Estranhas linhas vermelhas na superfície de Tétis

linhas_vermelhas_Tetis_cor_falsa_NAC_ISS_Cassini_110415Linhas vermelhas em redor da cratera Alcinous, na superfície de Tétis. Composição em cores falsas construída com imagens obtidas pela sonda Cassini a 11 de abril de 2015, através de filtros para comprimentos de onda no infravermelho, no verde e no ultravioleta.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute.

Cientistas da missão Cassini observaram recentemente um conjunto de invulgares linhas arqueadas de cor vermelha na superfície de Tétis. As linhas têm apenas alguns quilómetros de largura, mas estendem-se por longas distâncias, atravessando ininterruptas os terrenos acidentados do hemisfério norte desta lua de Saturno.

A equipa da missão tinha já identificado algumas destas estruturas em anteriores observações. No entanto, as imagens captadas em abril passado foram as primeiras a mostrar vastas áreas das latitudes mais setentrionais de Tétis com as condições de iluminação necessárias para os cientistas as visualizarem com clareza.

“Os arcos vermelhos saltaram realmente à vista quando vimos as novas imagens”, disse Paul Schenk, investigador participante da missão. “É surpreendente como são extensas estas estruturas.”

Tetis_cor_falsa_NAC_ISS_Cassini_110415A lua Tétis vista pela sonda Cassini, a 11 de abril de 2015. Composição em cores falsas construída com imagens obtidas através de filtros para comprimentos de onda no infravermelho, no verde e no ultravioleta. As linhas vermelhas podem ser vistas no quadrante superior direito da imagem.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute.

A origem das linhas e da sua cor vermelha é ainda um mistério. Com a exceção de algumas pequenas crateras em Dione, são raras as estruturas tingidas de vermelho nas luas de Saturno. Neste momento, estão a ser avaliadas diversas possibilidades, incluindo ideias de que estes materiais poderão ser impurezas químicas contidas no interior de gelo recentemente exposto, ou o resultado da atividade de jatos de gás com origem no interior de Tétis.

“Os arcos vermelhos devem ser geologicamente recentes porque atravessam estruturas mais antigas, como as crateras de impacto”, explicou Paul Helfenstein, um dos membros da equipa de imagem da Cassini. “No entanto, não sabemos precisar a sua idade. Se estas linhas são apenas uma fina camada colorida no solo gelado, a sua exposição ao ambiente espacial poderá apagá-las em escalas de tempo relativamente curtas.”

A equipa da missão planeia realizar novas observações no próximo mês de novembro, quando a sonda da NASA sobrevoar a superfície de Tétis a distâncias consideravelmente mais próximas.

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. São os milhões de adeptos do glorioso a caminho da Supertaça.

    1. LOOOLLLL 😀

        • Jaculina on 06/08/2015 at 17:21

        Agora mais a sério, poderão ser óxidos de ferro como os que dão cor a Marte?

      1. Olá Jaculina,

        Eu apostaria mais em materiais semelhantes aos que tingem de vermelho as fraturas na superfície da lua Europa. Dados espetrográficos sugerem que são depósitos ricos em sais de enxofre criados pela evaporação da água que emerge através das fraturas. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.