a morrer por picadas de aranhas marrom assim como seus filhos e descendentes, ou seja elas foram SELECIONADAS NATURALMENTE por terem um biotipo mais resistente a picadas de aranhas marrons.
        Quanto a sua colocação sobre os homossexuais em nenhum momento no meu texto eu disse q eles não existiam no passado, não sei de onde você tirou isso! eu somente disse q seu numero seria muito menor com base novamente na SELEÇÃO NATURAL, pois dois iguais não podem gerar filhos e consequentemente interrompem sua linhagem. isso não é opinião minha é Lógica, imagine se no mundo só restaram dois serem humanos.. dois homens ou duas mulheres, obvio que não podem ter filhos, e pronto a seleção natural vai extinguir esta especie. Fim…. e pior você misturou o assunto dos homossexuais com o assunto das vacinas… kkkkkkkk.. vai entender…

      1. Este seu comentário está correto.
        O anterior não.

        No seu último comentário disse isto:
        “Uma prova disso é que todas as crianças precisam tomar vacinas logo após seu nascimento, em um processo de seleção natural somente as crianças que sobrevivessem sem estas vacinas é que continuariam se reproduzindo e passando a diante seu código genético. já pararam para pensar que talvez por isso existam tantas doenças, tantas pessoas com mais propensão a desenvolver doenças que outras pessoas?.. até os homossexuais (sem preconceito gente, por favor) mas estes que nascem com este desvio de comportamento não teriam vez em um processo de seleção natural e seu número seria muito, mas muito menor. ”

        Até posso, agora, interpretar da maneira que agora explicou. Mas não está claro no seu comentário anterior. Pelo contrário.

        “e pior você misturou o assunto dos homossexuais com o assunto das vacinas…” — como se prova nas suas palavras, não fui eu que fiz isso. Num único parágrafo, você refere os dois assuntos. Chegando ao ponto de escrever: “até os homossexuais”, mostrando claramente que estava a ligar este assunto ao que estava dito anteriormente no mesmo parágrafo.

        abraços

  3. A seleção natural e a macro-evolução são coisas diferentes. Selecciona os mais aptos, mas não explica macro-evoluções de uma espécie noutra. No máximo poderemos falar numa optimização no seio da espécie, que apenas garante equilíbrio, por exemplo na escolha dos mais saudáveis, fortes, inteligentes. Na biologia, e os criadores de raças sabem-no bem, isto funciona quase como que uma onda, onde se aprimora determinada raça, e a X anos temos um excelente cavalo de corrida, mas no ano seguinte surge um não tão bom, no ano seguinte novamente um bom cavalo. É um equilíbrio em torno da média, onde se atinge realmente o melhor de cada espécie ou raça, mas não um aprimorar contínuo até atingirmos um hipotético super-cavalo. A não ser que manipulemos o seu ADN em laboratório. Mas aí entramos novamente no campo do criacionismo, um tipo diferente de criacionismo bastante apreciado por Daniken e Rael.

  4. Eu já vi eles contra-argumentando com: ” Mas o vírus continua sendo um vírus e um cachorro continua sendo um cachorro”.

    1. Nos casos das tilápias do lago Malawi na África elas estavam se tornando de fato diferentes fisiologicamente e geneticamente. Geneticamente estavam criando marcadores próprios e fisiologicamente com características que a distinguia das outras. A longo prazo levaria a separação das espécies, como já aconteceu com os ancentrais dos leões, tigres e onças.

        • Patrick Kuro on 18/12/2013 at 19:35

        Fascinating, mas ainda assim é provável que eles continuem com o “ainda é um peixe”.Não sei porque ainda leio comentários do Facebook 🙁

  5. Excelente texto. Parabéns!

  6. Existem casos de especiação em tempo real de peixes da família das tilápias no lago Malawi na África que os criacionistas se recusam a acreditar. Eu simplesmente ignoro eles da mesma maneira que eles ignoram todo o corpo probatório. Não dá pra discutir com pessoas como eles. Sobre

    1. Boa lembrança, Samuel.

      Usei os vírus por que a partir do vírus da gripe dá para dar um exemplo da evolução que afeta diretamente a vida humana, mas é bom ter estes outros exemplos em mente também.

      Abraços!

  7. Excelente Matéria.

    Sinto-a até como uma sequência, já que peguei uma abordagem da evolução cósmica para refutar os negadores da evolução, e você a trouxe para a evolução da vida, que apenas segue o mesmo caminho natural do Universo: a contante mutação.
    Outra questão importante que me lembrastes aqui é o efeito das taxas de reprodução sobre o processo evolutivo. Será esse um dos motivos pelos quais, entre os seres complexos, o Filo dos Artrópodes é tão bem sucedido e diverso?

    Enfim, Parabéns.

  1. […] Origem da Vida. Documentário. Alentejo. Evolução, comprovada, vídeo e mais notícias. Seleção Natural. Elo Perdido. Biodiversidade, ano, datas. Árvore. 1ª vida artificial. ADN expandido. Vírus […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.