A Princesa do Alentejo celebra o Telescópio Espacial Hubble (HST)

Vista da foz do Rio Mira a partir da zona do Colégio de Nossa Senhora da Graça, Vila Nova de Milfontes – Portugal.

Vista da foz do Rio Mira a partir da zona do Colégio de Nossa Senhora da Graça, Vila Nova de Milfontes – Portugal.

A Princesa do Alentejo celebra o Telescópio Espacial Hubble (HST)

Vila Nova de Milfontes, a belíssima Princesa do Alentejo, decidiu celebrar o 25º aniversário do Hubble Space Telescope cantando os seus feitos à boa maneira alentejana.

Não fez a coisa por menos (isto uma Princesa tem que se lhe diga) e o seu Colégio de Nossa Senhora da Graça, uma Escola justamente classificada de Elevada Qualidade, concordou na realização de 4 Palestras focadas na Missão que melhores imagens trouxe na História da Humanidade.

Os seus alunos e alunas participaram de forma entusiástica na apresentação dos detalhes da Missão do Hubble, demonstrando os seus conhecimentos sobre o Spectrum electromagnético, a sua relação inversa entre comprimento de onda e nível de energia, apreciando assim melhor as capacidades do Hubble para observar no comprimento da luz visível (optical) para os olhos dos seres humanos, no infravermelho (near-IR) e no ultra-violeta (UV).

É de facto muito gratificante para qualquer cientista verificar o esforço dos estudantes ao longo do ano lectivo, e sentir a relação cúmplice entre os alunos e os Docentes deste Colégio.

Passadas em revista as “sebentas” da introdução, as imagens obtidas pelo HST suscitaram o debate sobre os feitos científicos da missão.

O HST tornou a Astronomia bela, divertida e atractiva!

O HST confirmou que o Universo em que vivemos está em expansão, e que esta expansão acelera!



O HST dá largas à nossa imaginação!

Desde a marcação das Palestras até à sua realização, em cerca de 1 mês, o HST apresentou novas descobertas magníficas!

É fantástico e é avassalador, o HST, por exemplo, confirmou que uma das grandes Luas de Júpiter, a Lua Ganímedes (um deus-rapaz da mitologia grega), contém um oceano de água salgada, em fase líquida, no seu interior, ao observar, muito atentamente, o comportamento de auroras polares nessa Lua distante.

_81605911_81602979

Abriu assim as portas duma missão futura robotizada a esta Lua, afim de procurarmos vida tal como a conhecemos, talvez nas suas formas microbianas. É pelo menos provável, mas temos todos que ter a noção que será uma missão muito difícil e de que se trata, como diriam os gregos clássicos, duma Hypothesis.

Enquanto analisávamos mais algumas imagens fabulosas do HST, também estabelecemos muito bem a diferença entre uma Teoria (um corpo de conhecimento confirmado por milhares de observações independentes entre si, e revistas por outros cientistas) e uma Hypothesis.

É verdade, será provável que o Filósofo Natural Aristóteles tenha ficado muito satisfeito por celebramos a mais avançada tecnologia referindo, mesmo que indirectamente, os seus antigos Livros da Física!

Como os ilustres palestrados, ou seja os alunos e as alunas, ficaram muito interessados no tema, damos voz às suas perguntas:

-O Hubble está no espaço, como foi lá parar?

Ele está no espaço mas não está parado, está em movimento angular numa órbita baixa da Terra, e foi lá colocado por uma nave fantástica, o Space Shuttle (o vaivém espacial) que tem motores com ~44 milhões de cavalos!

Já vamos ver um vídeo dum lançamento, e com música do David Bowie, um excelente artista muito amigo da Ciência.

-Wow, o David Bowie, e o Space Shuttle faz poluição?

Os motores directamente não, mas são usadas substâncias que podem ser tóxicas para o ambiente, e a NASA tem muito cuidado com esse assunto, limpando com muito cuidado a zona biológica dos lançamentos, situada perto das famosas everglades da Florida, excelente pergunta.

