NASA descobre milhares de estrelas, mas não encontra Planeta X, Tyche, Nibiru ou Nemesis

O ponto vermelho é a estrela WISEA J204027.30+695924.1,

O ponto vermelho é a estrela WISEA J204027.30+695924.1

A sonda WISE (Wide-Field Infrared Survey Explorer), da NASA, concluiu mais dois estudos do Universo próximo (entre os anos 2010 e 2011, tinha observado 750 milhões de asteroides, estrelas e galáxias). Um dos seus principais objetivos era saber se existiria algum objeto relativamente massivo na fronteira do nosso sistema solar, como o suposto Planeta X, Tyche, Nibiru, ou até a suposta companheira do Sol, a Nemesis.

Apesar de ter descoberto 3.525 estrelas e anãs castanhas/marrons num raio de 500 anos-luz (ou seja, longe do nosso sistema solar), dentro ou na fronteira do sistema solar, a sonda WISE não detetou nada que se parecesse remotamente com as especulações mais populares.

Na verdade, este estudo permite concluir que provavelmente não existe qualquer objeto do tamanho de Saturno (ou maior) num raio de 10.000 unidades astronómicas, e nenhum objeto maior que Júpiter deverá existir num raio de 26.000 unidades astronómicas – lembremo-nos que Plutão está a “somente” cerca de 40 unidades astronómicas do Sol.

Ou seja, nos confins do sistema solar não deverá existir qualquer estrela companheira do Sol nem sequer qualquer planeta gigante.

Leiam o artigo da NASA, aqui.

A sonda WISE não encontrou qualquer evidência dos especulativos objetos conhecidos como Planeta X, Tyche ou Nibiru. Crédito da imagem: Penn State University

A sonda WISE não encontrou qualquer evidência dos especulativos objetos conhecidos como Planeta X, Tyche ou Nibiru.
Crédito da imagem: Penn State University

25 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Hi there,
    Do you want to share this info in English with the rest of the world? Please?

    1. The NASA article – link at the end, shown as source – is in English 😉

  2. Nibiru está vindo aí. Papai noel vem montado nele 😁😁😂

  3. Os nibirutas confiam tanto nas previsões deles, que marcam uma pra 2015, e depois os mesmos marcam pra 2016/17/18… É muita pesquisa e conhecimento deles! 😂😂😂

  4. Parabéns pela explicação, me esclareceu muito.
    Mas tenho uma dúvida quando falas da seguinte maneira: “9 – Esses planetas terrestres, que até poderão existir (ou não) por lá, não vêm para aqui. Estão todos muito longe. A 6 anos-luz. E cada vez ficarão mais longe.”

    Por que ficarão mais longe? como assim?

    Parabéns pelo site.

    1. Essa é uma boa pergunta.

      A resposta é: não faço a mínima ideia.

      Na verdade a Estrela de Barnard ficará mais perto de nós dentro de 10 mil anos quando estará a cerca de 4 anos-luz. Depois disso, fica mais longe.

      Por isso, não sei porque disse aquilo. Ou errei ou estava a pensar noutra coisa que não consigo perceber agora.
      Provavelmente estava só a reforçar o facto de não vir nesta direção. O facto de ficar mais perto não quer dizer que venha na nossa direção.

      abraços

  5. Boa noite!
    Ouvi falar de um suposto “fim do mundo” no final de setembro de 2015, por causa de um asteroide que cairia. Mas, os cientistas afirmam que não há nenhum asteroide do tamanho que destrua parte da população para o próximo século.

    E outro suposto “fim do mundo” em 2018, mas não sei o motivo.

    Bom, desconsiderando o que não é verdadeiro, há alguma coisa que se espera pela Ciência para essas datas?

    Obrigado

  6. Boa tarde!
    Obrigado!
    Só para tirar dúvida, se houve outro Sol perto do nosso, não estaríamos aqui, mas quais influências poderia nos trazer, além do aumento de temperatura, creio eu?

