Incríveis Imagens de Plutão!

Apenas 15 minutos após o ponto de maior aproximação a Plutão, no dia 14 de Julho de 2015, a New Horizons virou-se para trás e a câmara MVIC (Multispectral Visual Imaging Camera) do instrumento Ralph capturou esta imagem incrível da superfície do planeta anão — uma paisagem repleta de montanhas e planícies geladas. A região plana, à direita, é Sputnik Planum e é flanqueada, à esquerda, pelas cordilheiras Norgay Montes (em primeiro plano) e Hillary Montes (mais atrás). As montanhas aqui atingem os 3500 metros de altitude. O contra-luz torna particularmente visível a atmosfera rarefeita de Plutão, que apresenta várias camadas de neblinas. A imagem foi obtida quando a sonda se encontrava a uma distância de 18 mil quilómetros de Plutão e a paisagem abarca 380 quilómetros da sua superfície.

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

A imagem faz parte de um panorama maior obtido pela MVIC (em baixo).

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

As novas imagens revelam também a presença de glaciares que desaguam em Sputnik Planum, provenientes de uma região de relevo mais elevado na periferia da grande planície (figura seguinte, quadro). O brilho intenso desta região, imediatamente a norte de Krun Regio, parece dever-se a uma camada de gelo de nitrogénio depositada recentemente sobre a superfície. As imagens e os dados enviados pela sonda sugerem que o gelo terá tido origem em Sputnik Planum, de onde se terá evaporado por acção da débil radiação solar, tendo depois sido transportado por ventos atmosféricos até à dita região onde, arrefecendo, caiu como neve!

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

Em alguns locais, o gelo assim acumulado flui de novo para a planície ao longo de glaciares claramente visíveis nas novas imagens. No exemplo que se segue, as setas vermelhas mostram os glaciares serpenteando por entre o relevo adjacente, e as setas azuis indicam o gelo acumulado na base do glaciar, no bordo de Sputnik Planum (que se estende para lá do limite esquerdo da imagem).

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI.

O leitor pode verificar como estas estruturas de Plutão são semelhantes aos glaciares terrestres, observando a imagem seguinte de um glaciar na Antártida.

Byrd Glacier, Antártida. Crédito: NASA.

Byrd Glacier, Antártida. Crédito: NASA.

Assim, as imagens e os dados enviados pela New Horizons, sugerem que Plutão tem um ciclo “hidrológico” em muitos aspectos parecido com o terrestre, embora o composto em causa seja o nitrogénio e não a água.

(Fonte: NASA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.