E sabem, caros leitores, o que concluo que é muito importante numa Missão Espacial de enorme sucesso?

Que esta faça suscitar o Debate e dê asas à imaginação, senão vejamos:

-Eu cá quero um dia construir um foguetão espacial a Hidrogénio que não faça qualquer poluição, disse um dos alunos mais novos.

Todos ficamos surpreendidos com este objectivo, o mais novo dentre nós, afinal, foi quem nos deu a lição!

Com bastante humor, com alegria e com disciplina de trabalho havemos de conseguir, tenho para mim que um dia verei futuros grandes cientistas portugueses graças ao HST!

-O HST está a flutuar em gravidade zero?

Não, mas está em micro-gravidade, ou gravitação, já que gravidade é a sua resultante aqui na Terra. Olha lembra-te, até a Lua que está muito mais longe está sob a influência da gravidade da Terra.

– Pois é, mas como se controla um telescópio no espaço?

Com centros de controle de Missão, como aqui neste Colégio fizemos, em simulação, noutras Palestras sobre Ciências Planetárias.

E sabem que o HST também descobriu Planetas fora do Sistema Solar. Alguns, nesta enorme e diversificada família, são parecidos com a Terra.

-Uau! Olha, o Professor vibra mesmo ao ver o vídeo do David Bowie!

🙂 Pois claro, a música dele e o HST são uma grande inspiração, e vocês também.

Como é que disseste? Um motor a Hidrogénio que não causa poluição? Isso é deveras interessante. Sabes que mais? Vou relatar a tua ideia à Missão Hubble na Agência Espacial Europeia.

—-

Agradecimentos:

Colégio Nossa Senhora da Graça, à sua Direcção e aos seus docentes, na ocasião coordenados pelo Professor de Ciências João Vasco Cabecinha.

Apoios: do muito simpático Restaurante Conversas com Sal, por um delicioso salmonete grelhado com salada fresca e por promover a Astronomia Amadora na Princesa do Alentejo.

https://www.facebook.com/ConversasComSal?fref=ts

À empresa de informática Litoralnet, pelos seu aconselhamento eficaz e profissional na utilização de hardware e de software de suporte nas Palestras.

A todos, muito Obrigado.

4 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • João Vasco Cabecinha on 27/05/2015 at 21:55
    • Responder

    Ao Dr. Manuel Rosa Martins, um grande agradecimento pelo excelente trabalho de divulgação científica que fez para os nossos alunos.

    Mais uma vez, foi com grande entusiasmo que recebemos o seu contributo científico e humano na nossa escola.

    Agradeço, em nome da direcção e de todos os docentes envolvidos, a sua disponibilidade, empenho e entusiasmo.

    Esperamos, professores e alunos, que possamos partilhar mais momentos destes. Será sempre um prazer.

    Muito agradecidos

    João Vasco Cabecinha

  1. Os nossos parabéns ao sr. Manuel Rosa Martins por este excelente trabalho e pela sua simpatia, da nosso parte foi um prazer ajudar e desde já um muito obrigado.

    Da equipa

    Litoralnet

  2. As minhas sinceras felicitações ao sr. Manel Rosa Martins pela contribuição neste trabalho acadêmico formidável.

    É salutar esta atividade em prol da Ciência e do conhecimento.

    Que tal exemplo seja um fator multiplicador para estes jovens.

    Un bellissimo post.

    Cavalcanti.

    • Manel Rosa Martins on 08/05/2015 at 00:15
    • Responder

    Conforme combinado com os alunos, seguiu o relatório deste post para:

    Thank you for contacting the European Space Agency.
    Your enquiry has been submitted and you will receive a confirmation at the email address that you provided.
    If you would like to receive regular updates from the ESA Science Programme please follow the link here.

    http://sci.esa.int/services/31008-contact-us/?result=done

  1. […] Nova de Milfontes, que comemorou o aniversário do Telescópio Espacial Hubble de forma exuberante, é uma das Vilas mais bonitas e bem preservadas de Portugal, com praias […]

Responder a Cavalcanti Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.