Os penhascos do cometa Churyumov-Gerasimenko – APOD

cometcliffs_rosetta_960

Créditos da imagem e Licença (CC BY-SA 3.0 IGO): ESA, Espaçonave Rosetta, NAVCAM; Processamento adicional: Stuart Atkinson.

Estes penhascos altos ocorrem na superfície de um cometa. Eles foram descobertos como parte do núcleo escuro do cometa Churyumov-Gerasimenko (CG) pela Rosetta, uma nave espacial robótica lançada pela ESA que começou a orbitar o cometa no início de agosto. Os penhascos irregulares, como apresentados aqui, foram fotografadas pela Rosetta cerca de duas semanas atrás.

Embora tenham cerca de um quilômetro de altura, a baixa gravidade na superfície do cometa CG provavelmente faz com que um salto dos penhascos, por um ser humano, não seja fatal, isto é, há como sobreviver. No sopé dos penhascos está um terreno relativamente suave pontilhado com pedras tão grandes quanto 20 metros de diâmetro.

Os dados da Rosetta indicam que o gelo no cometa CG tem uma fração de deutério muito diferente – e, portanto, provavelmente uma origem diferente – que a água nos oceanos da Terra. A sonda Rosetta está programada para continuar a acompanhar o cometa, enquanto este fará a sua maior aproximação ao Sol em agosto de 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.