Meninas quase assassinam outra menina devido às mentiras da internet

slenderman-e1401752479525-800x392

A ABCnews conta-nos a história: 2 meninas de 12 anos de Milwaukee, EUA, tentaram assassinar a sua amiga de também 12 anos, de modo a sacrificarem-na ao demónio Slender Man (de modo a “provar” que ele era real).
Após 19 facadas, deixaram a amiga para morrer na floresta.
Agora, ambas podem passar 60 anos na prisão.

Slender Man é considerado o primeiro grande mito da internet, em que as mentiras que se disseram sobre ele tornaram-se virais. E, claro, por cada conto sobre ele, aumentava-se um ponto, e assim a lenda passou a ser uma referência na internet.
Aliás, algumas pessoas (adultas) convenceram-se mesmo que este demónio é real. (!??!)

Quando se perguntarem qual o é o mal de todas as páginas da internet (e de Facebook) que partilham tretas, parvoíces, mentiras, vigarices, lembrem-se deste e de outros casos.

É certo que a culpa deste crime é das 2 meninas, mas se houvesse verdadeiramente justiça, todos os websites vigaristas deveriam também ser responsabilizados.

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • BetinhoFloripa on 09/06/2014 at 13:41
    • Responder

    Aqui no Brasil ocorreu algo parecido recentemente…

    http://www.tribunahoje.com/noticia/102622/brasil/2014/05/13/mulher-morta-apos-ser-linchada-pode-virar-nome-de-lei-no-congresso.html

  1. Antes demais é de lamentar profundamente o que aconteceu à pobre rapariga. 19 facadas…

    Em segundo, eu não concordo que isto seja um caso de mentiras na Internet. E menos ainda concordo com a perseguição que a imprensa está a fazer ao admin do CreepyPasta (onde se encontram as histórias – ficção – do SlenderMan e que já levou o mesmo a emitir um comunicado, que se pode ler aqui:
    http://www.creepypasta.com/statement-wisconsin-stabbing/

    De certa forma faz-me lembrar um tiroteio numa escola em que acusaram o Marilyn Manson porque, deu-se o caso, de o assassino ter música dele em casa.

    O SlenderMan não é mais do que um Hannibal, Freddy Krueger ou Jason Voorhees. São personagens fictícias que servem para entreter e não impulsionadores de homicidas.

    Neste caso, e com todo o respeito pela família dessas duas crianças, creio que estamos perante um caso óbvio de distúrbios mentais graves. E que devem ser tratados. A culpa é daquelas cabecinhas, não de contos de terror 🙂

    • BetinhoFloripa on 04/06/2014 at 14:51
    • Responder

    19 facadas..pobre menina.. 🙁

  2. Não sendo pessoalmente fã desse tipo de “folclore” moderno, não me parece que se possa culpar assim tão categoricamente as pessoas que contribuem para a “brincadeira”.

    Da mesma forma que os jornais e sites satíricos muitas vezes se apresentam como legítimos por razões estilísticas (essencialmente para aumentar o humor por causa da dissonância entre a aparente legitimidade do produto final e o absurdo do seu conteúdo), os sites que partilham histórias de terror apresentam-nas como relatos reais para aumentar a sensação de medo ou suspense que provocam.

    Para mim dizer que esses sites deviam ser legalmente responsabilizados é um pouco como culpar os filmes e séries pelas crianças que se atiram da janela por que acham que são o Super Homem, ou que matam o amigo para depois o ressuscitar com as 7 bolas de cristal (assumindo que essas ‘notícias’ que ouvi várias vezes não são apenas mitos urbanos).

  3. Olá Carlos,

    Acho interessante esse ponto de vista, mas não creio que a ‘verdadeira justiça’ seria os websites divulgarem.

    Afinal, lendas são criadas desde o início dos tempos muitas vezes para entreter o ser humano. Nós somos seres que gostamos de ouvir e contar histórias, incentiva a criatividade.

    Creio que o problema é que deveria ser ampliado o conhecimento cético e científico entre as pessoas, para conseguirem distinguir o que é besteira e lendas, do que é real =)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.