    Obrigado

    1. As órbitas planetárias estariam erradas.

      Ou seja, se consultar o Stellarium ou o Heavens-Above, vê que Saturno, por exemplo, estaria para Nordeste (por exemplo) à frente de “tal constelação”…. e na verdade olhando no céu, estaria para Sudoeste à frente de uma constelação totalmente diferente. Se os planetas não estivessem onde se sabe que diariamente estão, então é porque algo existiria no sistema solar interior que desconheceríamos.

      abraços

  7. Bom dia!

    Estava lendo a matéria do seguinte link:

    http://www.apolo11.com/spacenews.php?posic=dat_20121121-094708.inc

    – Não sei se pode contribuir com algo, mas as informações continuam as mesmas? Ou seja, Nêmesis continua sendo hipotética? E por aqui, entendi que não há nenhum objeto maior que Júpiter nos confins do Sistema Solar.

    – E o que poderia ter colocado Sedna num lugar que não deveria estar?
    – E se Nêmesis existisse, e se for por ela que arremessa asteroides, cometas, entre outros, ao espaço, e a cada 26 ou 30 milhões de anos há grandes extinções, a próxima extinção seria daqui há 13 ou 25 milhões de anos, de acordo com as teorias?

    Obrigado

    1. Sobre Nemesis:
      http://www.astropt.org/tag/nemesis/

      Que se saiba, não há evidências que exista. Neste momento, quem disser que existe, está a mentir.

      abraços

  8. Amigo, o que você diria pra dismistificar tal notícia, ou até que ponto seria verídico. Abraço.

    http://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/cientistas-revelam-que-estrela-alienigena-esteve-na-fronteira-do-sistema-solar-ha-70-mil-anos-15369461

    • Rodrigo Morais on 23/04/2015 at 17:51
    • Responder

    AstroPT, gostaria de saber uma informação, em 2013 foi registrada a imagem de um objeto bem perto do sol, você tem conhecimento do que seja isso? meu medo é ser uma anã marrom, mas não sei, não achei nada sobre isso ultimamente e gostaria que alguém esclarecesse isso, obrigado!

    1. Se existisse uma anã marrom perto do Sol você já não existiria…

      Se você vê o Sol, então não há nenhuma anã marrom lá…

      O que você leu é certamente mais uma vigarice deste género:
      http://www.astropt.org/2012/05/09/nave-espacial-perto-do-sol/

      abraços

    • Rodrigo Morais on 23/04/2015 at 05:24
    • Responder

    Não acredito nessa história de Nibiru, mas fiquei curioso pra saber se essa imagem é verdadeira, e do que se trata tal objeto: http://thoth3126.com.br/wp-content/uploads/2015/01/Maldek.gif

    1. A imagem não existe.

      Mas é fácil de saber se é verdadeira ou não: olhe para o céu, vê o mesmo? A imagem está no website de algum observatório de renome? Se não, a imagem será mentira.

  9. Viu em um link que “talvez” tenham encontrado Nemesis e que até propõem mudar o nome para Tyche?
    Muito legal seu site!!!
    Parabéns!

    1. Akira, nós não fazemos propaganda a sites vigaristas 😉

      Não sei quem você acha que “viu”. Mas astrónomos não foram. Nem a NASA. Isso sabemos nós.

      Quanto a Tyche, é um potencial planeta gigante, que foi muito badalado nas notícias há 3 anos devido a diversos erros de divulgação:
      http://www.astropt.org/2011/02/20/tyche-planeta-gigante-nos-confins-do-sistema-solar/

      Nemesis é uma suposta estrela companheira do Sol. Tyche é um suposto planeta. Como deverá compreender são coisas totalmente diferentes.
      Até nisso a notícia que leu é errada, porque não sabem o básico em astronomia. Qualquer dia, nesse website, dizem que a Terra mudou de nome e vai-se chamar Sol. Seria uma imbecilidade, claro, e totalmente mentira.

      abraços

  10. Nêmesis é uma estrela já conhecida, chamada Bernard 01, o astrônomo que a descobriu concluiu que ela está há 02 anos luz, por isso é a que tem a maior taxa de locamoção no céu, ela têm ao todo já confirmado 08 planetas, sendo um dela gigantesco,fazendo ela um percuso serpenteado pois equelibra sua rotação com esta planeta gigante, parecendo uma mini-rota binária,..por isso para saber mais sobre Nêmesis pequise sobre está estrela Bernard 01.

