Nov 06

Não percam: Astrobiologia em discussão – a procura de vida extraterrestre

Esta sexta-feira, dia 7 de Novembro, pelas 21h30, no Auditório Francisco Sampaio da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo [ESTG-IPVC], vai realizar-se uma excelente palestra intitulada “Procura de Vida Extraterrestre“, pelo Doutor Carlos Oliveira.

A palestra é organizada pela POLARIS – Associação de Astronomia de Viana do Castelo, com o apoio das Representações das Ordens dos Advogados, dos Economistas, dos Engenheiros e dos Médicos, em Viana do Castelo, em colaboração com o Politécnico desta cidade, e tem o apoio da Fundação da Caixa Agrícola do Noroeste e do AstroPT.

viana

Texto de divulgação na página do IPVC:

“Desde tempos remotos há na Humanidade um grande fascínio sobre questões como a origem da vida e a possibilidade de existência de outros mundos e de vida extraterrestre, temas por longo tempo abordados de maneira filosófica ou em contextos religiosos” explica Sintra Coelho, Presidente da POLARIS – Associação de Astronomia de Viana do Castelo, justificando a realização da iniciativa. “A astrobiologia deu entretanto um grande salto e nos últimos anos assumiu a responsabilidade de trabalhar tais assuntos de maneira integrada, utilizando recentes avanços científicos e tecnológicos, tentando responder a algumas das questões mais fundamentais já formuladas pelo Homo Sapiens: O que é a vida e como a definimos? Como começou e evoluiu? Existe vida fora da Terra?”, refletiu ainda.

“É por isso que a tentativa de extrapolar a nossa biologia para o resto do universo, é extraordinariamente válida e interessante, com implicações sociais e filosóficas gigantescas”, considera o responsável pela organização.

Já para Carlos Oliveira, o orador convidado, “a astrobiologia permite-nos ter a dimensão exata da nossa ignorância e da nossa condição diminuta face ao universo”, complementa e citando uma personalidade referência da área “Valem aqui as palavras do físico vencedor do prémio Nobel Richard Feynman: A imaginação da natureza é muito, muito maior que a imaginação do homem. Todos os que não tiverem ao menos uma ideia vaga dessa observação, não poderão nem imaginar, quão maravilhosa a natureza é”.

O orador convidado vai, assim, e depois destas reflexões provocatórias, conduzir-nos pelo universo à procura de vida extraterrestre.

“São estas e outras questões que certamente os presentes na conferência terão oportunidade de aproveitar, para esclarecer dúvidas e interrogações junto do nosso orador convidado que teve a amabilidade de aceitar o nosso convite” frisou ainda o Presidente da Polaris e Representante da Ordem dos Economistas em Viana do Castelo.

Teremos muito gosto na vossa presença e dedicaremos parte da palestra para as vossas questões.
Venham assistir ao debate sobre a probabilidade de vida no universo!

Sejam bem-vindos!

18 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Puxa, Manel, que pena que estou tão longe, no Brasil. Eu gostaria muito de poder assistir.
    Será que depois o Carlos não poderia fazer um resumo da palestra ou postar um vídeo com ela?
    Um abraço.

    1. Infelizmente, tivemos problemas tecnológicos na conferencia… 🙁 Por isso, não há video 🙁

        • Lucia on 09/11/2014 at 09:29

        Que pena.

  2. Eu vou,eu vou,eu vou!!
    Estou muito contente por ter a oportunidade de ir a uma conferencia pelo D. Carlos Oliveira.Quando vi a publicidade achei interessante mas não reparei quem era o orador e só hoje é que vi novamente e nem queria acreditar… 🙂

    Até manhã!!!

    1. E foi?

      Quem era a Iria? Penso que não falou comigo, pois não? 🙁

      Caso tenha assistido, gostou da palestra?

        • Iria on 09/11/2014 at 00:27

        S.Carlos Oliveira…
        Sou uma infeliz.
        Foi muito triste…
        Hoje ia à ESTG ver a sua conferencia,estava muito feliz por ter a oportunidade de estar consigo,até levei a câmara fotográfica…
        Quando cheguei pelas 21h00,queria estar cedo, pareceu estar tudo muito calmo e pensei logo no pior….
        Entrei e vi o anuncio da conferencia,e confirmei que me enganei no dia 🙁
        Fiquei tão triste tão desanimada.Sei que talvez não terei outra oportunidade como esta…
        Não lhe consigo descrever esta desilusão,pode parecer exagero, mas é assim que me senti e ainda me sinto.
        Ainda se encontra por Viana?Não vai fazer mais nada por aqui?

      1. Olá Iria,

        🙁
        Pois… foi ontem 🙁

        Já não estou em Viana.

        Mas se tiver hipótese de se deslocar para outro local do país, no final deste mês vou dar mais uma palestra no interior do país… depois disso, não sei, porque não sei bem quando estarei em Portugal…

        abraços

        • Iria on 09/11/2014 at 01:03

        Duvido que consiga ir…Mas em que localidade em concreto vai estar?
        Até lhe ia perguntar se,se lembrava que “mim”,porque uma altura pedi lhe ajuda numa ficha sobre os limites da ciência.Agora é que me dava jeito uma maquina para viajar ao passado,pelo menos o dia anterior!
        Vou tentar esquecer este triste episódio

      2. Não me lembro. Foi num comentário aqui no blog? 😉

        Pois, só se conseguir ter transporte… porque a minha próxima palestra será a cerca de 300 quilómetros de Viana 🙂

        Note que já é a 2ª vez que estive em Viana… aliás, segundo me disseram esta tarde, esteve muito gente ontem na conferência, porque muita gente já tinha estado na minha palestra anterior em Viana e tinha gostado 😉
        No ano passado estive aí com o Manel Rosa Martins 😉
        http://www.astropt.org/2013/04/18/95155/

        abraços!

