Banda de Jazz em Marte

Frequentemente, colocamos aqui as imbecilidades supostamente vistas em Marte, fruto de pareidolia.
Vejam agora este novo achado na superfície marciana… mas com humor:

6 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Dinis Ribeiro on 17/10/2015 at 10:54
    • Responder

    A referência ao Jazz lembrou-me um diálogo dum filme de 1990, que é relativamente intemporal, pois aborda (dum modo um pouco mais profundo’) questões geopolíticas complexas que são frequentemente tratadas dum modo (ligeiramente?) mais superficial…

    Filme: A Casa da Russia

    https://en.wikipedia.org/wiki/The_Russia_House_(film) / https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Casa_da_R%C3%BAssia

    IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0100530/?ref_=ttqt_qt_tt

    Há uma parte que se passa em Portugal: http://www.imdb.com/title/tt0100530/board/nest/71112525?ref_=tt_bd_4

    Agora que há um grande investimento no Turismo, pode haver muitos estrangeiros que gostassem de ter tours nos locais de Lisboa que aparecem no filme, como já se faz em Paris com os locais que aparecem neste filme: https://en.wikipedia.org/wiki/Angels_%26_Demons_(film)

    Citações dos diálogos: http://www.imdb.com/title/tt0100530/trivia?tab=qt&ref_=tt_trv_qu

    CIA Interrogator: Have you ever met any jazz musicians you would describe, or who would describe themselves, as anarchists?

    Bartholomew “Barley” Scott Blair: Hmmm… ah, there was a trombone player, Wilfred Baker.

    [the interrogator starts writing]

    Bartholomew “Barley” Scott Blair: He’s the only jazz musician I can think of who is completely devoid of anarchist tendencies.

    O impacto cultural e o aproveitamento comercial (para além do turismo) deste tipo de temas é muito diverso.

    Um exemplo:

    Asterix and the Missing Scroll
    https://en.wikipedia.org/wiki/Asterix_and_the_Missing_Scroll

    1. E qual é a ligação do seu comentário com o Festival 6 Continentes?

    • Dinis Ribeiro on 17/10/2015 at 01:43
    • Responder

    No final do livro de Bradbury há uma imagem reflectida na água, das novas gerações dos Marcianos que serão os nossos descendentes…

    Tradução desse livro: http://coleccaoargonauta.blogspot.pt/2011/09/n-6-o-mundo-marciano.html

    O senhor e a senhora K vivem numa casa com pilares de cristal mesmo à borda de um mar extinto.

    Os seus antepassados tinham vivido na mesma casa, que girava sobre si e seguia o Sol, como as flores o fizeram, durante séculos.

    O senhor e a senhora K não eram velhos, tinham a pele de um loiro escuro, próprio de verdadeiros marcianos, olhos de um amarelo doirado e vozes suavemente musicais.

    Já o ano 2009 rondava, quando se deu o choque das duas civilizações. O casal K – como milhares de outros marcianos, puderam assistir à chegada de uns seres estranhos, com olhos azuis e castanhos, cabeços pretos e loiros, vestindo trajes que eles jamais viram.

    Saliento este aspecto: …vozes suavemente musicais…

    Sugestão:

    Festival 6 Continentes
    http://ofestival.wix.com/ufestivallusofono#!contactos/c1et

    1. Pode explicar este comentário?

  1. Agora sim! Mudei de ideia! Vou pra Marte! Pelo menos a trilha sonora lá é das boas!

    Abraço. E Física na veia! 🙂

  2. Genial a nota de rodapé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.