Teia de Insecto Cósmico

Crédito: NASA, ESA, E. Sabbi (STScI)

Crédito: NASA, ESA, E. Sabbi (STScI)

Esta é a Nebulosa da Tarântula, uma região com inúmeros aglomerados estelares, gás e poeira, que se encontra na Grande Nuvem de Magalhães, uma das nossas galáxias vizinhas.

Na imagem, à esquerda do centro, vemos R136, um enorme e maciço aglomerado estelar que se tornará um aglomerado globular, e que nesta altura está a emitir tanta energia que nos permite ver a nebulosa.

A Nebulosa da Tarânula, em luz visível e em luz infravermelha. Crédito: NASA, ESA, E. Sabbi (STScI)

A Nebulosa da Tarântula, em luz visível e em luz infravermelha. Crédito: NASA, ESA, E. Sabbi (STScI)

2 comentários

  1. Carlos, tem algo muito errado nessa Nebulosa!!! Tarântulas são aranhas que NÃO fazem teia!
    kkk 😀

    1. Foi assim que a equipa do Telescópio Espacial considerou 🙂

Responder a Jonatas Almeida da Silva Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.