Álcool e Açúcar no Cometa Lovejoy

Descoberto em Agosto do ano passado pelo astrónomo amador australiano Terry Lovejoy, o cometa C/2014 Q2 (Lovejoy) proporcionou um belo espectáculo no céu nocturno durante os meses de Dezembro de 2014 e Janeiro deste ano. O cometa foi particularmente activo, tendo desenvolvido uma cauda longa e complexa de gás, apesar da sua órbita não o deixar aproximar muito do Sol — distância mínima de 1.29 unidades astronómicas. Esta característica levou uma equipa de astrónomos a observá-lo em pormenor, em comprimentos de onda sub-milimétricos, com o intuito de estudar a composição do seu gás. Nos dados recolhidos pela equipa foi detectada a assinatura de 21 espécies químicas diferentes, duas delas inéditas para um cometa: o álcool etílico — o mesmo encontrado nas bebidas alcoólicas — e o glicoaldeído — um açúcar muito simples.

O cometa Lovejoy fotografado por Damien Peach, no dia 12 de Janeiro de 2015. Crédito: Damien Peach.

O cometa Lovejoy fotografado por Damien Peach, no dia 12 de Janeiro de 2015. Crédito: Damien Peach.

As observações foram realizadas na noite de 30 de Janeiro, com o telescópio de 30 metros de diâmetro do IRAM (Institute for Radio Astronomy in the Millimetre Range) em Pico Veleta, na Serra Nevada, no sul de Espanha. Nessa altura, o cometa estava no pico de sublimação de gelos, libertando cerca de 20 toneladas de água — o gelo mais comum — por segundo para o espaço. A equipa, liderada por Nicolas Biver, do Observatório de Paris, calcula que a quantidade de álcool etílico detectada corresponde à libertação de 500 garrafas de vinho por segundo para o espaço!

A molécula do álcool etílico. As esferas representam os átomos e os segmentos as ligações electrónicas entre os mesmos. As cores identificam o tipo de átomo: hidrogénio (cinza), carbono (preto) e oxigénio (vermelho). Crédito: Wikipedia.

A molécula do álcool etílico. As esferas representam os átomos e os segmentos as ligações electrónicas entre os mesmos. As cores identificam o tipo de átomo: hidrogénio (cinza), carbono (preto) e oxigénio (vermelho). Crédito: Wikipedia.

A molécula do glicoaldeído, um açucar simples. As esferas representam os átomos e os segmentos as ligações electrónicas entre os mesmos. As cores identificam o tipo de átomo: hidrogénio (cinza), carbono (preto) e oxigénio (vermelho). Crédito: Wikipedia.

A molécula do glicoaldeído, um açucar simples. As esferas representam os átomos e os segmentos as ligações electrónicas entre os mesmos. As cores identificam o tipo de átomo: hidrogénio (cinza), carbono (preto) e oxigénio (vermelho). Crédito: Wikipedia.

A detecção destas moléculas, que tipicamente são já fragmentos de moléculas percursoras maiores, vítimas da radiação ultravioleta solar ou das partículas do vento solar, é mais uma evidência que sugere a existência de uma química orgânica complexa nos cometas. O artigo que descreve esta descoberta foi publicado no número de 23 de Outubro da revista Science Advances.

(Fonte: Phys.org)

2 comentários

  1. Já tem o gelo, o açúcar e o álcool, só precisamos mesmo levar os limões e a caipirinha brasileira tá garantida 😀

    1. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL 😀

Responder a Jonatas Almeida da Silva Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.