Frequência de Sismos e relação com a política

Devido aos recentes sismos no Nepal, apareceram os recorrentes alarmismos sobre a frequência de terramotos.
Por isso, vou repetir o que já disse neste blog dúzias de vezes: existem centenas de terramotos todos os dias, como podem comprovar neste website.
Não existem mais terramotos hoje que no passado recente. Continuam a existir as mesmas centenas de terramotos, com maior probabilidade de acontecerem em certas áreas devido às divisões de placas tectónicas que provocam deriva continental.

Por exemplo, em 2013, este foi o número de terramotos com magnitudes de 4 ou superior:

O_104

Sim, em 2013, como em qualquer outro ano, existiram alguns (2) terramotos com magnitude superior a 8 (superiores aos recentes do Nepal), e existiram mais de 4000 terramotos com magnitude à-volta de 5. Isto é sempre assim. Nada de novo!

Mas existem algumas novidades no reino dos terramotos…
A meio dos EUA, mais precisamente em Oklahoma, percebeu-se que começaram a existir muitos mais sismos que no passado (passou de 2 por ano para 2 por dia). E os sismos eram frequentemente de magnitude 3. O que se estaria a passar?

Crédito: Oklahoma Office Of The Secretary Of Energy & Environment

Crédito: Oklahoma Office Of The Secretary Of Energy & Environment

Estudos científicos mostraram que a causa destes terramotos não era a “normal”, mas sim devida a perfurações petrolíferas. A população está obviamente revoltada, não só com o atentado ao ambiente, mas sobretudo com os problemas que tem causado para as próprias pessoas (incluindo contaminação da água).

E então qual foi a solução política encontrada?
Proibir as perfurações petrolíferas? Não!
A solução política encontrada foi proibir quaisquer leis para controlar as perfurações petrolíferas…

3 comentários

  1. Eu já tinha postado sobre isso há 5 anos.

    ‘Não, não há mais terremotos que antes, simplesmente há muito mais pessoas que moram em áreas de alto risco’

    http://eternosaprendizes.com/2010/03/09/ha-mais-terremotos-na-terra-nao-ha-mais-pessoas-morando-em-areas-de-alto-risco/

  2. O aumento de sismologia na zona de magnitude 3 por lubrificação pela água das estruturas geológicas foi detectado em barragens (que evidentemente redireccionam muita água) na década de 70 nos Estados Unidos (onde as redes de sismómetros eram suficientemente boas para este tipo de estudo).

    A barragens enchiam – os sismos disparavam, As barragens esvaziavam e os sismos desapareciam. Afinal uma barragem vazia é quase como uma barragem que não existe.

    A coisa morreu, isto é, os estudos nunca foram refutados, mas perdeu a atenção. Talvez porque não existia realmente ninguém interessado em acabar com as barragens.

    Até existe a ideia que muitos sismos de magnitude 3 libertam energia e evitam sismos de magnitude maior MAS isso é muito discutível.

    1. Isso é realmente MUITO interessante, e eu não tinha conhecimento disso.

      abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.