Eclipse Mortal

The_Chronicles_of_Riddick_-_Pitch_Black

Pitch Black (Eclipse Mortal) é um filme do ano 2000, que faz parte das Crónicas de Riddick.

No ano 2676, as viagens espaciais são comuns.
Uma nave espacial de mercadoria e com 40 passageiros faz uma viagem normal. Os passageiros viajam em suspensão criogénica. Entre os passageiros encontra-se o criminoso Richard B. Riddick.
A nave entra acidentalmente na rota de uma “tempestade de meteoros” e os detritos/meteoros rompem o casco e matam algumas pessoas (incluindo o capitão da nave).

A nave é obrigada a fazer uma aterragem de emergência num planeta inóspito, Hades.
Riddick consegue fugir, preocupando os outros sobreviventes.

O planeta orbita um sistema múltiplo de 3 estrelas. Devido aos 3 sois, o planeta é permanentemente iluminado.

O grupo de sobreviventes do acidente percebe que o planeta foi habitado por uma colónia humana e por animais que entretanto morreram e deixaram as ossadas. Mas misteriosamente não existem mais humanos ou sequer os seus corpos. Eles desapareceram misteriosamente.
O que poderia ter acontecido?

Entretanto um dos sobreviventes é arrastado para dentro de uma das cavernas do planeta e desaparece.

Simultaneamente, ao procurar água e uma nave para sair do planeta, o grupo de sobreviventes encontra uma base humana abandonada. A base dos colonos geólogos.
Lá percebem que os humanos tinham descoberto um ciclo planetário: a cada 22 anos, existia um eclipse que colocava o planeta na escuridão. Um planeta enorme colocava-se entre este planeta e as 3 estrelas.
Nessa altura, durante o eclipse, criaturas alienígenas predadoras e voadoras, chamadas “Bioraptors” ou “demónios”, que só vivem na escuridão e por isso habitam as galerias subterrâneas do planeta, saíam para a superfície do planeta e dizimavam tudo que fosse vivo. Por isso é que a superfície do planeta é estéril.
Foi assim que os colonos humanos desapareceram do planeta.

Os sobreviventes do acidente percebem pelo modelo planetário deixado pelos antigos colonos que o eclipse iria acontecer brevemente. Durante um mês, a superfície do planeta iria mergulhar na escuridão e tudo o que fosse vivo iria ser dizimado pelas criaturas das trevas.

O eclipse começa…
Os sobreviventes tentam unir-se e fugir o mais rápido possível.
Riddick une-se aos sobreviventes e dá-lhes a maior vantagem: ele consegue ver no escuro, devido a uma cirurgia ilegal realizada aos seus olhos na prisão.
No entanto, os Bioraptors caçam as pessoas sem piedade, pelo olfato (sobretudo quando cheiram sangue) e pelo movimento (o “ponto cego” das criaturas parece ser diretamente em frente)

Riddick consegue salvar alguns dos sobreviventes do acidente, levando-os para uma nave de emergência dos antigos colonos.
Só 3 sobreviventes do acidente conseguem escapar com vida do planeta. Entre eles, encontra-se Riddick.

É certo que me parece uma falta de imaginação as criaturas alienígenas cheirarem sangue (fazem-me lembrar os tubarões), não entender como o eclipse demora 1 mês (sobretudo à velocidade que os planetas e estrelas se movem no céu), detestar os sobreviventes poderem respirar naquela atmosfera, e sobretudo achar demasiado conveniente o eclipse dar-se exatamente na altura em que a nave cai no planeta (o eclipse podia ser somente passados 20 anos)… no entanto, adorei o filme.

Adorei o facto de lidar com o “medo do escuro”, de se basear em criaturas que se desenvolvem no escuro, de envolver um eclipse (feito por outro planeta) que ciclicamente coloca o planeta na escuridão, e sobretudo com incluir um planeta num sistema múltiplo de três estrelas.

Pessoalmente, gosto bastante deste filme 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.