Cosmos – terceiro episódio

0

3 – Quando o Conhecimento Venceu o Medo (When Knowledge Conquered Fear)

Este episódio é sobre as origens e a evolução do conhecimento.

cosmos-spacetime-odyessy-16

Na primeira parte deste episódio, Tyson explica que da mesma forma que quando nascemos, como bebés, não temos conhecimento do mundo em que aparecemos, quando a Humanidade estava nos seus primórdios, também não tinha conhecimento do mundo.
Em tudo que não compreendia, fosse chuva, trovoada, neve, etc, a Humanidade “culpava” deus ou deuses. Os eventos naturais eram supostamente gestos divinos.

Gradualmente, a Humanidade foi reconhecendo padrões.
Fomos percebendo as diferenças entre animais predadores e outros que são as nossas presas, entre plantas comestíveis e venenosas, etc. Com este conhecimento, fomos vivendo melhor e mais tempo.
Também fomos compreendendo alguns padrões no céu, e como isso afectava a nossa vida na Terra. Assim, pudemos prever, por exemplo, a passagem das estações.

Estes e milhares de outros padrões foram sendo compreendidos ao longo de milhares de anos, e com isso fomos percebendo a explicação dos fenómenos.

cosmos-when-knowledge-conquered-fear-103-recap-fox

Um dos padrões compreendidos é a passagem de cometas.
No início, a aparição de um cometa nos céus era interpretada como uma mensagem sobrenatural, dos deuses – era o anúncio de eventos catastróficos. Os cometas eram mensageiros da desgraça.
Mas ao longo dos séculos, a observação sistemática destes eventos permitiu um estudo científico deles. O resultado deste estudo foi colocarmos as interpretações pseudos de lado, e compreendermos a natureza real do fenómeno em causa.

Os cometas têm a sua origem no frígido reino da Nuvem de Oort, onde se encontram mais de 1 trilhão de cometas. O cientista referido nesta história é, naturalmente, Jan Oort, e Tyson fala das suas contribuições para o nosso conhecimento astronómico. Por fim, Tyson leva-nos na viagem de um cometa, no seu mergulho de centenas de milhares de anos até ao Sol.

WhenKnowledgeConqueredFear_017_Cosmos

Seguidamente, Tyson fala da colaboração entre Edmund Halley e Isaac Newton no final do século 17, em Cambridge.
Esta colaboração levou à publicação do livro Philosophiæ Naturalis Principia Mathematica, o primeiro grande trabalho científico a descrever as leis da física de forma matemática.
Ao explicar de forma natural como o Universo funcionava, este livro desafiava as explicações sobrenaturais para os fenómenos, nomeadamente a noção que era Deus que fazia tudo.
Apesar das objeções, da acusação de plágio feita por Robert Hooke (um feio, popular e brilhante cientista), e das dificuldades financeiras da Royal Society of London, o livro foi publicado (Halley pagou). E foi um sucesso!
Este trabalho de Newton ainda hoje influencia enormemente a nossa vida diária… e não só (ex: viagens espaciais).
Tyson considera que foi a publicação deste trabalho que lançou a Revolução Científica. A Revolução Científica fez com que a ciência explorasse o cosmos e passasse a prever o futuro.

O conhecimento de Newton e a colaboração com Halley, fez com que Halley previsse corretamente a órbita do cometa que agora tem o seu nome.
Halley previu a órbita do cometa, a sua localização no céu, e a data exata que iria aparecer! Nunca algum “profeta de desgraças” conseguiu este feito. A profecia de Halley para 50 anos mais tarde foi incrivelmente precisa e acertada!
Os cometas, supostos mensageiros de más notícias, foram domados! O Conhecimento Venceu o Medo!

Cometa Halley

Cometa Halley

Tyson coloca em contraste o conhecimento científico que temos agora destes eventos no nosso Universo, e a ignorância sobrenatural que existia nos primórdios da Humanidade.
Tyson também debate o reconhecimento de padrões, mostrando que isto pode ser bom ou mau. Da mesma forma que nos permitiu evoluir no conhecimento, também por vezes vê padrões que não estão lá, fomentando conspirações e pseudo-ideias que não existem na realidade. Desejamos tanto encontrar um significado para a nossa existência, queremos tanto sentir-nos especiais no Universo, que facilmente nos iludimos.

Com o conhecimento atual pode-se prever a colisão entre as galáxias Via Láctea e Andrómeda daqui a alguns milhares de milhões de anos. E tudo com base nas leis de Newton…
As únicas profecias que realmente acontecem são as da ciência.
A ciência funciona.

0_21_galaxy_merge

Este foi mais um excelente episódio.

O episódio refere vários cientistas importantísssimos na história da ciência: Oort, Wren, Booth, Hooke, Newton e Halley.

Se calhar mais do que Newton, quem foi superiormente celebrado neste episódio foi Halley. E merecidamente!

O episódio é excelente ao retratar um momento crucial na história da ciência.

Apesar de ter menos efeitos especiais, não se “sentiu”, porque o conteúdo textual foi muito bom.

cosmos deadly comets

Parece-me que o episódio mandou vários “socos” quer às crenças sobrenaturais quer às crenças pseudos, baseadas na ignorância e não no conhecimento dos fenómenos. Mas estes “socos” foram subtis. A mensagem é claramente para os extremistas religiosos nos EUA e para os Deepak Chopras deste mundo…

Tyson celebra as conquistas da ciência, a conquista do conhecimento.

