Abr 11

Auroras e a magnetosfera de Júpiter

Júpiter tem magníficas auroras

http://apod.nasa.gov/apod/image/1604/JupiterMagnetosphere_JAXA_3500.jpg

Ilustração da magnetosfera de Júpiter (JAXA). A inserção foi fornecida pela NASA/ESA (Chandra e Hubble).

Como acontece na Terra, o campo magnético do maior planeta do Sistema Solar se comprime quando impactado por uma rajada de partículas eletricamente carregadas provenientes do Sol.

Essa compressão magnética afunila as partículas carregadas na direção dos polos de Júpiter colidindo com a atmosfera joviana.

Lá os elétrons são temporariamente excitados ou expulsos das moléculas dos gases atmosféricos e depois, quando perdem a excitação ou se recombinam com os íons atmosféricos, as luzes das auroras são emitidas.

A ilustração em destaque fornecida pela Agência Espacial Japonesa (JAXA) retrata a magnifica magnetosfera joviana em ação.

Na inserção superior, liberada em março de 2016, o Observatório Chandra de raios-X exibe inesperadamente poderosa radiação em raios-X  emitida pelas auroras jovianas, demonstradas aqui em violeta (em cor falsa, para enriquecer a imagem).

O quadro da inserção fornecido pelo Chandra está sobreposto a uma imagem capturada pelo Hubble Space Telescope, em outra ocasião.

Essa aurora de Júpiter foi observada em outubro de 2011, alguns dias depois do Sol ter emitido uma poderosa Ejeção de Massa Coronal (CME).

Fonte

APOD: Auroras and the Magnetosphere of Jupiter – CréditosJAXANASAESAChandraHubble

._._.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.