Estrela engole 2 planetas

Ilustração Artística do planeta Kepler-56b a ser destruído e consumido pela sua estrela-mãe. A estrela irá engolir completamente o planeta dentro de 130 milhões de anos, enquanto o seu irmão, Kepler-56c será engolido dentro de 155 milhões de anos. Esta é a primeira vez que 2 exoplanetas têm uma previsão da data da sua "morte". Crédito: David A. Aguilar (CfA)

Ilustração Artística do planeta Kepler-56b a ser destruído e consumido pela sua estrela-mãe. A estrela irá engolir completamente o planeta dentro de 130 milhões de anos, enquanto o seu irmão, Kepler-56c será engolido dentro de 155 milhões de anos. Esta é a primeira vez que 2 exoplanetas têm uma previsão da data da sua “morte”. Crédito: David A. Aguilar (CfA)

2 mundos que orbitam uma estrela distante serão um jantar de proporções cósmicas.
Os planetas Kepler-56b e Kepler-56c vão ser engolidos pela sua estrela dentro de pouco tempo (em termos cósmicos), respetivamente 130 milhões e 155 milhões de anos.

Gongjie Li, do CfA (Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics), disse: “Esta é a primeira vez que 2 exoplanetas pertencentes ao mesmo sistema planetário têm a previsão de “data da morte”.”

O sistema da estrela Kepler-56 mostra o que acontecerá no nosso sistema solar daqui a cerca de 5 mil milhões (bilhões, no Brasil) de anos, quando o Sol se tornar uma gigante vermelha e engolir os planetas Mercúrio e Vénus.

A estrela Kepler-56 está-se a tornar atualmente numa gigante vermelha, tendo já crescido cerca de 4 vezes mais que o tamanho do Sol. À medida que envelhece, vai-se tornando cada vez maior. Esse aumento de tamanho, juntamente com a maior força de marés gravitacionais, faz com que os planetas acabem por ser engolidos pela estrela.

Neste momento, Kepler-56b tem uma órbita (ano) de 10,5 dias; enquanto Kepler-56c tem uma órbita (ano) de 21,4 dias. Ou seja, estão ambos muito mais perto da sua estrela-mãe que Mercúrio está do Sol (órbita de 88 dias terrestres).

À medida que os planetas se aproximam da estrela, as suas atmosferas (se as tiverem) irão ferver e as superfícies dos planetas irão gradualmente tornar-se ovais (ao serem “puxadas”)… até os planetas serem completamente engolidos pela estrela.

O único sobrevivente conhecido do sistema será Kepler-56d, um planeta gigante gasoso que tem uma órbita de cerca de 3,3 anos. Se estivéssemos lá, teríamos uma vista privilegiada da morte dos outros dois planetas.

Leiam o comunicado de imprensa desta descoberta, aqui.

1 comentário

  1. Mercúrio poderia ter sido bem maior e oq existe dele agora, teria sido só o núcleo.
    E isto teria acontecido porque Mercúrio em alguma época no passado “passou dentro” do Sol assim como no desenho.

    E se isto ocorreu teria ocorrido porque o Sol cresceu em algum momento da história no passado.

    Ele poderia ter sido até um planeta gasoso no passado e bem maior..

    ou não ..

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.