Tyson coloca em contraste mas também une conhecimento com crenças.
Tyson diz-nos por exemplo que Newton, apesar de ser um génio científico, também tinha crenças religiosas fundamentalistas e seguia ideias pseudos como a alquimia.
O génio de Newton foi saber separar essas coisas. As suas crenças sobrenaturais não afetaram a sua procura de conhecimento objetivo.
Newton é uma das pessoas que mais contribuíram para o progresso da Humanidade porque soube compreender que as suas experiências científicas eram mais valiosas para a Humanidade que as suas crenças pessoais.
Em Newton, a Racionalidade convivia com a Superstição, mas a Racionalidade superava a Superstição e foi nessa decisão que Newton teve sucesso.

As crenças sobrenaturais e as crenças pseudos fomentam o medo. O conhecimento científico venceu esse medo! Este é o Poder do Conhecimento!

103-002-cosmos-when-knowledge-conquered-fear-large-photo-960x540

Adorei o realce dado a Newton e também a Halley nesta conquista do conhecimento.

Adorei Tyson dar a entender que, em face de fenómenos desconhecidos, enquanto os outros têm medo e inventam histórias para amedrontar outros, já os cientistas adoram entrar no reino dos fenómenos desconhecidos e encontrar padrões que resultem em explicações consistentes desses fenómenos, de modo a que possam ser previstos corretamente.
O Conhecimento Conquista as Superstições! O Conhecimento Conquista o Medo!

Adorei a mensagem: quando os humanos se predispõem a compreender o mundo que os rodeia, são capazes de feitos incríveis.
Todos nós somos capazes desses feitos. Se, claro, deixarmos de fora as crenças, os medos, as pseudo-notícias, os sensacionalismos idiotas, o “jornalismo amador de internet”, etc.
Ou seja, somos todos capazes de fazer evoluir a Humanidade, se optarmos por seguir a via do conhecimento de modo a conquistarmos os nossos medos.

A cena final com a colisão entre as duas galáxias, foi visualmente um assombro. Aposto que levou muita gente ao êxtase. Apesar de nós já conhecermos o vídeo, a verdade é que para grande parte da audiência do programa terá sido uma novidade. E esses certamente tiveram um surpresa visualmente fabulosa.

Desta vez, até gostei da animação histórica. Acho que esteve muito melhor que no primeiro episódio, mais educacional.

Gostei da homenagem que Tyson fez a Robert Hooke. Percebeu-se que Tyson o admira, na parte científica; mas Tyson também deixou perceber que nas disputas pessoais com Newton, Hooke errou.

Gostei bastante quando Tyson faz uma reflexão sobre a Humanidade: porque é que conhecemos os nomes de músicos, futebolistas e supostos famosos, mas pouca gente conhece Jan Oort, Edmund Halley e tantos outros que fizeram tanto pelo progresso da Humanidade? O que diz isto sobre os Humanos? Porquê que alguns indivíduos preferem a falsidade em vez do conhecimento da realidade que nos odeia? Talvez algumas pessoas prefiram o conforto das falácias, das mentiras, porque as faz sentir melhor; fá-las sentir importantes, uma falsa noção de importância.

2880x1111xCOSMOS_LOGO_FRAME_f.jpg.pagespeed.ic.0KGUK2Fvj5

Para lerem análises a todos os episódios, por episódio, cliquem aqui.

Para lerem análises a todos os episódios, num só artigo, cliquem aqui.

5 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Fantastica produção. Trata-se de uma aula muito bem elaborada. Parabéns Mestre.

  2. É por isso que eu amo a ciençia,o conheçimento que vençe a ignorançia de deuses criados por homens ao abrir portas para novas duvidas,e assim trazendo um compreendimento melhor da natureza e do universo.Como Neil degrasse Tysson uma vez disse:”“Reconhecer que cada molécula que constrói nosso corpo, e os átomos que constroem as moléculas, podem ser rastreados até os núcleos incandescentes de estrelas de alta massa que explodiram e lançaram seus interiores quimicamente ricos na Galáxia, enriquecendo quimicamente nuvens de gás primordiais com a química da vida. Desta forma, estamos todos conectados: biologicamente uns com os outros; quimicamente com a Terra e atomicamente com o resto do universo. Isto é maravilhoso. Isto me faz sorrir e, na verdade, isto me traz uma sensação de grandeza. Não que sejamos melhores que o universo, nós somos parte dele. Estamos no universo e o universo está em nós.”
    E assim espero um dia defender as maravilhas que o conheçimentos nos tras,sem nunca tentar ser maior ou melhor que o universo,pois ele esta em nós,nas estrelas,animais,planetas,em tudo o que existe.

    • Graciete Virgínia Rietsch Monteiro Fernandes on 20/08/2014 at 22:34
    • Responder

    Estou a gostar mesmo muito de ler estas opiniões pois me ajudam muito a compreender melhor os episódios e até a gostar mais deles.
    Um abraço.

    1. Obrigado 🙂

  3. Um excelente episódio sobre a história e natureza da ciência 🙂

  1. […] – Quando o Conhecimento Venceu o Medo (When Knowledge Conquered […]

  2. […] piores, mas no geral, a série é excelente! Para mim, os melhores episódios foram: 2º, 3º, 8º, 9º, e […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.