Casual friday – Se não fazes parte da solução…

Se não fazes parte da solução…

precipitado

Fazes parte do precipitado!

2 comentários

    • Dinis Ribeiro on 24/10/2015 at 01:50
    • Responder

    Quando estamos no “fundo do mar” debaixo de água, e nos falta o ar, é natural uma certa “precipitação” para voltar á superfície…

    Mas é uma “solução” com certos problemas técnicos… 😉

    Os gases apresentam propriedades particulares para a solubilidade. Quando aumenta-se a pressão, a solubilidade aumenta (Lei de Henry). O mesmo não acontece quanto à temperatura. Quando aumenta-se a temperatura, diminui a solubilidade. Assim, a solubilidade é directamente proporcional à pressão e inversamente proporcional à temperatura.
    Vale lembrar que essas leis são válidas para qualquer gás, mas não para substâncias em outros estados físicos…
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Solu%C3%A7%C3%A3o

    Lei de Henry
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_de_Henry

    Uma aplicação prática desta Lei da natureza: Lidar eficazmente com a “Doença de Descompressão”

    Os gases dissolvidos no sangue formam bolhas que obstruem as vias sangüíneas causando dor e outros sintomas…
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_de_descompress%C3%A3o

    Quando há grandes mudanças de pressão:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Uncontrolled_decompression / https://pt.wikipedia.org/wiki/Descompress%C3%A3o_explosiva

    … é importante dar “tempo ao tempo”:

    Emergency HBOT for decompression illness follows treatment schedules laid out in treatment tables. Most cases employ a recompression to 2.8 bars (41 psi) absolute, the equivalent of 18 metres (60 ft) of water, for 4.5 to 5.5 hours with the casualty breathing pure oxygen, but taking air breaks every 20 minutes to reduce oxygen toxicity.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Hyperbaric_medicine#Protocol

    …para se evitar este problema:

    https://en.wikipedia.org/wiki/Barotrauma / https://pt.wikipedia.org/wiki/Barotrauma

    Esta ideia de se dar “tempo ao tempo” também se pode aplicar a súbitas mudanças sociais ou políticas…

    😉

    Ás vezes basta um ligeiro (subtil?) ajustamento na velocidade com que voltamos á superfície, depois de estar “no fundo do mar”…

    Lembro-me dum mergulho em que comecei a sentir uma dor nos seios peri-nasais, e bastou parar a subida e simplesmente mergulhar de novo cerca de meio-metro para obter uma recompressão suficiente para que a bolha de ar (bastante dolorosa) diminuir de tamanho e fazer desaparecer completamente a dor…

    O tempo passado nos patamares de descompressão no mergulho é vital para se evitar os “bends”:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Decompression_sickness

    1. Muito Obrigado!
      😉 Gostei especialmente “Esta ideia de se dar “tempo ao tempo” também se pode aplicar a súbitas mudanças sociais ou políticas…

      😉

      Ás vezes basta um ligeiro (subtil?) ajustamento na velocidade com que voltamos á superfície, depois de estar “no fundo do mar”…”

      Muito Bom mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.