Dicotomias Humanas

Estamos neste momento a utilizar a internet. É algo que nos é dado pela ciência. É algo que existe. Não interessa se a pessoa X ou Y acredita na internet. O facto é que existe.
Da mesma forma, todos nós utilizamos eletricidade. A eletricidade é real. Se o sr. X disser que não acredita na eletricidade… essa afirmação está praticamente ao mesmo nível de quem diz que acredita na eletricidade. Porquê? Porque ambas são afirmações imbecis, já que a ciência não depende de se acreditar em algo. Ou existem evidências da realidade de determinado fenómeno ou não existem essas evidências. A realidade dos fenómenos não depende das crenças das pessoas.

Infelizmente, pouca gente percebe esta característica da ciência.
Muitas pessoas pensam que a natureza (o estudo da natureza é a ciência) está dependente das suas crenças pessoais.
Dessas pessoas, as que mais nos afetam são as que têm poder de decisão.

Daí que gostei deste Tysonismo (de Neil deGrasse Tyson): os cientistas conseguiram aterrar uma sonda num cometa a milhões de quilómetros de distância, mas há políticos que continuam a defender que a ciência não é real (pensam que é uma crença pessoal).

10712850_803874833007598_7114640360357950243_n

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Infelizmente, a sociedade parece não conseguir acompanhar os feitos científicos… 🙁

  2. O que incomoda naqueles que dizem não acreditar em ciência é falta de coerência. Nenhuma destas pessoas estão dispostas a abrir mão do que é científico e conveniente para eles, como automóveis, telefones, computadores, eletricidade, viagens de avião, etc.

    1. Exatamente.
      Para mim, isso é hipocrisia.

      Eles utilizam todas essas tecnologias, e depois afirmam que não temos conhecimento para as criar.

  3. Ando seguindo os fatos desse pouso,se for como o Homem pousar na lua em 1968 uma vez na semana sem tecnologia nenhuma,e comparar com a tecnologia que temos hoje,eu não duvidaria(A de 68,sim duvido),mas….(sempre tem um mas….).Agora pergunto,depois de tanto calculo,de tanto supercomputador,de tanto isso ou aquilo,de tanto sufoco…pousar na sombra?Tem imgens chegando um pouco rapidas aqui na Santa TERRA NÉ…

    1. Não entendi o seu comentário…

      Mas pensa que pousar num pequeníssimo cometa a milhões de quilómetros de distância é fácil?

      Além disso, o Homem não foi à Lua em 1968 mas sim em 1969. E não precisa duvidar. A ciência faz-se de evidências e não das suas dúvidas.

      abraços

        • Allan on 19/11/2014 at 20:16

        A dúvida não é a respeito da ciência, mas do ser humano, ainda mais quando se trata de assuntos desse nível, costumam-se ter várias camadas de estória para sobrepor uma ambição. Tú tem alguma prova direta de que o homem pisou na lua no ano de 1969? Não? Então depende da crença na integridade das informações que a ti chegaram, o que não muda em nada o fato de posteriormente a isso a ciência ser capaz, como ela se mostra. O fato é que a ciência talvez pudesse naquela época já, mas foi? Quem estava envolvido sabe, eu? Acredito.

      1. “Tú tem alguma prova direta de que o homem pisou na lua no ano de 1969?”

        Sim, existem várias provas.Se não as conhece, é por ignorância sua, e não por não existirem.
        E na era da informação, só é ignorante quem quer.
        http://www.astropt.org/2009/07/25/boletim-em-orbita-n-%C2%BA-91-edicao-especial/

        “Não?”

        Se você faz uma pergunta, deveria deixar a pessoa responder. Não deveria fazer a pergunta e depois assumir como verdade a resposta que é falsa. A isso se chama manipulação através da irracionalidade.

        O facto de você acreditar ou não, é completamente irrelevante.
        Tal como explicado já em dezenas de artigos – que você decide ignorar – a realidade não depende de você acreditar ou não nela.

    • Regis Olivetti on 18/11/2014 at 22:06
    • Responder

    Com apenas um adendo e em concordância. A propagação das informações por meio de ondas eletromagnéticas, nem sempre tem como exclusividade a transmissão elétrica, mas aí as fontes são muitas e que convergem para o mesmo fim.

  4. “Acadêmicos vêm, há séculos, presenteado a humanidade com espetaculares avanços científicos em praticamente todos os campos de estudos… exceto um.

    Mestres e doutores em matemática e física conseguem enviar uma espaçonave através de centenas de milhares de km e aterrissá-la e uma das luas de Saturno, com a simples ajuda de um paraquedas. Mas os estudiosos da “obscura” ciência econômica são incapazes de registrar uma vitória minimamente similar.

    Se os engenheiros da NASA tivessem a capacidade de nossos talentosos economistas, a missão Cassini teria tido um desfecho bem diferente.”

    Economista Peter Schiff na introdução do seu livro Como a Economia Cresce e por que Ela Quebra.

    Confiamos na NASA mas não congresso, acho que principalmente por esse motivo.

    1. A economia tem duas grandes desvantagens relativamente às ciências “a sério”:
      1 – As previsões são grandemente influenciadas pelas crenças dos que as fazem. E já nem falo da influência de quem paga os estudos.
      2 – As previsões mexem com a irracionalidade humana alteram a realidade futura.

      Por tudo isto, não me parece razoável fazer comparações entre a Física e a Economia. É quase como comparar Astronomia e astrologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.