Explosão de foguetão Falcon 9 da SpaceX

Um lançador Falcon 9, da empresa SpaceX, que já se encontrava na plataforma de lançamento em Cabo Canaveral, nos Estados Unidos, explodiu durante um teste de preparação para o seu lançamento no próximo Sábado.
A explosão que ocorreu ontem (cerca das 15h00 de Portugal continental), provocou a destruição do foguetão e da carga, que consistia num satélite de comunicações israelita. É o segundo revés em pouco mais de um ano pois em 28 de Junho de 2015, um outro foguetão Falcon 9, que se destinava a abastecer a Estação Espacial Internacional, explodiu pouco depois da descolagem.

Falcon-9-Fairing-falls-2016-09-01-879x494

É sempre triste quando se assiste a um acidente deste género que, aparentemente atrasa o progresso da exploração espacial mas, e até pode parecer estranho o que vou escrever a seguir, estes acidentes – chamemos-lhes percalços – têm também um lado positivo.
O lado negativo é fácil de constatar; perdeu-se um lançador e o satélite que iria ser lançado e a estrutura da plataforma de lançamento terá ficado danificada. Até pode ser relativamente fácil calcular o valor dos equipamentos destruídos e da logística necessária para se ter ali o lançador e o satélite e fica-se com uma ideia dos prejuízos.
Mas, no outro prato da balança, há também um benefício que não é fácil, ou sequer possível, calcular: é a aprendizagem que se obtém com o acidente.
Será feito um estudo das causas do acidente, e avançadas possíveis soluções ou, pelo menos melhorias. Os futuros lançamentos beneficiarão das medidas que vierem a ser implementadas para evitar que este acidente se repita e que podem ir de alterações a procedimentos e protocolos de segurança até ao desenvolvimento de materiais e equipamentos mais seguros ou robustos.
E esta aprendizagem não se destina apenas à SpaceX. Todas as agências espaciais beneficiam com este conhecimento.
Estes incidentes não ocorrem em vão. Abrem caminho ao progresso.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.