Buracos Misteriosos na Sibéria têm Explicação

Untitled-1-489718

Em Julho foi detectada a primeira cratera misteriosa, em Yamal, na Rússia. Moradores informaram que o buraco foi formado a 27 Setembro de 2013. Entretanto começaram as hipóteses. Alguns dizem que saiu fumo do local e depois apareceu um flash muito brilhante e há quem diga que um corpo celeste caiu no local. Há, também – e nada me admira – a hipótese de uma minhoca gigante.

Cerca de 10 dias depois descobriram-se mais duas. A segunda cratera situa-se em Antipayuta, no distrito de Taz. Tem 15 metros de diâmetro. Uma terceira foi descoberta perto da aldeia de Nosok, na região de Krasnoyarsk. O buraco tem 4 metros de diâmetro e a profundidade é estimada entre 60 e 100 metros.

Uma curiosidade que foi muito salientada foi a de que a localidade Yamal (onde está a primeira cratera), traduzida, quer dizer “fim do mundo”. Nada tem de notícia nem de extraordinário. Pouco foi avançado quanto aos ETs, monstros ou terra interior (parece que também sofrem de silly season). Uma das provas é a imagem seguinte que mostra uma animação de um monstro a sair de um buraco… e como há gente que gosta e acredita em animações…

0

Agora vem a explicação provável:

Para Vladimir Romanovsky, geofísico que estuda o permafrost na University of Alaska Fairbanks, os buracos são formados quando a água, proveniente do derretimento do permafrost ou gelo, não consegue ser drenada. No início da constatação destes buracos, o cientista polar Chris Fogwill da University of New South Wales, tinha sugerido que se deviam ao colapso de um “pingo”, “um grande aglomerado de gelo coberto por terra que normalmente se forma em regiões árticas e subárticas.” (SCIAM)

article-2695785-1FB9A01F00000578-344_634x1002

No entanto, Romanovsky acha que não é um “pingo” típico, já que o material parece ser ejectado, enquanto que nos “pingos” típicos “normalmente se formam a partir de montes maiores que colapsam após décadas, com todo o material caindo para dentro“. Provavelmente a pressão dentro do buraco aumentou devido ao metano – gás natural – e acabou por expelir material.

Esta é a explicação mais aceite de momento, no entanto há perguntas como se há gás suficiente para estas ocorrências. O geofísico russo afirma que “há vários campos profundos de gás, além de vários lagos pequenos que se formaram entre 4 e 10 mil anos atrás, quando o clima era mais quente” .

O cientista ambiental Kenji Yoshikawa, da University of Alaska Fairbanks, também acredita que “uma poça drenada e colapsada de “pingo” seja a explicação mais provável para a cratera da Península de Yamal. No Alaska existem “pingos” semelhantes no norte da Península Seward, e perto da cidade de Nuiqsut.” (SCIAM)

methane1_h1

Imagens explicativas: Daily Kos, Daily Mail

3 comentários

  1. É verdade, Vivemos num universo estranho mas natural. Não há espaço para fantasias a não ser em desenhos animados. Logo, tudo terá uma explicação mais cedo ou mais tarde. Obrigado pelo feedback e pelas leituras.

  2. Quem lê regularmente o AstroPt sabe que estes fenómenos têm sempre uma explicação natural (mesmo que às vezes demore um pouco a encontrá-la).
    Quanto às outras explicações, só servem para entreter os pseudos.

    • Graciete Virgínia Rietsch Monteiro Fernanbdes on 14/09/2014 at 20:04
    • Responder

    Bom material para os “pseudos”.
    Os meus cumprimentos.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.