Mais Imagens de Plutão

A câmara LORRI (Long Range Reconnaissance Imager) da sonda New Horizons obteve uma nova sequência de imagens de Plutão entre os dias 29 de Maio e 2 de Junho passados, quando distava entre 55 e 50 milhões de km do planeta anão. As imagens mostram novos detalhes na superfície que apresenta agora um complexo mosaico de terrenos com albedos muito diferentes. Plutão parece ser um mundo com uma superfície jovem, muito dinâmica e, sabe-se, sujeita a grandes variações sazonais.

Estas imagens obtidas pela LORRI mostram Plutão em 4 longitudes distintas ao longo do período de rotação de 6.4 dias. A perspectiva que a LORRI tem de Plutão e a sua orientação em relação ao eixo do rotação está representada na imagem à esquerda, no topo. Crédito: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Southwest Research Institute.

Estas imagens obtidas pela LORRI mostram Plutão em 4 longitudes distintas ao longo do período de rotação de 6.4 dias. A perspectiva que a LORRI tem de Plutão e a sua orientação em relação ao eixo do rotação está representada na imagem à esquerda, no topo. Crédito: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Southwest Research Institute.

As imagens em bruto enviadas pela sonda são alvo de um sofisticado processamento já na Terra para extrair o máximo de informação possível das mesmas, corrigindo algumas distorções introduzidas pelo sistema óptico e sensor CCD da LORRI. A técnica, denominada de deconvolução, pode produzir artefactos nas imagens resultantes. O aspecto não esférico de plutão nestas imagens é um artefacto desta técnica que exacerba as diferenças de albedo de regiões distintas da superfície.

As novas imagens mereceram o seguinte comentário de Alan Stern, do Southwest Research Institute, Boulder, Colorado, e investigador principal da missão:

“Apesar destas imagens terem sido obtidas a mais de 50 milhões de km, elas mostram uma superfície com uma complexidade crescente, com evidências claras para regiões brilhantes e outras escuras no equador. Podemos ver também que o aspecto da superfície varia imenso com a longitude e que o hemisfério norte é rico em terrenos escuros, apesar de os terrenos mais escuros de Plutão se situarem sobre o equador ou ligeiramente para Sul do mesmo. Porque é que é assim é ainda um mistério.”

A sonda, que se encontra agora a cerca de 4.7 mil milhões de km da Terra e a apenas 39 milhões de km de Plutão, encontra-se de perfeita saúde.

(Fonte: NASA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.