        • Iria on 09/11/2014 at 01:20

        Não me lembro de ter visto esse anúncio por cá.
        Mas a palestra que deu na sexta,eu no inicio da semana já tinha visto o anuncio,comentei que devia ser interessante mas não me convenceu a ir,só na sexta à noite (eu pensava que ia a tempo)é que reparei quem era o orador,e fiquei muito contente e ansiosa pela palestra,que por essa hora que vi o cartaz,já teria acabado ou estaria a decorrer.Se tivessem posto o seu nome com mais destaque no anuncio já não tinha havido problemas!!Mas isto nunca me tinha acontecido,infelizmente foi me logo acontecer numa palestra sua.
        Não foi comentário,mas já comentei algumas vezes aqui no blog, recentemente nos filmes The man from earth e Europa report. Dessa vez enviei-lhe um email

      3. Iria,

        Enviou-me uma mensagem pelo Facebook, mas eu não consigo responder-lhe ou sequer ver o seu perfil. Parece que estou bloqueado para si, daí não conseguir lhe responder 😉 . Penso que terá que rever as suas características de privacidade, porque pelo menos eu, não consigo ver o seu perfil ou sequer responder-lhe 😉

      4. Iria, eu leio o “pode tentar agora”, mas nem consigo responder à mensagem nem o seu perfil está disponível para mim 😉

      5. ok. Eu posso enviar-lhe um e-mail, como disse pelo facebook 😉

    • isamarreiros on 10/11/2014 at 20:27
    • Responder

    E para quando um evento no Algarve

    1. Talvez 2015… se for numa altura em que esteja em Portugal e se existir convite 😉

      abraços! 🙂

  3. DROGA, FRELLEK, BIG FUCK, euzinha, a pessoa que mais se bitolou nesse assunto não terei a chance de ir, para mim é dia 22/12/2014 ás 17:29, por acaso você dará outra palestra este ano, de preferência no Brasil, ou talvez ano que vem, porque tenho muita vontade de ir, penso em viajar no tempo, mas uma viajem implicaria no universo inteiro, a energia para isso seria quase infinita, pelas minhas teorias, e se fosse possível com energia menor ou se conseguisse essa energia infinita, iria criar duas linhas do tempo a partir de quando cheguei, então eu iria participar somente da linha com a mudança (a mudança sou eu, só de chegar já cria duas linhas), deixe-me explicar melhor, quando eu chegasse iria abrir as duas linhas, e eu só poderia ficar na linha que tem a mudança, ou seja, eu, claro que tem outra eu mas ela é da linha certa dela então não tem as duas linhas por causa de mim do passado, e sim de mim do presente, e eu só iria na palestra dessa linha, que não seria a linha que estamos agora, seria a outra, então eu até poderia comentar dela aqui (depois de voltar) mas não seria igual porque tinha eu e pessoas poderiam “desmentir” isso, logo seria um grande problema!!!

  4. Até onde as ondas de rádio que a Terra emite há mais de 70 anos podem chegar? As transmissões de TV e de rádio, que formam uma bolha em torno do planeta, expandindo-se pelo cosmos, podem atravessar toda a galáxia e atingir outras galáxias daqui alguns bilhões de anos? Essa bolha que se expande o faz uniformemente ou com o passar do tempo e da distância esvanecem, perdendo a força por completo? Em outras palavras, um tênue sinal de rádio que sai hoje da Terra pode viajar bilhões de anos e ser escutado por alguma civilização no futuro ou é necessário que uma mensagem seja direcionada para um ponto específico do firmamento para que ela seja escutada? Pergunto isso, pois o conceito de bolha de ondas de rádio esbarra no problema da diluição. Até onde uma onda de rádio comum (tipo a transmissão de um jogo de futebol) pode alcançar de forma a ser captada por outra civilização. Às vezes fico imaginando que nossas transmissões de hoje podem ser ouvidas em alguma galáxia distante daqui a alguns bilhões de anos por outra civilização. Acredito até que nós humanos poderemos nos escutar há bilhões de anos luz se conseguirmos encontrar um meio de viajar mais rápido do que a luz ou por meio de buracos de minhoca. Enfim, só queria saber até nossas ondas de rádios poderiam chegar e ser ouvidas.

    1. Tem toda a razão. As emissões de rádio vão-se esvanecendo, vão-se diluindo. Não só devido ao quadrado da distância (as emissões vão-se expandindo em 3D pelo espaço) mas devido às moléculas, átomos e poeira existente naturalmente pelo espaço que se diz vazio.

      Aqui há uns anos, uma equipa ligada ao SETI (e, por isso, com grande interesse nesse assunto), fez uma investigação sobre isso (matemática e modelos) e concluiu, infelizmente, que com a nossa tecnologia actual não conseguiríamos ouvir emissões de rádio semelhantes à nossa emitidas por uma civilização extraterrestre que estivesse a mais de 2 anos-luz de distância. Para nós, esses sinais seriam indistinguíveis de “background space noise” (ruído normal interestelar).
      Ora, como a estrela mais próxima do nosso Sol está a mais de 4 anos-luz de distância, as perspectivas não não nada animadoras…

      Ou seja, as ideias transmitidas por filmes como Contacto são demasiado otimistas e provavelmente não estão de acordo com a realidade… infelizmente 🙁

      Com laser (direcionado) é possível ter muito mais poder de transmissão.
      Também é possível que os ETs possam “ouvir” sinais mais ténues que nós.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.