Google+

«

»

Nov 03

Supernova em Messier 61

No dia 29 de Outubro, o japonês Koichi Itagaki descobriu uma possível supernova na galáxia Messier 61, situada a 53 milhões de anos-luz na direcção da constelação da Virgem. Localizado num dos braços espirais da galáxia, o objecto tinha uma magnitude de +13.6 e não aparecia em fotos anteriores da Messier 61.

m61sn_discovery
[Imagem da descoberta da SN 2014dt na galáxia Messier 61. Os “donuts” escuros são artefactos provocados por grãos de poeira numa superfície de vidro próxima do sensor. Crédito: Koichi Itagaki.]

Itagaki é um observador experiente com 94 supernovas descobertas e inúmeras contribuições para a astronomia. O seu observatório, a 1 hora de distância da cidade de Yamagata, é verdadeiramente notável pela variedade de instrumentos astronómicos disponíveis e pelo nível de automatização.

itagaki_observatory
[O observatório de Itagaki. Crédito: Koichi Itagaki.]

Um espectro do objecto obtido no dia 31 de Outubro no Observatório Astrofísico de Asiago, operado pela Universidade de Pádua, confirmou que se tratava de facto de uma supernova e de tipo Ia, com 2 semanas de idade. Este tipo de supernova resulta da explosão termonuclear de uma anã branca (podem ler mais sobre o mecanismo em concreto neste artigo). Algumas características peculiares no seu espectro, e uma luminosidade 5 vezes inferior ao normal, indicam que não se trata de uma supernova de tipo Ia típica.

ezgif.com-optimize
[Animação mostrando Messier 61 antes e depois do aparecimento da SN 2014dt, fotografada a 30 de Outubro de 2014. Crédito: Ernesto Guido, Martino Nicolini, Nick Howes.]

O CBAT (Central Bureau for Astronomical Telegrams), um orgão da União Astronómica Internacional responsável pela disseminação de informação relativa a descobertas astronómicas, atribuiu hoje o nome oficial à supernova — SN 2014dt.

M61_3.6_5.8_8.0_microns_spitzer
[O núcleo e os braços espirais da Messier 61 brilham intensamente no infravermelho nesta imagem obtida pelo telescópio espacial Spitzer. A radiação é emitida por nuvens de gás e poeira interestelar aquecidas pela radiação de estrelas recém-nascidas. Crédito: NASA/JPL-Caltech e Médéric Boquien.]

Descoberta em 1779 pelo astrónomo italiano Barnaba Oriani, Messier 61 é uma galáxia starburst, isto é, uma galáxia que está a formar novas estrelas a um ritmo muito superior ao normal, nomeadamente estrelas maciças e luminosas que morrem como supernovas. Talvez isto explique a elevada frequência de supernovas na galáxia — sete nos últimos 88 anos. A lista é, por ordem cronológica: SN 1926A, SN 1961I, SN 1964F, SN 1999gn, SN 2006ov, SN 2008in e SN 2014dt.

Acerca do autor(a)

Luís Lopes

Luís Lopes é professor no departamento de Ciência de Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Astrónomo amador há mais de 25 anos, interessa-se pela ciência em geral e pela sua divulgação. Acompanha com especial atenção os desenvolvimentos nas áreas de exoplanetas e da evolução estelar. Gosta de estar com a família, de ler um bom livro, de plantar e ver crescer árvores e de passar noites a observar o céu. Também escreve para o AstroPT de vez em quando ;-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>