Sonda LADEE vai cair na Lua

ladee

A sonda LADEE (Lunar Atmosphere and Dust Environment Explorer) foi lançada para o espaço a 7 de Setembro de 2013 com o objetivo de estudar o ambiente lunar e a atmosfera rarefeita da Lua.
Supostamente era para durar somente 100 dias (pouco mais de 3 meses). No entanto, como ainda estava em condições ótimas de trabalho, então a NASA resolveu prolongar a missão mais um pouco. Afinal, não se poderia deitar cerca de 250 milhões de dólares fora, se o produto ainda estava viável.

No entanto, com a deterioração da sonda, a NASA resolveu finalmente colocar um fim à missão.
No próximo dia 11 de Abril, a sonda irá baixar a sua órbita (atualmente com uma altitude mínima de 20 km). Gradualmente a sonda irá se aproximar da superfície lunar. A sonda continuará a monitorizar a superfície da Lua, o que nos permitirá observar a Lua cada vez mais perto. Nos últimos dias, deverá mesmo passar quase rente ao solo lunar (próxima de colidir com algo).

No próximo dia 21 de Abril, a sonda deverá colidir com o solo lunar.
Curiosamente, o impacto será no lado mais afastado da Lua (não no lado que está virado para nós). Assim, não o iremos poder observar. Só a sonda LRO (Lunar Reconnaissance Orbiter), também em órbita lunar, vai poder confirmar esse impacto.

Note-se que, apesar destes eventos serem programados e normalmente com uma execução “milimétrica”, neste caso, não deverá ser assim devido não só à gravidade lunar mas também à superfície lunar não ser nivelada. Assim, é possível que a gravidade lunar faça a sonda descer um pouco mais do que o previsto ou até que um maior desnível na superfície faça a sonda colidir com a superfície lunar numa data anterior à prevista.
Se nada de “anormal” acontecer, então será dia 21 de Abril.

1 comentário

1 ping

  1. Fixe, pode ser que tire uma foto a um selenita…

  1. […] a 11 de Abril, selou o destino da LADEE, ao colocá-la numa órbita decadente, que asseguraria um impacto no lado mais distante da Lua, no dia 21 de Abril. Esta manobra teve como objectivo garantir a protecção de locais históricos na superfície […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.