Google+

«

»

Mai 23

Neste fim-de-semana o Cometa 209P/LINEAR poderá ser responsável por nova “Chuva de Estrelas”

 

Imagem da posição da radiante desta chuva de meteoros no Hemisfério Norte. Crédito: Universe Today

Imagem da posição do radiante desta chuva de meteoros no Hemisfério Norte. Crédito: Universe Today

Na madrugada de 23 para 24 de Maio poderá ser testemunha do nascimento de uma nova chuva de meteoros. Se as previsões estiverem corretas, a Terra irá passar através de múltiplas rochas e poeiras que foram deixadas pelo cometa 209P/LINEAR, o que poderá resultar num dos maiores espectáculos celestes do ano.

As primeiras previsões indicam um taxa horária zenital (THZ) de 1000 meteoros por hora, o que elevaria esta chuva a tempestade de meteoros, se bem que as mais recentes estimam apenas entre 200 a 400 meteoros por hora. Mesmo assim, esta chuva superaria as maiores chuvas de meteoros do ano, como as Perseidas ou Geminídeas.

A THZ é uma taxa que estima o número de meteoros possíveis em condições ideais na altura em que o radiante da chuva (ponto de onde parecem surgir os meteoros) está no Zénite (ponto mais alto do céu). Desta forma, este número será sempre condicionado pela posição do radiante no céu e por outros factores como a poluição luminosa ou a luminosidade da Lua.

O Cometa 209P/LINEAR, responsável pelos detritos desta possível “chuva de estrelas”, foi descoberto em Fevereiro de 2004 pelo Lincoln Near-Earth Asteroid Research, mostrando uma órbita de 5.04 anos à volta do Sol. Agora, o nosso planeta irá cruzar-se com os múltiplos detritos destas constantes passagens deste meteoro perto do Sol. Alguns destes detritos remontam mesmo ao século XVIII, podendo resultar numa nova e incrível chuva de meteoros.

 

O Cometa 209/LINEAR visto em Abril de 2014. Na altura, o cometa estava ainda muito pouco brilhante com uma magnitude +17. O material que deixou aquando da sua passagem entre 1898 e 1919 poderá ser responsável por esta chuva de meteoros que irá ocorrer entre os dias 23 e 24 de Maio. Crédito: Ernesto Guido, Nick Howes, Martino Nicolini

O Cometa 209/LINEAR visto em Abril de 2014. Na altura, o cometa estava ainda muito pouco brilhante com uma magnitude +17. O material que deixou aquando da sua passagem entre 1898 e 1919 poderá ser responsável por esta chuva de meteoros que irá ocorrer entre os dias 23 e 24 de Maio. Crédito: Ernesto Guido, Nick Howes, Martino Nicolini

Esta nova chuva de meteoros foi prevista, em 2006, pelos especialistas Peter Jenniskens do Instituto SETI, da NASA e pelo finlandês Esko Lyytinen. O radiante estará próximo da pequena constelação da Girafa, pelo que tomará o nome de Camelopardálidas (de Camelopardalis, do latim, que tem o seu étimo no grego, significando literalmente Camelo + Leopardo).

Acontecendo, esta chuva durará apenas algumas horas, entre as 05h40 e as 8h50 UT (mais uma hora em Portugal, a mesma nos Açores), esperando-se o melhor para as 07h00 UT, o suposto pico de actividade desta chuva. Infelizmente para os europeus, esta chuva terá a melhor visibilidade no hemisfério norte ocidental (Canadá e EUA). Em Portugal Continental não será possível ver esta chuva, por ser já de dia (8 horas da manhã), mas nos Açores ainda será possível apanhar um pouco do espectáculo até às 07h00, antes do Sol “saltar” do horizonte. No Brasil, o pico de actividade será cerca das 4 horas da manhã, mas infelizmente não terá o radiante visível (o radiante encontra-se perto da Polaris, vista do Hemisfério Norte).

Lembramos que as chuvas de meteoros são sempre um pouco imprevisíveis, pelo que o pico poderá acontecer antes ou depois da hora prevista. Assim, arriscar uma noite sem nuvens longe da poluição luminosa das cidades pode garantir uma boa surpresa.

Mais informações em: Universe Today / Earth&Sky

Acerca do autor(a)

Pedro Garcia

Pedro Garcia é Técnico de Divulgação Científica no Observatório Astronómico de Santana - Açores (OASA). Licenciou-se em Comunicação Social e Cultura e tem um interesse pessoal e profissional na divulgação da cultura e do conhecimento, que acredita estarem ao alcance de todos. É comunicador e educador de cultura e ciência, funções que cumpre no OASA. É também responsável pelo design deste Observatório açoriano.

3 comentários

2 pings

  1. Nasário

    Vai dá pra ver no Brasil??

  2. Milton R. Braga

    Prezados Srs. Na Noite de 25/05/2014 caiu uma pedra estranha em minha oficina , quebrando a telha de 5mm .
    Tem cerca de 5 cm e alguns orifícios , penso ser um meteorito . como posso saber ?

    Aguardo contato , Obrigado .

    Milton R. Braga

    1. Carlos Oliveira

      Tem que a levar ao departamento de geologia da universidade mais próxima de si, para poderem fazer algumas análises à pedra, incluindo quimicamente.

      No entanto, pode ser uma pedra “comum”, “normal”, e “a olho” pode ver-se isso. Por isso, se não tiver uma Universidade perto, pergunte primeiro a um grupo de astrónomos amadores da sua zona. Eles já o poderão ajudar.

      abraços

  1. TOP 100

    […] (2014, 2012). Líridas (2014, 2013). Eta Aquarids (2014, 2013, 2011, vídeo). Camelopardálidas (2014). Arietídeas. Perseidas (2013, 2012, 2011 (aqui), 2010, 2009). Dracónidas (2012, 2011). […]

  2. Arecibo observa núcleo do cometa 209P/LINEAR

    […] Near-Earth Asteroid Research (LINEAR), 209P/LINEAR foi responsável pelas Camelopardálidas, uma nova chuva de meteoros que teve o seu pico de atividade no passado fim-de-semana. Os dados recolhidos pelo Observatório […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>