Dawn Observa Neblina em Ceres

Observações da cratera Occator, dentro da qual se encontram as mais famosas e enigmáticas “manchas brancas” de Ceres, mostram o que parece ser neblina quando o Sol está quase no zénite. A neblina cobre cerca de metade da cratera e não ultrapassa o seu bordo. Estes resultados, ainda preliminares, favorecem claramente a interpretação em que estas manchas são formadas por gelo, provavelmente de água, exposto na superfície.

A cratera Occator em Ceres com as enigmáticas manchas brancas. Crédito: NASA/JPL-Caltech/ UCLA/MPS/DLR/IDA.

A cratera Occator em Ceres com as enigmáticas manchas brancas. Crédito: NASA/JPL-Caltech/ UCLA/MPS/DLR/IDA.

O espectrómetro de infravermelhos que a Dawn transporta poderá identificar facilmente a espécie química responsável pelas manchas, respondendo em definitivo a esta questão. Este instrumento ainda não estudou em detalhe as manchas; os cientistas da missão guardam que a sonda atinja uma órbita de menor altitude para o utilizar.

A Dawn determinou ainda que Ceres é ligeiramente mais pequeno do que se pensava, implicando que é 4% mais denso. Mais, o seu eixo de rotação está inclinado mais de 90 graus, pelo que o pólo norte de Ceres está “virado para baixo” relativamente ao plano orbital dos planetas do Sistema Solar, vice-versa para o pólo sul.

(Fonte: Nature)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.