A mãe de todas as manchas solares do 24º Ciclo

A enorme região AR2192 tal como foi vista nos Açores por João Porto. A imagem é o resultado de um filme AVI de 190 MB obtida com uma camara spc900nc da Philips e um ETX90mm f/13.

A enorme região AR2192 tal como foi vista nos Açores por João Porto. A imagem é o resultado de um filme AVI de 190 MB obtida com uma camara spc900nc da Philips e um ETX90mm f/13.

Ontem, dia 19 de Outubro, o Sol mostrou o seu brilho nos Açores, e o astrónomo amador João Porto, colaborador do Observatório Astronómico de Santana – Açores (OASA), aproveitou para observar a gigantesca região activa 2192 e a sua manifesta actividade. Como explicou o próprio astrónomo: “uma das maiores manchas solares destes últimos ciclos de actividade solar acaba de rodar no limbo leste do disco solar, com uma magnitude magnética gigantesca do tipo Fkc e albergando mais de 19 manchas solares.”

Fulguração X1.1, emitida pela nossa estrela no dia 19 de Outubro às 05h30, vista aqui pelos olhos da sonda Solar Dynamics Observatory (SDO) da NASA. Crédito: NASA, spaceweather.com

Tal como o título deste artigo sugere, esta região mostrou assim “o seu imenso potencial magnético” tendo produzido, às 05h30 UT do dia 19 de Outubro uma fulguração de raios X e ultravioletas (classe X1.1 de longa duração) dirigida ao nosso planeta e que já resultou num ‘blackout’ na frequência rádio HF, durante o dia de hoje, na Ásia e na Austrália.

Conforme indicou o NOAA, a região activa AR2192 continua a aumentar, tendo crescido mais 1/3 no último dia, aumentando em grande escala as hipóteses de serem geradas mais fulgurações, havendo mesmo 60% de hipóteses de ser uma fulguração de classe M e 20% de ser de classe X (em leigo: as maiores). Alerta ainda o NOAA que, caso haja mais uma fulguração, poderemos vir a sentir mais efeitos magnéticos no nosso planeta, como os sentidos hoje na Ásia e na Austrália, já que a gigantesca área de actividade está a alinhar-se na direcção da Terra.

No vídeo seguinte, é possível ver esta mega Região Ativa 2192 filmada durante o dia de ontem com uma câmara SPC900nc da Philips e um ETX 90mm em foco directo. A captura foi feita também por João Porto em Ponta Delgada (Açores), tendo sido impossível ver hoje o desenvolvimento desta Região Activa, uma vez que as condições meteorológicas nos Açores não o permitiram. Se alguém quiser partilhar as suas imagens desta Região Activa, agradecemos.

Tamanho do nosso planeta à escala, demonstrando o tamanho gigantesco da Região Activa AR2192 a 20 de Outubro (NASA/SDO/AIA. Diagrama por J. Major.)

Quem estiver interessado em acompanhar esta actividade solar, pode tentar fazê-lo em casa utilizando estes métodos. Lembramos que não se deve olhar directamente para o Sol de forma desprotegida, com o risco de cegueira permanente e irreversível. Óculos de Sol, CDs e radiografias não são protecção suficiente, tolerando-se, no mínimo,  a máscara de soldador. Preferencialmente, deve-se utilizar os filtros astronómicos apropriados.

Quem não tiver os meios adequados e seguros para ver esta gigantesca mancha solar pode aproveitar para visitar o seu clube ou Observatório Astronómico local, tal como acontece no OASA  que está aberto ao público entre as 10h00 e as 17h00.

Veja também mais sobre este “olhar astronómico” de João Porto em: http://astroatlantico.blogspot.pt/

Mantenha-se actualizado sobre a actividade solar aqui: http://spaceweather.com/

1 ping

  1. […] Tal como já falamos num artigo anterior, o Sol encontra-se em plena actividade com a presença de uma gigantesca Região Activa (RA2192) que, neste momento, atinge já a magnitude de 0.2410% do limbo solar. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.