Kepler-7b com muitas nuvens

TransitCropped

O exoplaneta Kepler-7b foi descoberto em 2010, como podem ler aqui.
Está classificado como um Júpiter Quente – um planeta gigante gasoso com uma órbita bastante próxima da sua estrela (o seu ano tem somente 4,9 dias terrestres). A sua temperatura está estimada em cerca de 1500ºC.
Este é também um dos exoplanetas menos densos conhecidos, com uma densidade de 0.17 g/cm3 (Júpiter=1.33 g/cm3 , cerca de 1/7 da densidade da água).

Em 2013, uma equipa de astrónomos informou que após analisarem mais de 3 anos de observações obtidas pelo telescópio Kepler, concluíram que Kepler-7b deverá ter uma atmosfera marcada por nuvens altas refletoras no hemisfério oeste e um hemisfério este sem nuvens. Este mapa atmosférico seria relativamente permanente e não efémero.

Agora, uma nova técnica para análise de nuvens em exoplanetas, sugere que cerca de metade do hemisfério planetário virado para a estrela está coberto por uma grande massa de nuvens.
Foram comparados mais de 1.000 modelos atmosféricos, e a sua análise estatística sugere que as nuvens deste exoplaneta serão provavelmente constituídas por Enstatita, um mineral comum na Terra e que está em forma de vapor na temperatura extrema de Kepler-7b. Serão assim nuvens de silício e magnésio.

Crédito: NASA / Jose-Luis Olivares/MIT

Crédito: NASA / Jose-Luis Olivares/MIT

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.