Nova data religiosa de fim-do-mundo: 2 Agosto 2027

Como já provamos várias vezes com as estratégias de Harold Camping, Ronald Weinland, Cláudio Heckert, José Luis de Jesus Miranda, Ricardo Salazar, etc, profetizar o fim-do-mundo dá muito dinheiro: milhões de dólares em poucos meses. Basta inventar que o fim-do-mundo foi-nos dito por um “anjo” ou está escrito na Bíblia, que uma multidão de crentes passa logo a engrossar a conta bancária do vigarista.

Por isso, não é de estranhar que falsos profetas apareçam todos os anos. Pudera! Aproveitar-se da ignorância das pessoas é o seu negócio.

Desta vez é mais uma seita religiosa que diz que a próxima data a considerar é: 2 de Agosto de 2027.
Nessa altura, segundo eles, Jesus vai estar no topo do Monte das Oliveiras, durante um eclipse solar, e como, segundo estes crentes, Jesus é um sociopata sanguinário, Jesus vai então provocar um enorme terramoto, a nível planetário, de modo a matar muitos milhões de pessoas (supostamente, a Bíblia até diz que vai demorar 7 anos para enterrar todos os mortos).

Eu, claro, vou sobreviver porque já comprei os meus sapatos anti-terramotos…

Billboard Pic

7 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. TRUMP reconstruira o templo de salomao …

    1. Infelizmente, mais disparates religiosos… 🙁

  2. Estes parecem mais espertos. Vão andar mais de 10 anos a arrecadar dinheiro.

    Já agora, só para confirmar a esperteza, sabe se há algum eclipse precisto para esse dia?

    1. Sim, há. Eles devem ter visto na página da NASA:
      http://eclipse.gsfc.nasa.gov/SEgoogle/SEgoogle2001/SE2027Aug02Tgoogle.html

      Mas curioso que, segundo eles, Jesus não saberá ver onde o eclipse será total… vai ficar num sítio onde esse eclipse total não será visível. É um filho de Deus com pouca apetência para a matemática…
      https://en.wikipedia.org/wiki/Solar_eclipse_of_August_2,_2027

  3. KKKKKKKK. Ótima, sair um pouco do rigor científico é bom.

  4. É a tal teoria do “quanto mais me bates mais gosto de ti”.
    Incrível que tais crentes não se apercebam que vivem uma existência em constante medo. Medo de pecar porque senão serão severamente castigados, mas ainda assim considerarem o castigador como alguém misericordioso, benevolente e que não quer mal a ninguém.

Responder a Gabriel Pinto Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.