Lançamentos orbitais em Dezembro de 2014

UGLdTAgfCh8

O mês de Dezembro é historicamente um mês no qual se realizam mais lançamentos orbitais no ano e 2014 não fugiu à regra.

Adiado de Novembro devido às más condições meteorológicas, o Japão lançou a sonda Hayabusa-2 às 0422:04UTC do dia 3 de Dezembro. O lançamento foi efectuado pelo foguetão H-2A/202 a partir da Plataforma de Lançamento LP1 do Complexo de Lançamento Yoshinobu do Centro Espacial de Tanegashima. A bordo estavam também os satélites PROCYON, ARTSAT2-DESPATCH e Shin’en-2. A Hayabusa-2 tem como missão obter amostras da superfície de um asteróide.

A agência espacial norte-americana NASA abriu um novo capítulo na sua exploração espacial com o lançamento da missão EFT-1 (Exploration Flight Test-1) da cápsula espacial Orion. Esta missão não tripulada teve como objectivo testar os sistemas da cápsula e a sua reentrada atmosférica. O lançamento teve lugar às 1205:00UTC do dia 5 de Dezembro a partir do Complexo de Lançamento SLC-37B do Cabo Canaveral AFS e foi levado a cabo pelo foguetão Delta-IV Heavy.

No dia 6 de Dezembro foi lançado o último Ariane-5ECA de 2014. Lançada às 2040:07UTC a missão VA221 teve como objectivo a colocação em órbita dos satélites de comunicações DirecTV-14 e GSAT-16. O lançamento foi levado a cabo desde o Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa.

Em Dezembro de 2013 o satélite CBERS-3 foi perdido devido a uma falha no terceiro estágio do seu foguetão lançador. Nas semanas após o lançamento, Brasil e China acordaram em antecipar o lançamento do CBERS-4 que teve lugar às 0326:05UTC do dia 7 de Dezembro. O lançamento foi levado a cabo por um foguetão CZ-4B Change Zheng-4B a partir da Plataforma de Lançamento LC9 do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan.

No dia 10 de Dezembro a China lançou a missão YG-25 Yaogan Weixing-25 desde Jiuquan, colocando em órbita três satélites com uma missão semelhante aos satélites NOSS Norte-americanos.

No dia 13 de Dezembro os Estados Unidos lançarem uma nova missão militar classificada. A missão NROL-35 foilançada por um foguetão Atlas-V/541 a partir do Complexo de Lançamento SLC-3E da Base Aérea de Vandenberg. Desconhece-se o tipo de satélite a bordo desta missão.

O 400º foguetão Proton, na versão 8K82KM Proton-M/Briz-M, colocou em órbita o satélite de comunicações Russo Yamal-401, no dia 15 de Dezembro. O lançamento foi levado a cabo a partir da Plataforma de Lançamento PU-24 do Complexo de Lançamento LC81 do Cosmódromo de Baikonur.

O último lançamento comercial da Arianespace teve lugar às 1837:00UTC do dia 18 de Dezembro com o foguetão Soyuz-STB/Fregat-MT a ser lançado na missão VS10 a partir do Complexo de Lançamento ELS do CSG Kourou para colocar em órbita quatro satélites O3b para o fornecimento de serviços de Internet.

No dia 18 de Dezembro teve lugar o lançamento do satélite Kondor-E a partir do Complexo de Lançamento LC175/59 do Cosmódromo de Baikonur. O lançamento foi levado a cabo por um foguetão 15A35 Strela. O Kondor-E é um pequeno satélite de observação por radar construído pela NPO Masinostroyeniya para a África do Sul.

No dia 23 de Dezembro teve lugar o voo inaugural do foguetão Angara-A5. O lançamento foi realizado às 0557:00UTC e colocou em órbita um modelo de um satélite de comunicações. O foguetão Angara A5-1LM/Briz-M foi lançado a partir do Complexo de Lançamento LC35/1 do Cosmódromo GIK-1 Baikonur.

Um satélite militar de inteligência electrónica (ELINT), Lotos, foi colocado em órbita no dia de Natal pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1B lançado a partir do Complexo de Lançamento LC43/4 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk.

No dia 26 de Dezembro foi realizado o lançamento do satélite de observação da Terra Resurs-P2. O lançamento teve lugar às 1855:50UTC e foi levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1B a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 do Cosmódromo de Baikonur. No satélite Rersurs-P2 está incluída a carga Koronas-Nuclon, que é um detector de partículas de alta energia.

O Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan assistiu ao lançamento do satélite YG-26 Yaogan Weixing-26 a 27 de Dezembro.