    1. Só para o resto dos comentadores perceber o que tenho que aturar, deixei passar este comentário… sendo que hoje já moderei dois comentários parecidos, carregados de mentiras, escritos por quem é incrivelmente ignorante…. e bastante arrogante (para pensar que entra num local de ciência, achando que sabe mais que os cientistas).

      1 – Não existe qualquer estrela Bernard . Existe sim, Barnard.

      2 – Encontra-se a 6 anos-luz e não a 2 anos-luz.
      Aliás, as estrelas de Alfa Centauri encontram-se mais perto que esta Barnard.

      3 – É uma estrela e não um planeta gigante.

      4 – O facto de ela ter uma locomoção própria superior a outras estrelas não a faz especial. Existem outras estrelas com maior locomoção própria que esta.

      5 – O facto desta estrela (como qualquer estrela) ter locomoção, não quer dizer que venha nesta direção. Não vem.

      6 – Na década de 1960, um astrónomo holandês disse que esta estrela tinha um planeta grande a orbitá-la. Notem bem: na década de 1960, quando não havia meios para detetar quaisquer planetas.
      Desde lá para cá, não se descobriu qualquer planeta ao redor da estrela.

      7 – Tendo em conta de ser uma estrela relativamente perto, de ser uma anã vermelha e de ter um movimento próprio considerável, então já se fizeram vários estudos (incluindo observações com o Telescópio Espacial Hubble) que permitiram concluir: não existe qualquer planeta mais massivo que Júpiter (lá foi a hipótese do Nibiru por água abaixo), aliás não existe qualquer planeta como Júpiter à distância relativa dessa estrela como Júpiter está do Sol, e aliás também não terá qualquer planeta estilo Neptuno na zona habitável dessa estrela.

      8 – Apesar de poderem existir planetas terrestres ao redor dessa estrela, planetas como a fantasia do Nibiru não existem.

      9 – Esses planetas terrestres, que até poderão existir (ou não) por lá, não vêm para aqui. Estão todos muito longe. A 6 anos-luz. E cada vez ficarão mais longe.

      Recomendo ao comentador que respeite o conhecimento, respeite os locais onde entra, e passe a estudar melhor os assuntos antes de nos fazer perder tempo com absurdos. Se quiser aprender, pergunte; não aprende nada ao afirmar imbecilidades. Obrigado.

  11. A explicação dos pseudos será, muito provavelmente, que a NASA está a esconder a descoberta de …

    Pensava que Nemesis não estava ligada aos pseudos. Pensava que era apenas uma hipótese para explicar uma certa regularidade das extinções.

    1. Sim, é verdade.
      E também porque a maioria das estrelas tem companheiras… a maioria das estrelas são binárias 😉

      Mas não deixava de ser especulação… daí eu ter falado de especulações mais populares 😉

      abraços!

      1. É porque não procuraram bem 😛

  1. […] A sonda WISE foi até mais longe: entre os anos 2010 e 2011, observou 750 milhões de asteroides, estrelas e galáxias, sendo que um dos seus principais objetivos era saber se existiria algum objeto relativamente massivo na fronteira do nosso sistema solar, e a verdade é que não detectou nada que se parecesse remotamente com as especulações mais populares. O estudo, com as observações da sonda WISE, permitiu concluir que provavelmente não existe qualquer objecto do tamanho de Saturno (ou maior) num raio de 10.000 unidades astronómicas, e nenhum objecto maior que Júpiter deverá existir num raio de 26.000 unidades astronómicas – lembremo-nos que Plutão está a “somente” cerca de 40 unidades astronómicas do Sol. Podem ler sobre isto, aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.