O último lançamento do ano a partir do Cosmódromo de Baikonur teve lugar no dia 28 de Dezembro com um foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M a colocar em órbita o satélite de comunicações Astra-2G. O lançamento estava inicialmente previsto para Novembro de 2014 mas foi adiado devido a um problema técnico com o estágio superior Briz-M. O lançamento teve lugar a partir da Plataforma de Lançamento PU-39 do Complexo de Lançamento LC200.

O último lançamento de 2014 terá lugar no último dia do ano com um foguetão CZ-3A Chang Zheng-3A a colocar em órbita o satélite meteorológico FY-2G Fengyun-2G. O lançamento terá lugar a partir da Plataforma de Lançamento LC2 do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang.

3 comentários

    • Betinhofloripa on 30/12/2014 at 20:36
    • Responder

    Faltou este…

    https://www.youtube.com/watch?v=uoMN2_0z9CA

    • Dinis Ribeiro on 29/12/2014 at 04:37
    • Responder

    Gostei deste artigo:

    What is Orion’s technological significance?
    http://www.thespacereview.com/article/2665/1

    Saliento esta parte:

    The prime contractor for Orion, Lockheed Martin, did not choose to create a proprietary new flight computer for the capsule.

    Instead, with NASA’s input, it selected the flight computer built by Honeywell International used on the Boeing 787 jetliner. Two flight-proven IBM PowerPC 750FX single-core processors are employed in each of the three flight computers; these processors were first used in 2002.

    Matt Lemke, NASA’s deputy manager for Orion’s avionics, power and software team explained the reasons why this was done. “Compared to the [Intel] Core i5 in your laptop, it’s much slower… It’s probably not any faster than your smartphone,” he revealed.

    “But it’s not about the speed as much as the ruggedness and the reliability. I need to make sure it will always work.”

    For example, computer processors and software are not cutting edge. With NASA’s input, Lockheed Martin selected the flight computer built by Honeywell International used on the Boeing 787 jetliner.

    “The one thing we really like about this computer is that it doesn’t get destroyed by radiation.

    It can be upset, but it won’t fail. We’ve done a lot of testing on the different parts in the computer. When it sees radiation, it might have to reset but it will come back up and work again.

    Since we’ll be going through a lot of radiation for quite a while, we’ve added another computer—a third—so if the two main computers go down because of radiation, this one will know the state of the vehicle if those two are lost.

    When the first two reset, they’ll go to the third and get the current data.”

    • Dinis Ribeiro on 29/12/2014 at 04:31
    • Responder

    Também a 18 de Dezembro, ocorreu o lançamento deste poderoso sistema Indiano: GSLV Mark-III, que embora fosse num voo sub-orbital, penso que é um marco importante…

    Lançador: GSLV Mark-III

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Geosynchronous_Satellite_Launch_Vehicle_Mk_III

    http://en.wikipedia.org/wiki/Geosynchronous_Satellite_Launch_Vehicle_Mk_III

    http://www.spacedaily.com/reports/ISRO_to_Test_Fly_Heaviest_Rocket_Crew_Module_on_December_18_999.html

    http://www.space.com/28044-india-most-powerful-rocket-crew-capsule-photos.html

    A Índia lançou nesta quinta-feira (18) com sucesso o maior foguete de sua história espacial, que inclui uma cápsula que pode transportar astronautas.

    O foguete, com capacidade de transportar satélites de comunicações, decolou da base de Sriharikota, no estado de Andhra Pradesh.

    “É um dia muito importante na história do programa espacial indiano”, afirmou o presidente da agência espacial indiana (ISRO), K.S Radhakrishnan.

    Os cientistas da ISRO concluíram desta maneira um ano de sucesso, já que em setembro lançaram uma sonda espacial com destino ao planeta Marte.

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/12/india-lanca-maior-foguete-de-sua-historia-espacial.html

    Índia testa com êxito o seu maior foguetão com módulo para astronautas
    http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=4302986

    A Índia testou hoje com êxito o maior foguetão que desenvolveu até agora, com capacidade para transportar quatro toneladas e um módulo para astronautas, abrindo a porta à primeira viagem tripulada da Índia ao Espaço, informaram fontes oficiais.

    O foguetão, de 630 toneladas e 42,4 metros de comprimento, iniciou o seu voo às 09:30 (04:00 em Lisboa) no Centro Espacial Satish Dhawan, em Sriharikota, no estado do Andhra Pradesh (sul).

Responder a Dinis Ribeiro Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.